Resenha - Super Collider - Megadeth

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Resenha - Super Collider - Megadeth


  | Comentários:

Fãs que terão a honra de assistir a banda em sua nova passagem pelo país, certamente pedirão canções dos discos clássicos. Super Collider pode ficar pra depois.

Nota: 6

O texto representa a opinião do autor, não do Whiplash.Net ou de seus editores.

Imagem
Quando a gente fala de Megadeth não podemos ignorar a guerra eterna com seu maior “oponente”: Metallica. Também não podemos esquecer que parte da célula metallica foi formada graças ao dna de Dave Mustaine, guitarrista de proeminente talento nas seis cordas e que sempre faz fãs de rock caírem seus queixos mediante suas frases e riffs.

A gente pode se perguntar: o que faltou ao Megadeth para alcançar o topo da música pesada assim como fez o Metallica?

Se voltarmos no tempo ambos possuem discos classificados como “comerciais”. O Metallica, o famosíssimo Black Album (1991), que empurrou ouvido a dentro – de quem queria e não – as canções super produzidas do quarteto. Enter Sandman, Nothing Else Matters, Wherever I May Roam… Você teve a oportunidade de ver até o tiozinho da esquina assob(v)iando The Unforgiven. O Megadeth teve um disco com quase a mesma proposta; Youthnasia saiu no final de 1994 (em outubro) com uma mixagem limpa, som encorpado e com músicas de fácil assimilação. A Tout Le Monde, The Killing Road (e seu riff matador), Train of Consequences, Blood of Heroes… O fã pode escolher de olhos fechados e ter muitas dúvidas sobre qual é a melhor faixa do disco.

… Mas as semelhanças param por aí.

Se o Metallica se aventuraria a fazer discos pesados sem a punch thrash (caso de Load, ReLoad e o sei-la-o-que St. Anger), o Megadeth continuaria apostando no peso, nos discos de crítica acentuada à política mundial (especialmente americana) e numa honrosa segunda colocação de banda mais querida pelos amantes de músicos de boa técnica.

Durante a audição de Super Collider (2013), o décimo quarto disco de estúdio da banda americana, fico pensando se não seria muito tarde para pensar em mudar o som nativo da banda, mesmo que, reconheça, devido às alterações na formação, o Megadeth já tenha tido parte da sua identidade comprometida. A questão é que a música não surpreende e pior, não nos faz acreditar que Mustaine vá até um lugar diferente que já tenha visitado musicalmente.

Acredito que canções como Off The Edge até soem mais pesadas nos estádios que a banda se apresentar, mas me parece que falta um pouco mais de beleza na música do grupo. Aquela notável diferença entre a velocidade e o sentimento. Parece que cada frase musical, a ternura de um arpejo passa despercebido mediante a urgência em parecer absurdamente assustador.

A banda não segue um caminho repetido mas ao mesmo tempo não se re-inventa. Soa mais direta mas não consegue criar ótimas melodias como no clássico So Far, So Good… So What! Parece que desistiu mesmo de ir atrás de Hetfield e companhia e agora compõe um som cada dia menos envolvido com sua matéria primária. Há ótimas ideias e levadas durante as canções mas tenho a impressão de que qualquer banda poderia fazer o que a banda acaba de lançar. O grande problema é que eu e você sabemos que o Megadeth não é uma banda qualquer.

O peso está lá, como Beginning of Sorrow, mas uma pá de banda soaria pesada (ou mais) fazendo uso da mesma proposta sonora. Não sei o leitor do PTV mas quando escuto um novo disco de uma banda “de catigoria” vou em busca que ele mude minha vida e não me faça pensar quantas músicas faltam para que o cd parar de rodar como na faixa Forget To Remember. Em Don´t Turn Your Back… temos o Megadeth com sua sujeira, peso, linhas agressivas e demolidoras mas me parece que o tom do disco é mais rock and roll do que propriamente o tipo de som que aprendemos a admirar no Megadeth.

Pode ser que você não seja tão rigoroso quanto quem escreve esta resenha e o disco caia como uma luva para suas pretensões de “sons novos”. Infelizmente a impressão que eu tenho ao final de Super Collider é que o Megadeth não é mais o mesmo e isso não é nada bom.

01 – Kingmaker
02 – Super Collider
03 – Burn!
04 – Built For War
05 – Off The Edge
06 – Dance In The Rain
07 – Beginning of Sorrow
08 – The Blackest Crow
09 – Forget to Remember
10 – Don´t Turn Your Back…
11 – Cold Sweat

@Pipoca_TV
@dcostajunior

Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.

Outras resenhas de Super Collider - Megadeth

Megadeth: Nem de longe tão ruim quanto dizem
Megadeth: Reciclando ideias sem parecer forçado
Megadeth: novo álbum traz banda coesa e canções autorais
Megadeth: banda faz um disco de rock para quem gosta de música
Megadeth: teria Mustaine lançado o seu "Load/Reload"?
Megadeth: criativo e inovador em alguns momentos
Megadeth: Mustaine ainda é um dos músicos mais relevantes da cena


  | Comentários:

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs
Todas as matérias sobre "Megadeth"

Megadeth: Ellefson fala sobre drogas e álcool a estudantes
David Ellefson: falando sobre drogas com adolescentes dos EUA
Guitar World: 11 Álbuns Essenciais do Thrash Metal
Megadeth: promovendo o "Youthanasia" no David Letterman
Orion: "Somos nós ou o Behemoth nessa turnê", disse Mustaine
E Se...: Sua banda favorita mudasse de gênero musical?
Megadeth: temas de filmes e desenhos que talvez você não conheça
Megadeth: ouça "Anarchy In The UK" com Axl Rose e Lars Ulrich
Shawn Drover: a indústria de discos está se tornando passado
Megadeth: Vinícola Mustaine, o Metal é clássico!
Dave Mustaine: lançando o vinho "Symphony Interrupted"
Megadeth: como teria sido o teste de Pepeu Gomes para a banda?
Metal All-Stars: baterista Nick Menza está fora da turnê
Dave Mustaine: difícil ser anarquista com um Mercedes na garagem
Altitudes & Attitude: projeto de David Ellefson e Frank Bello

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Daniel Junior

Daniel Junior, editor chefe do PipocaTV, administrador do Aliterasom e colaborador do Leitura Esportiva. Ama séries de tv, rock e tecnologia. Colaborador do site Whiplash desde 2009.

Mais matérias de Daniel Junior no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas