Pain of Salvation: Grande acerto na carreira impecável da banda

Resenha - In the Passing Light of Day - Pain of Salvation

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Marcio Machado
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Mostrando o porque de ainda ser um dos nomes mais lembrados ao se falar em Prog Metal, o Pain Of Salvation crava mais uma estaca na sua história com o novo petardo, "In The Passing Light of Day", disco que traz um lado que vinha sendo deixado de canto, o lado mais pesado e complexo, trazendo novos ares, mas sem perder identidade e passeando por elementos de toda sua discografia.

Mike Portnoy: vídeo profissional de estreia do Shattered FortressRandy Rhoads: "devastado" quando viu Van Halen na guitarra

Imagem

Afastado de material novo há alguns anos, e depois de passar uma experiência de quase morte após uma grave infecção, Daniel Gildenlow resolveu contar um pouco disso num disco que fala sobre, estar em um leito de hospital, transgressões, e a esperança de um novo dia, pois está é o foco do todo, a esperança tem que ficar, segundo as palavras do próprio. Unindo-se ao produtor, Daniel Bergstrand, que já trabalhou com nomes bem pesados, como o Meshuggah, o novo disco traz tudo que os fãs dos suecos esperam, melodias, quebradas, peso, e intensidade nos temas pessoais do vocalista.

Sem perder tempo, o espetáculo já abre com "On a Tuesday", peso e compassos intrincados, cheio de quebradas e o peso das guitarras, e já notamos de cara, que dessa vez a banda optou por uma timbragem mais seca dos instrumentos, essa bateria tá foda hein Léo Margarit, que além de criar tempos que nos deixam loucos ao ouvir, ainda empresta a voz em várias passagens no decorrer do disco, mas retornando à faixa,é um começo um tanto quanto "grande", pois em seus 10 minutos, já sentimos todo aquele sentimento a flor da pele visto em "Remedy Lane", e que ótimo começo esse.

"Tongue of God", uma das melhores do disco, vem com um pé no industrial, traz um começo extremamente pesado, e traz um refrão que pega fácil, algumas ouvidas e já nos viciamos, e vale ressaltar o vocal de Daniel aqui, que traz um tom mais raivoso, com uma puta presença, dando corpo e força a canção, que trata sobre estar morrendo na cama de um hospital, e abrindo caminho ao primeiro single desse trabalho, "Meanigless", faixa que começa mais barulhenta, e se acalma em seus versos, para chegar a um refrão dividido por Ragnar Zolberg, que além de um ótimo guitarrista, é um cantor excepcional e sua voz se impõe aqui, fazendo contra ponto a do chefe.

E como não poderia deixar de ser em um disco dos caras, a calmaria chega com "Silent Gold", faixa gostosa de se ouvir, embalada com piano e voz em seus primeiros momentos, é a música perfeita para se ouvir na cama antes do sono, mas isso logo fica pra trás, logo nos primeiros acordes de "Full Throttle Tribe", faixa que lembra a sonoridade aplicada em "Be", e também escolhida para o comercial do disco meses atrás, quando o mesmo foi anunciado. Mais uma pra causar nó na cabeça do ouvinte, com tempos "estranhos", principalmente em seus 4:30, onde surge uma passagem extremamente complexa de todos os instrumentos, e seu final vai causar dores de pescoço aos ouvintes.

"Reasons", faixa também já conhecida do público e que já tem seu vídeo circulando, traz o pique do final da faixa anterior com peso e levadas bem quebradas, e com Ragnar tendo mais presença como vocalista, e é uma que certamente nos shows fará os membros da banda se agitarem bastante, já que a presença de palco dos mesmo é bem agitada.

Às coisas se acalmam um pouco em, "Angeles of Broken Things", que tem uma levada um pouco mais morna, até descambar em uma parte instrumental onde cada integrante extrapola suas técnicas em cada instrumentos, lindo de se ouvir, só senti falta de um baixo um pouco mais presente ali, mas nada que fique martelando sobre.

Caminhando para seu quase fim, chegamos em "The Taming of Beast", a faixa mais radiofônica do disco todo, poderia numa boa tocar em rádios ou estar em algum filme, não vendo isso como algo ruim, muito pelo contrário, foi a música que mais me cativou no disco todo, com um refrão chiclete, que vai sendo guiado por um crescendo e um Daniel impondo sua voz, e aqui sim, vemos um baixo com força. Pode agradar facilmente quem não gostar do estilo, e causar efeito contrário em alguns fãs mais ardorosos, mas como disse, em meu caso, entrou no repeat de primeira, ótima!

"If This is the End", tem seu começo mais calmo, e vem questionar sobre como seria aceitar o final da vida, numa música que vai acontecendo num crescendo, até chegar em seu final caótico, cheio de fúria e alguns trechos que fazem lembrar "Ending Theme", e também funciona como prelúdio para a faixa final... A faixa título encerra o disco de forma apoteótica, e certamente encerrará os shows da banda ganhando aplausos de pé, a melodia vista aqui é espetacular, realmente parece uma transição como proposto em sua letra, mesmo seu momento de mais euforia, sentimos uma paz vinda da canção, onde um ser tenta se encontrar. Forma esplendorosa de terminar mais um espetáculo de alto nível, e que irá ficar na mente por um tempo, mesmo após seu final.

Difícil dissertar sobre um álbum desse porte, deixando aqui somente um breve resumo do que se trata, o total só será sentido quando ouvido, mas sem dúvidas, um grande acerto na carreira impecável do PoS.

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de In the Passing Light of Day - Pain of Salvation

Pain of Salvation: O auge criativo de uma carreira desconcertantePain of Salvation: O melhor álbum da banda em 15 anos...Pain of Salvation: Bacana, mas longe de ser um clássico

Mike Portnoy: vídeo profissional de estreia do Shattered FortressPain of Salvation: O auge criativo de uma carreira desconcertantePain Of Salvation: entrevista com Ragnar ZolbergPain of Salvation: novo álbum é lançado no BrasilPain of Salvation: O melhor álbum da banda em 15 anos...Pain of Salvation: Bacana, mas longe de ser um clássicoTodas as matérias e notícias sobre "Pain Of Salvation"

Prog Metal
Os 10 discos essenciais segundo o TeamRock

Metal Progressivo
Os melhores álbuns do estilo segundo o About.com

Arte Gráfica
Designer brasileiro cria versões para clássicos

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Pain Of Salvation"

Randy Rhoads
"Devastado" quando viu Van Halen na guitarra

Marilyn Manson
Respondendo fãs na Bizarre Magazine

Dave Mustaine
"Quem disser que o Megadeth não sou eu é um tolo!"

Metallica: Dave Mustaine resenha o "Hardwired... To Self-Destruct"Matt Sorum: músico se posiciona contra James HetfieldAquiles Priester: os álbuns que marcaram o bateristaAvenged Sevenfold e Metallica: a semelhança entre "This Means War" e "Sad But True"Motorhead: a opinião de Lemmy sobre Viagra, Hendrix e velhiceQuadradinho de oito hardcore no show do Dead Fish

Sobre Marcio Machado

Estudante de história, apaixonado por cinema e o bom rock, fã de Korn, Dream Theater e Alice in Chains. Metido a escritor e crítico.

Mais matérias de Marcio Machado no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online