Ídolos imortais: Dolores O'Riordan, a doce voz do Cranberries

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mateus Ribeiro
Enviar correções  |  Ver Acessos

Dolores Mary Eileen O'Riordan Burton nasceu dia 06 de setembro de 1971, na cidade irlandesa de Limerick. Ficou conhecida mundialmente como a vocalista da banda The Cranberries, grande nome do rock irlandês.

Dave Mustaine: 10 coisas que você não sabia sobre eleDoom Metal: os dez trabalhos essenciais do estilo

Dona de uma voz única, muito doce e suave, Dolores deu um toque de suavidade para um estilo marcado pela rebeldia e agressividade. Ao lado de sua banda, gravou sucessos que foram a trilha sonora da vida de muitas pessoas. "Ode To My Family", "Salvation", "Linger", "Zombie", "Promises", "Animal Instinct", "Dreams" e tantas outras músicas continuam até os dias de hoje mantendo viva a memória não apenas da banda, mas de Dolores também.

Da mesma forma que Janis Joplin, Joan Jett, Lita Ford e tantas outras mulheres, Dolores mostrou que o rock, ambiente que sempre teve mais homens que mulheres, também é coisa pra mulher.

Além de cantar, Dolores também tocava guitarra, escrevia músicas e tinha uma grande presença de palco, sendo capaz de comandar uma plateia com sua voz delicada.

Porém, nossos ídolos não duram para sempre. Com Dolores não foi diferente. No dia 15 de janeiro de 2018, a notícia de sua morte pegou o mundo de surpresa, ainda mais pela maneira triste como tudo ocorreu. Após a sua morte, o mundo da música ficou mais triste, menos colorido e com menos graça. Essa grande mulher, que tantas alegrias nos deu enquanto estava viva, abandonou nosso mundo para se tornar mais um dos nossos ídolos imortais.

Obrigado, Dolores. Esteja onde estiver, feliz aniversário.


Ídolos imortais

Ídolos imortais: Joey Ramone, o homem que agradou gregos e troianosÍdolos imortais: Phil Lynott, uma usina de criatividade, feeling e carismaÍdolos imortais: Cliff Burton, o gênio das quatro cordasÍdolos imortais: Dimebag Darrell, o cowboy do infernoÍdolos imortais: Nick Menza, técnico e carismáticoÍdolos imortais: Layne Staley, um gênio que partiu cedo demaisÍdolos imortais: Chuck Schuldiner, o padrinho do death metalÍdolos imortais: Paul Baloff, um ícone do Thrash MetalÍdolos imortais: Jeff Hanneman, um demônio das seis cordasÍdolos imortais: Dee Dee Ramone, um gênio insanoÍdolos imortais: Andre Matos, um dos maiores nomes do metal nacionalÍdolos imortais: Randy Rhoads, um gênio incomparável e inesquecívelÍdolos imortais: Freddie Mercury, a voz mais bonita do rockÍdolos imortais: Ingo Schwichtenberg, um monstro do power metalÍdolos imortais: Warrel Dane, uma das mais poderosas vozes do metalTodas as matérias sobre "Ídolos imortais"




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Ídolos imortais"Todas as matérias sobre "Cranberries"Todas as matérias sobre "Dolores O'Riordan"


Dave Mustaine: 10 coisas que você não sabia sobre eleDave Mustaine
10 coisas que você não sabia sobre ele

Doom Metal: os dez trabalhos essenciais do estiloDoom Metal
Os dez trabalhos essenciais do estilo

Cinema: o melhor e o pior dos rockstars em filmesCinema
O melhor e o pior dos rockstars em filmes

História do Rock: dos primórdios aos anos 70Veraneio Vascaína: Uma ácida crítica à polícia brasileiraMegadeth: David Ellefson revela por que Nick Menza foi demitidoGhost: Forge vê rock voltando às paradas e sua banda fechando festivais

Sobre Mateus Ribeiro

Fanático por Ramones, In Flames e Soilwork. Limeirense com muito orgulho (e sotaque).

Mais matérias de Mateus Ribeiro no Whiplash.Net.

adGooILQ