Conquest: para amantes de melodias e bumbos duplos

Resenha - Endless Power - Conquest

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Júlio Oliveira
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Ao ouvir falar da Ucrânia, os leitores devem lembra-se imediatamente de Chernobyl (usina Nuclearque nos anos 80 teve uma falha no reator que explodiu e espalhou material radioativo por boa parte do leste europeu), mas após escutar o Conquest em seu álbum de estréia, "Endless Power", é quase certo que a única coisa que permanecerá em suas memórias por um bom tempo são as melodias e a velocidade impostos por seus músicos ao longo do álbum, com exceção, lógico das baladas que são de praxe no estilo adotado pela banda: Power Metal com influências do Helloween e mais nitidamente, Stratovarius.
5000 acessosMetallica: incrível cover de "Enter Sandman" gravado ao contrário5000 acessosIron Maiden: Bruce diz não haver muito diálogo na banda

O título é de fato merecido pelo álbum que apesar da abertura instrumental, que tenta simplesmente copiar o feeling de álbuns como os Keepers, segue acelerado sem dó nem piedade e logo na primeira faixa sentimos todo o vigor da banda que realmente se empenha em fazer por merecer um espaço na cena que anda tão estagnada. O interessante é que a citada faixa instrumental reproduz “frases” no teclado que serão escutadas mais tarde nas guitarras de outras músicas.

"I’ve Seen You In My Dreams" começa acelerada como uma prolongação da intro e muito bom gosto mas apesar de o instrumental chamar logo atenção devido a sua boa execução, o mesmo não pode ser dito sobre o vocal de Jenick D. Lenkoff que vez ou outra soa estranho mas que entretanto não chega a prejudicar a banda.

"Flying Back" segue a mesma tônica do up-tempo com os bumbos duplos de Sergei Balalajev e a guitarra de Alexander Zakharoff conduzindo o restante da banda e apesar de tratar-se de composições com um certo grau de qualidade, fica evidente que a banda criou uma formula de composição e segue-a à risca, então a quarta faixa inicia e "Angry Angel" mostra que o que acabei de falar não era apenas especulação.

Em se tratando de um trabalho deste gênero, não podia faltar uma balada e "Winter Has Come" vem para cumprir esse papel, com um título que já sugeria sua função. Não chega a ser uma das mais belas baladas já compostas mas é agradável.

“Descansados” a banda pode voltar a fazer aquilo a que se propõem e mais uma vez relembramos aquela já distante intro mas que permeia quase que todo o álbum e em "Ancient Winds" não seria diferente. Além da velocidade e melodias cativantes, o grande destaque nessa faixa é a participação mais que especial de Timo Tolkki fazendo o que ninguém esperava e se alguém por um acaso lembrar de "Stratosphere" do "Episode" não será coincidência.

A essa altura, como não poderia ser diferente, eu já estava mais que desconfiado e pra aumentar a minha desconfiança, o começo de "This World Law" lembra bastante "Phantoms Of Death" do Helloween mas a semelhança logo se transforma em algo distinto e a faixa evolui para mais um Power metal de boa qualidade.

"Before It’s Done" é mais uma faixa na qual a banda esbanja velocidade, bons solos e muita boa vontade que é o ponto principal deste disco.

"I Wanna Be With You", como o próprio nome sugere, é mais uma balada, um tanto quanto melhor que a primeira embora a letra seja bastante previsível.

Em "The Last Sphinx" a banda retoma seu vigor, mais uma vez com boas melodias e um refrão pra lá de contagiante.

"Rock n’ Roll To Death" começa e até parece que a banda vai tentar fazer um Hard Rock mas logo aceleram novamente resultando numa faixa interessante.

O título da próxima faixa também chama atenção pois "Destiny" é também o título de um álbum do Stratovarius mas na música em si não encontramos nenhuma semelhança a não ser, mais uma vez, a velocidade imposta pelos músicos.

Para fechar com chave de ouro, "Endless Power" que dá nome ao álbum chega para provar que os músicos têm toda essa energia, quem sabe não é oriunda da Usina Nuclear já mencionada?!?!

Como um todo, o trabalho não tem nada de original, mas não deixa de ser agradável e os amantes dos bumbos duplos devem dar uma conferida pois os encontrarão do inicio ao fim com muita propriedade.

Formação:
Jenick D. Lenkoff - vocal
W. Angel – guitarra
Alexander Zakharoff – guitarra
Alexander "KoSa" Kovalevsky – baixo
Sergei "At The Gates" Balalayev – Bateria
Timo Tolkki - Convidado, solo em "Ancient Winds"

Conquest – Endless Power
(2000 – Musical Hall)

1. Motherland (Overture) (02:50)
2. I've Seen You in My Dreams (03:58)
3. I'm Flying Back (04:15)
4. Angry Angel (04:19)
5. Winter Has Come (05:19)
6. Ancient Winds (03:46)
7. This World Law (05:26)
8. Before It's Done (03:24)
9. I Wanna Be with You (05:42)
10. The Last Sphinx (05:03)
11. Rock'n'Roll To Death (03:38)
12. Destiny (04:53)
13. Endless Power (05:06)

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Conquest"

MetallicaMetallica
Incrível cover de "Enter Sandman" gravado ao contrário

Iron MaidenIron Maiden
Bruce Dickinson diz não haver muito diálogo na banda

Mulheres e guitarrasMulheres e guitarras
As mais importantes segundo a Gibson

5000 acessosMike Portnoy: "Meu refrigerante favorito no Brasil"5000 acessosSlash: sem palavras após ouvir pequena guitarrista tocando Guns5000 acessosSlayer: o insistente uso de "Satan" e "Hell" por Tom Araya4101 acessos"Hoje é dia de rock, bebê": Christiane Torlone explica o bordão5000 acessosMetallica: banda foi triplamente sacaneada pelo Grammy3435 acessosLego: Capas de álbuns remontadas com blocos de brinquedo

Sobre Júlio Oliveira

Recifense, atualmente divide seu tempo entre trabalhar em Copenhague (Dinamarca) e morar/estudar em Malmö (Suécia). Começou a escutar Metal no início dos anos 90 com os companheiros do Colégio da Polícia Militar e desde então não parou mais, mas nunca se restringindo a um estilo, mas à qualidade da musica em questão. Resolveu começar a colaborar com o site depois de anos lendo as noticias trazidas por outros. "Tava na hora de eu dar minha colaboração também...".

Mais matérias de Júlio Oliveira no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online