Resenha - Ehre Der Großen Krieger - Schwarzwald

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Maurício Dehò
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 5

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O Schwarzwald ("Floresta Negra", em alemão) é uma banda que começou no fim de 2003, em Curitiba (PR), para se dedicar ao black metal. Na verdade, o trabalho todo é feito pelo auto-proclamado Dickbäuchig, que toca o projeto como uma “one-man-band” desde seu início. Em setembro de 2006, ele lançou seu primeiro mini CD (MCD), chamado “Ehre Der Großen Krieger” ("Honra do Grande Guerreiro", em alemão).
5000 acessosEm 20/08/2005: Iron Maiden é atacado com ovos no Ozzfest5000 acessosCinema: o melhor e o pior dos rockstars em filmes

O multi-instrumentista e vocalista resolveu trilhar solitário para ter liberdade de composições e idéias e o resultado foram cinco faixas em pouco mais de 24 minutos, lançadas pela Hass Records. Para dar um charme ainda maior à coisa, a primeira prensagem é de 200 cópias, numeradas à mão. Todas as músicas levam o nome do trabalho, apenas numeradas em seqüência, e foram compostas e executadas pelo mentor da banda, tratando de “Honra, Ódio e Guerra”.

Mas no que diz respeito à música, a coisa não é tão bonita e pomposa quanto parece à primeira vista. O MCD começa numa introdução demasiadamente longa e repetitiva, baseada num riff de guitarra simples e que poderia, numa solução fácil, ser tocado menos vezes. A intenção clara é apresentar o clima sombrio já mostrado desde a arte gráfica, também a cargo de Dickbäuchig. A capa é exatamente uma floresta negra e o encarte mostra o paranaense, um cara bem jovem, “cercado” de metralhadoras.

O black metal bem cru segue com a segunda faixa. O instrumental é bem gravado, com guitarras sobrepostas, mas um ponto muito ruim são os vocais. Como estão envolvidos pelos outros instrumentos, mal dá para falar da qualidade dos urros, tão menos entender em que língua são (claro que tudo levar a crer que, como todo o resto, é em alemão). Outro porém fica pela bateria, que é eletrônica e foi programada. Se o Schwarzwald é para ser uma “one-man-band”, era de se supor que Dickbäuchig também executasse (e não programasse) as partes de bateria. A qualidade fica bastante prejudicada e as batidas pouco mudam durante todo o disco.

A próxima música, iniciada com sons de guerra, tem riffs em geral criativos, bem característicos do black metal, assim como a quarta parte de “Ehre Der Großen Krieger”. Mas o vocal segue baixo. Para encerrar, um “Outro” que segue na linha da introdução: riff simples, cadenciado, repetido à exaustão. E encerrado com uma barulheira que, na verdade, não se parece com nada.

O que se percebe desta horda de um só é qualidade quando o assunto são os riffs, mas que falta em outros elementos como na composição, para enxugar repetições exageradas, e na produção dos vocais, quase inaudíveis. Falta também variar um pouco, já que as músicas são bem parecidas. Tudo bem que a idéia da “one-man-band” é legal, mas uma em que a bateria é eletrônica não é tão interessante. Mesmo assim, a intenção vale e que o próximo trabalho supere este primeiro mini CD.

Ehre Der Großen Krieger (2006) / Hass Records

1. Ehre Der Großen Krieger Teil I
2. Ehre Der Großen Krieger Teil II
3. Ehre Der Großen Krieger Teil III
4. Ehre Der Großen Krieger Teil IV
5. Ehre Der Großen Krieger Teil V

Dickbäuchig – todos os instrumentos e vocais

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Schwarzwald"

Em 20/08/2005Em 20/08/2005
Iron Maiden é atacado com ovos no Ozzfest

CinemaCinema
O melhor e o pior dos rockstars em filmes

Os TrapalhõesOs Trapalhões
Uma homenagem ao Heavy Metal em 1985

5000 acessosBeatles: Quais as pessoas e objetos da capa do Sgt. Peppers?5000 acessosAs regras do Prog Metal5000 acessosSlayer: fãs hardcore dão (literalmente) o sangue pela banda5000 acessosThe Big 4: como as quatro bandas elaboraram sua jam5000 acessosUruca: Os 9 mais azarados da história do Rock5000 acessosLed Zeppelin: 200 milhões nos últimos 5 anos, a coleção de discos de Page

Sobre Maurício Dehò

Nascido em 1986, é mais um "maidenmaníaco". Iniciou-se no metal ao som da chuva e dos sinos de "Black Sabbath", aos 11 anos, em Jundiaí/SP. Hoje morando em São Paulo, formou-se em jornalismo pela PUC e é repórter de esportes, sem deixar de lado o amor pela música (e tentando fazer dela um segundo emprego!). Desde meados de 2007, também colabora para a Roadie Crew. Tratando-se do duo rock/metal, é eclético, ouvindo do hard rock ao metal mais extremo: Maiden, Sabbath, Kiss, Bon Jovi, Sepultura, Dimmu Borgir, Megadeth, Slayer e muitas, muitas outras. E é de um quarteto básico que espera viver: jornalismo, esporte, música e amor (da eterna namorada Carol).

Mais matérias de Maurício Dehò no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online