Resenha - Great Excuse To Domination - Clawn

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Foram apenas nove meses de inatividade, mas cinco anos para um novo trabalho, para, felizmente, a banda Clawn, originária de Botucatu/SP, retornar as atividades e logo nos brindar com esse primor de trabalho que representa da melhor forma possível o Brutal Death Metal.

Rock Progressivo: as 25 melhores músicas de todos os temposLinkin Park: 20 coisas que você não sabe sobre a banda

Sucessor, do não menos qualificado "Deathless Beauty Of The Silence" (2006), "The Great Excuse To Domination" tem como grande diferencial a experiência da banda adquirida ao longo dos anos.

Logo de cara "Hateful Rendemption" já mostra que a banda não perdeu o pique durante esse hiato, pois a faixa demonstra uma energia insana aliada a uma coesão absurda. O principal diferencial do grupo que alterna vocais guturais (feitos pelo baixista Rodolfo Carrega) com vocais rasgados (a cargo do guitarrista Fábio Regina) já é evidenciado nesta composição, que ainda conta com um riff final de dar arrepios!

"Religious Plague", música de trabalho da banda e que já conta com um vídeo clipe (ver mais abaixo), foi a escolha certa para tal. Trata-se de uma composição que contém todos os elementos necessários. Riffs brutais, cozinha técnica e pesada, além de blasts beats bem encaixados. Aliás, o batera Pedro Corrêa é excelente.

Em "Last Hours Of Humanity" já se percebe influências de Extreme Noise Terror e Ratos de Porão, principalmente nos riffs, mostrando que a banda não se limita a um só gênero do Metal Extremo. "Sinner" já vinha sendo apresentada ao vivo pela banda, e quem pôde acompanhar a banda em seus shows, viu o potencial dessa faixa, que possui um refrão marcante e levada rápida e seca.

"Cursed Iheritance" possui um bom arranjo, com boas linhas de baixo e mais uma mostra da grande técnica do batera Pedro. "Oblivion" fecha o trabalho de forma épica, sem deixar dúvidas sobre a qualidade do disco. Com muita variação rítmica, incursão de passagens de violão e teclados, tudo na medida certa, mostra realmente que a técnica e talento da Clawn são incontestáveis.

A produção do disco, feita por Rodrigo 'Puxado' Pinheiro no S/A Studio, na cidade natal da banda, lapidou bem o som da banda, assim como o grande trabalho gráfico, a cargo de Fernando Lima (também vocalista do Drowned), que vem despontando no ramo. As cores e a arte da capa casaram perfeitamente com o som da banda. "The Great Excuse To Domination" entra definitivamente para o hall de um dos melhores discos de Brutal Death Metal feito no Brasil!


Outras resenhas de Great Excuse To Domination - Clawn

Clawn: Uma agressividade absurda aos ouvidos humanos




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Clawn"


Rock Progressivo: as 25 melhores músicas de todos os temposRock Progressivo
As 25 melhores músicas de todos os tempos

Linkin Park: 20 coisas que você não sabe sobre a bandaLinkin Park
20 coisas que você não sabe sobre a banda

Manowar: o dia em que a banda arregou pro Twisted SisterManowar
O dia em que a banda arregou pro Twisted Sister

Curiosidade: artistas que odeiam suas próprias músicasHall Of Fame: 500 Músicas Que Marcaram o Rock and RollScorpions: foto inédita da bandaRolling Stones: camarote de Keith Richards no Morumbi fica na sala antidoping

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.