RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas


Summer Breeze 2024

Rock in Rio: 10 Motivos que o transformam num evento satisfatório

Por Júlio Verdi
Fonte: Rock Opinion
Postado em 28 de setembro de 2013

O nome "Rock" consta no batismo do evento, que aconteceu no Brasil pela primeira vez em 1985. Por isso existe muita indignação dos fãs de rock pela presença de artistas de outros estilos em alguns dias do festival. Mas esqueçamos os interesses de mídia, gravadoras, etc. Afinal, pra quem anuncia (investe milhões em publicidade) tem muito interesse em ter artistas populares no evento.

1) Dos três grandes shows de headliners TODOS eram de rock: Metallica, Bruce Springsteen e Iron Maiden

2) Dos headliners comentados, dois eram de heavy metal, um estilo que mais sofre ojeriza e rejeição, mesmo dentro de consumidores do mercado rock em geral.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

3) O Metallica, que já havia brilhado em 2011 (na edição desse mesmo evento) é essencialmente uma banda de thrash metal (foi o que constou no último disco da banda, "Death Magnetic"), um dos estilos mais agressivos de rock. Mesmo que tenha caído nas graças do mundo da música popular com o disco "Metallica", de 1991, a aura de seu show é de músicas rápidas e pesadas. E ainda tivemos a deliciosa agressão sonora do Slayer no Palco Mundo. Jamais os conhecedores da música pesada imaginariam tal atração em frente a 80 mil pessoas num festival deste tipo.

4) O Iron Maiden brilhou como sempre, em sua terceira aparição neste festival. Uma das bandas mais adoradas no Brasil. Com um show especial (turnê de 25 anos do disco "Seventh Son of a Seventh Son").

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

5) Shows de nomes como Alice in Chains, Bon Jovi, Muse e Robie Zombie, por mais que dividam opiniões, agradaram suas plateias e fizeram shows com muita energia. Novidades como Philips Philips e Ben Harper, fizeram shows tecnicamente irrepreensíveis.

6) O palco Sunset, muito criticado pela estrutura na edição anterior, esse ano foi essencial e apresentou shows memoráveis. Sepultura é uma banda que divide opiniões, os antigos acham que estão perdidos e forçados, os mais novos acharam interessante essa parceria com nomes como Zé Ramalho. Mas, mesmo repetindo uma fórmula já explorada na última edição (Tambours Du Bronx), trouxe as tradicionais performances competentes e fez a alegria da massa headbanger.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3

7) Nunca se imaginaria que bandas como Slayer, Helloween, Destruction, Sebastian Bach, Offspring tocariam algum dia num evento de apelo popular como o Rock in Rio.

8) Bandas nacionais, sempre relegadas ao circuito undeground em que pese sua história, competência e criação musical, tiveram sua chance. Nomes como Almah, Hibria, Viper, André Matos, Krisiun e Dr. Sin fizeram set excelentes (alguns tiveram performances espetaculares). Em outros tempos quem ocuparia este espaço seriam bandas de emocore, pop-rock ou hardcore melódico. Não esqueçamos que nomes fortes de TV e mídia como Cachorro Grande, Restart, CPM22, Fresno, Los Hermanos, Pitty, O Rappa, Raimundos, RPM são muito mais conhecidos na mídia e foram preteridos por bandas de hard e metal. Isso, a meu ver, é uma amostra da força que estes estilos têm entre os consumidores de rock. E quem atua na mídia de show business deve ter percebido isso (o público do Sunset do domingo foi o maior do festival).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 4

9) Claro que todo fã de rock teria uma sugestão diferente de cast, para qualquer dia. Muitos se incomodam com presença de nomes como Ivete Sangalo ou Beyonce. Mas, como eu falei em alguns comentários anteriores, pensemos que o festival tivesse outro nome, "Rio Music Festival", por exemplo, que traz durante três ou quatro dias grandes shows de rock. E hoje, com a presença de canais fechados de TV, em quase toda residência, temos a chance de assistir o festival praticamente na íntegra, pra quem não teve a chance de estar lá presente. Se não existisse o Rock in Rio, mesmo com artistas de outros estilos em sua escalação, grandes de bandas de rock não estariam sendo comentadas ou expostas. Mais de uma dezena de bons e memoráveis shows numa só semana.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 5

10) Não se sabe que, daqui a 15 anos, quando não mais estiverem em atividades nomes como McCartney, AC/DC, U2, Kiss, Van Halen, Maiden, Metallica, Stones, Guns N’Roses, Rush e outros (nomes que lotam estádios sozinhos e sempre serão headliners), quais serão os grandes artistas cotados a fechar megaeventos como o Rock in Rio. Mas isso será futuro, por hoje vimos alguns destes nomes fazerem shows no ápice de suas formas, sem soar caóticos ou cheirando naftalina decadente.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 6
Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Rockeiro é Burro?

O Heavy Metal nos Limites da Simples Filosofia - Parte I

Vai-e-vem do mercado: o troca-troca entre Bad Religion e Avenged Sevenfold

Ghost: entendendo a banda de acordo com as críticas mais comuns


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Júlio Verdi

Júlio Verdi, 45 anos, consome rock desde 1981. Já manteve coluna de rock em jornal até 1996, com diversas entrevistas e resenhas. Mantém blogs sobre rock (Ready to Rock e Rock Opinion) e colabora com alguns sites. Em 2013 lançou o livro ¨A HISTÓRIA DO ROCK DE RIO PRETO¨, capa dura, 856 páginas, trazendo 50 de história do estilo na cidade de São José do Rio Preto/SP, com centenas de fotos, mais de 250 bandas, estúdios, bares, lojas, festivais e muitos outros eventos. Curte rock de todas as tendências, em especial heavy metal e thrash metal.
Mais matérias de Júlio Verdi.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS