Leaf: Técnica e feeling são seus principais artifícios

Resenha - Rock N' Roll Thunder - Leaf

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Uilliam Rieffel
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


A Leaf surgiu com seu hard rock no fim de 2009, na cidade de Alegrete - RS. Desde então, a banda vem participando de festivais e fazendo shows pelo estado do Rio Grande do Sul, inclusive dividindo palco com grandes nomes do rock gaúcho. Em 2012, é lançada de forma independente a primeira demo da banda, chamada "Rock N' Roll Thunder".

Metallica: corrigindo a injustiça contra Jason NewstedMomentos bizarros: histórias de Ozzy, Stones, Who e outros

Composta por Igor Fogaça (guitarra e vocal), Rodrigo Ferreira (guitarra), Rafhael Jaques (bateria) e Kauê Vargas (baixo), a Leaf faz um hard rock que não tem medo de misturar ao estilo suas influências do heavy metal em algumas de suas passagens instrumentais. Os riffs pegajosos e o solos que mesclam ótima técnica e feeling são os principais artifícios utilizados pela banda pra fazer com que o ouvinte se prenda à audição de "Rock N' Roll Thunder".

A demo começa já embalada com a ótima "Crazy night", uma das melhores do play, que é, também, a mais heavy do disco, abrindo espaço para uma passagem de guitarras gêmeas, onde a dupla (e o trio de cordas) já mostra todo seu entrosamento. A faixa culmina em um solo bem característico de Igor Fogaça, que como já citado, mescla muito bem técnica e feeling, e apesar de, como todos os membros da banda, apresentar com a Leaf seu primeiro trabalho em estúdio, já consegue colocar sua marca pessoal de maneira forte nas composições.

A "As real as it gets" vem na sequência, com um toque de saxofone por um músico convidado (Serginho) e evidencia bastante o papel da cozinha no andamento com bastante groove da faixa. Logo depois vem a homônima "Rock N' Roll Thunder", de ótimo riff durante introdução e versos.

Em "Razor voice", uma das principais intenções da Leaf quanto as letras da demo "Rock N' Roll Thunder" é muito bem evidenciada. As vezes em segundo plano, às vezes tratada de forma mais explícita, sempre vem a tona nas letras a cobrança, o questionamento social quanto ao modo de vida contemporâneo quanto às relações, pensamentos e atitudes das pessoas com uma suposta forma de controle imposta, e quase não percebida pela maioria, e seguida pela mesma. Pode-se ouvir passagens de discursos de líderes políticos durante a canção, de fundo à uma passagem limpa de guitarra. Soma-se a "Crazy Night" como um dos maiores destaques do álbum.

Assim como as duas faixas recém citadas ratificam qualidades inegáveis apresentadas até então, "Without you", que conta com outra participação - Adriano Duarte, nos teclados - faz o mesmo quanto a um dos pontos negativos do álbum. Apesar da qualidade musical ser mantida, algumas faixas, e principalmente esta, soam repetitivas pela longa duração. Ou seja, necessitaria de melhor edição. O formato possível para o registro entra como responsável, e não a banda em si, assim como acontece quanto à qualidade do estúdio, da produção que nem sempre se equipara ao nível musical das faixas. Mas ainda assim, o fato de se tratar de uma demo faz com que estes detalhes não apaguem o belo trabalho feito até o momento, e ainda poderíamos considerar o fator geográfico: nenhuma outra banda de maior destaque surgiu na região da fronteira com Uruguai e Argentina, onde fica Alegrete (cidade onde a banda se formou e onde o disco foi gravado) e, além disso, mostra o quanto a banda ainda pode crescer e evoluir já num próximo projeto.

"Rock N' Roll Thunder" entra em seu final, e a banda acerta a mão mais uma vez com os vocais dobrados de "Liberdade" e mais um belo solo de Igor Fogaça. Há de se ressaltar que Kauê, Rafhael e Rodrigo trabalham firme nas composições, tendo Igor como principal autor, aparecendo pelo menos como colaborador em todas as faixas.

"Living on the Road" abre caminho com seus violões na introdução, para que entre a calma "Cumulus Numbus", com letra cantada em espanhol, para encerrar o trabalho de apresentação da Leaf.

Enfatizando, um ótimo trabalho, de qualidade musical com capacidade evolutiva que faz com que a Leaf não fique devendo nada a grandes nomes do gênero no país. A banda está no caminho certo, se der sequência à idéia musical do grupo em outros álbums, poderemos contar em breve com mais um nome de destaque na cena gaúcha e, quem sabe, até nacional.

Tracklist:

1. Crazy Night
2. As real as it gets
3. Rock N' Roll thunder
4. Razor Voice
5. Without you
6. Liberdade
7. Living on the Road
8. Cumulus Numbus

Confira músicas, letras, datas, fotos no site oficial da banda, onde também é possível fazer contato e comprar o material da Leaf:
http://www.bandaleaf.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Leaf"


Metallica: corrigindo a injustiça contra Jason NewstedMetallica
Corrigindo a injustiça contra Jason Newsted

Momentos bizarros: histórias de Ozzy, Stones, Who e outrosMomentos bizarros
Histórias de Ozzy, Stones, Who e outros

Metallica: ouça apenas o baixo de Cliff Burton em clássicosMetallica
Ouça apenas o baixo de Cliff Burton em clássicos

De AC/DC a ZZ Top: Origens dos nomes de bandas e artistas de rockDe AC/DC a ZZ Top
Origens dos nomes de bandas e artistas de rock

Gosto duvidoso: As piores capas da história do Rock e Heavy MetalGosto duvidoso
As piores capas da história do Rock e Heavy Metal

Matt Sorum: falta adrenalina no Foo Fighters, é tudo muito certinhoMatt Sorum
Falta adrenalina no Foo Fighters, é tudo muito certinho

Sebastian Bach: como é a rotina de ser um rock star?Sebastian Bach
Como é a rotina de ser um rock star?


Sobre Uilliam Rieffel

Gaúcho de São Gabriel - RS, 22 anos, Gestor Ambiental graduado na Universidade Federal do Pampa. Teve como porta de entrada para a música, as quatro primeiras faixas do Adios Amigos gravadas no espaço que ficaria em branco no lado B do k7 do Mamonas Assassinas. Colecionador de discos, com gosto musical que vai do Thrash Metal ao AOR, passando por outras vertentes do metal, até o Blues e um pouco de rock nacional e gaúcho. Tenta estar sempre atento às notícias de seus artistas favoritos e no cenário nacional de rock e heavy metal.

Mais matérias de Uilliam Rieffel no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336