Resenha - A-Sides - Soundgarden

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Carlos Frederico
Enviar Correções  

9

Uma compilação dos singles lançados pelo Soundgarden, o "Black Sabbath dos anos 80 e 90".

Faixas:

1) Nothing To Say (de 1987): guitarra pesada e lenta, vocais angustiados e marcantes, riffs "sabáticos" que poderiam ter saído de Cornucopia (Vol4),ou de Into The Void (Master Of Reality),bateria precisa. Angustiada, e bastante incômoda (no bom sentido).

publicidade

2) Flower (1988): No início, bateria e guitarra fluidas, depois riffs clássicos de Hard Rock e vocais macabros. O baixo e dedilhado com maestria no meio da música. Possante.

3) Loud Love (1989): Antológica. Poderia ser, sem duvida, uma (ótima) canção do Sabbath. O inicio, com uma sirene (de verdade),aumentando ate que entra A OUTRA SIRENE, Chris Cornell (não é a toa que Bruce Dickinson o elogiou). Riffs clássicos de Hard, rolos de bateria precisos e na hora certa, combinando peso e intensidade com maestria. O destaque vai para os vocais ultra-intensos de Chris Cornell e para os riffs "Iommicos" de Kim Thayil.

publicidade

4) Hands All Over (1989): Uma das faixas mais típicas do Soundgarden. Riffs Hard bem colocados e algo angustiados, cadenciados, vocais a beira do explosão de Chris Cornell, dando sempre a impressão de poderem explodir a qualquer hora, mas contidos, baixo, batera e guitarra formando uma massa compacta. Boa musica.

5) Get On The Snake (1989): Já começa no talo, com uma guitarra galopante e com a oscilação sirene-angustia-intensidade dos vocais. Viradas de bateria excepcionais, rapidez(!) e peso sempre sem entediar o ouvinte. Um clássico imediato do Hard Rock. Tem algo de Guns N Roses (Right Next Door, Double Talking Jive), só que com vocais melhores, e lançada um ano antes.

publicidade

6) Jesus Christ Pose (1991): Uma canção Heavy perturbadora, sombria, muito pesada, com pitadas de Death Metal. Pelo título parece uma canção satânica, mas a letra fala, sim, de angustia existencial. O clip dessa canção e tão perturbador quanto a própria musica.

7) Outshined (1991): Um paradoxo: uma música que fala sobre ressaca, e é extremamente revigorante. Magnífica. O clássico dos clássicos da banda. Hard lentaço, com especial cuidado nos riffs de guitarra. Chris Cornell vai do inconformismo ressacado ao lamento mais arrepiante, mostrando porque "A Sirene" disse que o melhor vocalista do mundo "era o do Soundgarden". O solo, com vocal excepcional, e de comover.

publicidade

8) Rusty Cage (1991): Musica rápida, riffs simples, cuja letra fala sobre o indivíduo se libertar da opressão da sociedade (a "jaula enferrujada" do titulo).Destaque absoluto para Chris Cornell. O solo é muito interessante e quando chega a uma parte ultra-lenta é impossível não se pensar em Black Sabbath.

9) Spoonman (1994): Hard mais leve, possibilitando maior destaque para a bateria. Algumas partes vocais são feitas pelo baixista Ben Shephard com "vocoder". A letra fala de um artista de Seattle que faz musicas apenas com colheres(!!!).

publicidade

10) The Day I've Tried To Live (1994): Claustrofóbica, esquizofrênica. Vocais límpidos, distorção e depois vocais quase desleixados e uma massa sonora. Uma canção de estranhamento frente ao mundo, com um clip 100% adequado a letra.

11) Black Hole Sun (1994): Música mais conhecida da banda, virou hino do verão americano de 1994. Apesar disso é bastante estranha, uma balada com teclados esquizóides, vocal novamente estranho e solos melódicos atípicos do Soundgarden. Não e a melhor nem a mais típica da banda, apesar de ser uma boa musica.

publicidade

12) Fell On Black Days (1994): Vocais desesperados, que já não vislumbram a saída da crise. Riffs ótimos, retomando as faixas mais antigas. Uma das minhas preferidas. Hard Rock para curtir fossas e/ou sair delas. Grande música.

13) Pretty Noose (1996): O inicio instrumental, muito bom, deixa a impressão de uma musica psicodélica. Depois se percebe o estilo da banda, riffs bem feitos, vocal possante e bateria precisa.

publicidade

14) Burden In My Hand (1996): Balada psicodelica/triste, com vocais absolutamente perfeitos de Chris Cornell. Violões bem utilizados, letra ótima e adequada.

15) Blow Up The Outside World (1996): "Acerte o mundo exterior". Tristeza petrificante, mais tarde levando a revolta total (a musica explode em peso e vocais inconformados). O ar chapado de Chris não disfarça a presença de drogas como tema (alias o clip dessa musica foi censurado por mostrar viciados se drogando em camas de hospital).

16) Ty Cobb (1996): Musica de acentuada influencia Ramones, uma das bandas preferidas do Soundgarden. O começo (um solo de banjo) engana, mas depois "Its Only Punk - But I Like It"... Surpreendente e ótima.

17) Bleed Together (1997): Hard Rock tradicional, bem Soundgarden, mas não totalmente empolgante. Só para fãs.

publicidade


WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin