Deep Purple: eles ainda têm muito para fazer pela música

Resenha - Now What?! - Deep Purple

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Falar da importância do DEEP PURPLE para a música pesada em geral é ficar chovendo no molhado, pois mesmo diante dos vários problemas pelos quais a banda passou ao longo de sua carreira, em especial em relação à saída de alguns de seus principais integrantes, o fato é que a banda sempre se manteve relevante, e completando 45 (!!!) anos de carreira, ainda tem fôlego para colocar no mercado um novo disco de inéditas!
771 acessosBanda dos sonhos: qual seria a sua?5000 acessosKiss: as 10 músicas mais "demoníacas" da banda

Confesso que, já há algum tempo, deixei de acompanhar a carreira mais recente da banda. Assim, ao receber o promo desse novo disco, não criei grandes expectativas. Porém, para minha surpresa, “Now What?!” se mostrou um excelente registro, o melhor da banda em anos, e provando que Ian Gillan e seus comparsas ainda têm muito para fazer pela música.

Mas não adianta o ouvinte vir com toda a sede do mundo ao pote, esperando por outro clássico absoluto como “Machine Head”, por exemplo, até porque os tempos são outros, a banda mudou, e está em uma fase menos “furiosa”, mas mais introspectiva.

Assim, o que faz de “Now What?!” um ótimo disco é a capacidade dos músicos de criarem boas músicas, com grandes melodias e arranjos belíssimos, fazendo aquela união de hard e classic rock com blues e até algo de metal tradicional de forma bem orgânica e intensa, e até trazendo um outro lado mais progressivo e viajado.

Um dos destaques do álbum, Steve Morse mostra todo seu talento nas seis cordas, com riffs muito inspirados, e solos bem encaixados e repletos de melodias marcantes. Já Don Airey forjou alguns de seus melhores arranjos desde que entrou na banda, seja na utilização do famoso órgão hammond, seja nos momentos mais sinfônicos e bombásticos (ouça “Weiirdstan” e “Uncommon Man” - em que o instrumental em certos momentos lembras as cornetas aclamando a chegada de um rei - e comprove).

Ian Gillan também dá uma aula de competência, colocando-se dentro de suas limitações atuais, sem exageros, com interpretações dignas de sua história dentro da música pesada.

Algumas faixas mais diretas e marcantes, como “Hell to Pay” e “Après Vous” até remetem à fase intermediária da banda, mas é nos momentos mais diversificados, como em “Out of Hand” (bem pesada e com ótimos toques de blues), “Blood from a Stone” (viajada e intimista) e “Vincent Pride” (com riffs hipnóticos de Morse, e Ian mostrando todo seu talento), que a banda realmente se destaque e mostra toda a sua força de sua atual formação.

A produção do material também é excelente e contribui muito para a qualidade final das faixas, graças ao trabalho do produtor Bob Ezrin, famoso por trabalhar com artistas como ALICE COOPER, PINK FLOYD E KISS, dentre outros..

Além disso, o álbum é dedicado ao saudoso mestre John Lord, que nos deixou à pouco tempo, mas que ficou marcado na história da música como um de seus maiores gênios, sem sombra de dúvida.

E vale citar que, além da versão simples do disco, a Hellion Records também está lançando a versão digipack com uma faixa bônus (a ótima “It II be Me”, um “bluesão” da melhor qualidade) e um DVD. Corra já atrás do seu, pois sem dúvida vale cada centavo da aquisição! Agora é torcer para o PURPLE seguir ativo, nos trazendo sempre lançamentos dessa qualidade, pois nossos ouvidos agradecem!

Now What?! – Deep Purple
(2013 –Hellion Records - Nacional)

Formação:
Ian Gillan - Vocals
Ian Paice - Drums, Percussion
Roger Glover - Bass, Vocals
Steve Morse - Guitars, Vocals
Don Airey - Keyboards

Track List:

1. A Simple Song
2. Weirdistan
3. Out of Hand
4. Hell to Pay
5. Body Line
6. Above and Beyond
7. Blood from a Stone
8. Uncommon Man
9. Après Vous
10. All the Time in the World
11. Vincent Price

Bonus Track:
12. It ll Be Me

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Now What?! - Deep Purple

5000 acessosDeep Purple: um bom disco, mas um tanto preguiçoso5000 acessosDeep Purple: impecável e digno de imitação nos dias atuais2550 acessosDeep Purple: Steve Morse e Don Airey se destacam em "Now What?!"2686 acessosDeep Purple: banda volta aos holofotes com um novo disco5000 acessosDeep Purple: Não seja idiota de comparar Now What!? aos clássicos3206 acessosDeep Purple: um álbum sólido com excelentes pormenores técnicos5000 acessosDeep Purple: canções lentas, solos e riffs perdidos

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MetallicaMetallica
Lars Ulrich e suas influências na bateria

771 acessosBanda dos sonhos: qual seria a sua?436 acessosLoudwire: em vídeo, 10 maiores riffs de metal dos anos setenta696 acessosDeep Purple: a história de "Smoke On The Water"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Deep Purple"

Dream TheaterDream Theater
Petrucci revela sua maior influência na guitarra

Deep PurpleDeep Purple
Ian Gillan indignado por ausência de Morse e Airey

Deep PurpleDeep Purple
Melhoramos muito quando paramos de tocar alto

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Deep Purple"

KissKiss
As 10 músicas mais "demoníacas" da banda

Heavy MetalHeavy Metal
Os 11 melhores álbuns dos anos 2000 segundo o Loudwire

Led ZeppelinLed Zeppelin
Perguntas e respostas e curiosidades

5000 acessosPhotoshop: Luan Morrison, Ivete Osbourne, Axl Teló e mais5000 acessosHelter Skelter: a música que Charles Manson "roubou" dos Beatles5000 acessosBullet For My Valentine: vocal detonou Guns em turnê5000 acessosRock in Rio: Alcione ensina Axl Rose a cantar "O Sooooollll"5000 acessosChris Cornell: esposa escreve emocionante carta de despedida4933 acessosPaul Di'Anno: Steve Harris não aceitou muitas de minhas canções

Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online