Joy Division: casa de Ian Curtis será transformada em museu

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Danilo F. Nascimento, Fonte: Rolling Stone, Tradução
Enviar Correções  

O culto ao nome de Ian Curtis, líder de uma das bandas mais promissoras do cenário pós-punk britânico dos anos 70 e 80 - o Joy Division - é algo digno de menção.

Joy Division: A história da banda, segundo Peter Hook (vídeo)Corey Talor: "Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otário"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Curtis foi um jovem tímido, com um considerável senso poético e dono de uma mente atormentada. Formou o Joy Division em 1976, ao lado Bernard Sumner, Peter Hook e Stephen Morris, banda que liderou até 1980, quando cometeu suicídio, aos 23 anos de idade.

Desde então, seu legado, principalmente na Inglaterra, tornou-se algo imensurável. Os jovens britânicos identificam-se, assiduamente, com as suas letras e mensagens até os dias de hoje, algo semelhante ao que ocorre nos Estados Unidos com Kurt Cobain, em relação aos jovens dos anos 90.

E um desses jovens, realizou o sonho de qualquer fã de Curtis, possuir algo do ídolo: Comprar a casa do astro!

Hadar Goldman é músico, empreendedor e fã do Joy Division desde a sua juventude. Comprou a casa que Curtis viveu, em Macclesfield, pela bagatela de £115 mil, algo em torno de US$ 180 mil.

Mas antes de Goldman adquirir o imóvel, alguns fãs reuniram-se em tentativa - frustrada - de levantar fundos para comprar a casa e transformá-la em um museu, em homenagem à memória de Ian Curtis.

Sensibilizado com o ocorrido, o próprio Goldman se disponibilizou à transformar a casa em um museu. O empresário disse:

"Por mais dinheiro que eu tenha pago pela casa, me sinto na obrigação de me envolver neste projeto dos fãs, especialmente ao saber que falharam na tentativa de conseguir dinheiro para o museu. Veja bem, eu também sou um fã, Curtis foi um herói da minha infância."

Goldman continua:

"Quando chegar a hora certa, irei coletar ideias de todo e qualquer fã interessado no projeto. Estaremos comemorando uma parte extremamente significativa da história da música. Então, sim, mais cedo ou mais tarde, o museu sairá do papel."

O imóvel de dois quartos – localizado no número 77 da rua Barton, na pequena cidade inglesa de Macclesfield – serviu de locação para a cinebiografia de Curtis, Control, em 2007. O local mantém muitas lendas por ter sido onde o músico se suicidou.

Os ex-companheiros de banda de Ian Curtis externaram diferentes tipos de reações em relação a ideia do Museu.

Bernard Sumner, líder do New Order e ex-guitarrista do Joy Division, afirmou não concordar com a ideia.

"Aquela casa é um lugar muito triste. Não é exatamente o lugar que eu gostaria de visitar. Não sei se fazer um museu lá é uma boa ideia."

Peter Hook, ex-baixista do Joy Division, têm uma opinião diferente de seu ex-companheiro e atual desafeto:

"Ian deixou um legado fantástico em todo mundo. Influenciou tanta gente em todo mundo, então eu acho que seria uma boa ideia transformar aquele lugar em um museu."




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Joy Division: A história da banda, segundo Peter Hook (vídeo)

Pré-Clube dos 27: 10 astros do rock que morreram antes dos 27 anosPré-Clube dos 27
10 astros do rock que morreram antes dos 27 anos

Gigwise: site elege os 69 melhores vocalistas da históriaGigwise
Site elege os 69 melhores vocalistas da história


Corey Talor: Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otárioCorey Talor
"Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otário"

Kerrang!: os 100 melhores álbuns de Rock em lista da revistaKerrang!
Os 100 melhores álbuns de Rock em lista da revista


Sobre Danilo F. Nascimento

Administrador por casualidade. Músico por instinto. Escritor por devaneio. Fascinado por música, literatura e cinema. Seu primeiro contato com o mundo do rock data de meados dos anos 90, uma época de transição entre o analógico e o digital, e, principalmente, uma época onde a MTV ainda era aprazível e relevante. Idolatra e cultua o legado instituído pela maior banda de todos os tempos, o Queen.

Mais matérias de Danilo F. Nascimento no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor