Matérias Mais Lidas

imagemTravis Barker, do Blink-182, é hospitalizado às pressas e filha pede orações

imagemCuecão de couro: Rob Halford posa com suas "great balls of fire" em camarim

imagemVeja diz que David Coverdale só passa vergonha nas redes sociais

imagemKerry King explica por que não assumiu o posto de guitarrista do Megadeth

imagemQuando Jimi Hendrix chamou Eric Clapton para subir no palco e afinar sua guitarra

imagemIggor Cavalera diz que reunião da formação clássica do Sepultura seria incrível, mas...

imagemMike Portnoy e a música do Rush que virou um grande sucesso do Guns N' Roses

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemA resposta de John Lennon quando perguntado se retornaria aos Beatles em 1975

imagemNergal diz que Behemoth é mais que anti-religião e emociona-se com LGBTQ e aborto

imagemSammy Hagar conta como uma Ferrari fez ele entrar para o Van Halen

imagemSlash explica por que rejeitou Corey Taylor no Velvet Revolver

imagemO clássico dos Paralamas que Gilberto Gil escreveu a letra e ditou pelo telefone

imagemCinco álbuns que serão lançados no segundo semestre de 2022 e merecem a sua atenção

imagemCinco músicas que são covers, mas você acha que são as versões originais - Parte 2


Stamp

Guns N' Roses: banda, mito ou uma merda completa?

Por Bruce William
Fonte: Noisey
Em 20/04/16

Angus Harrison, em texto traduzido por Fernanda Botta e publicado no Noisey, fala sobre sua paixão pelo Guns N' Roses e tenta entender o fascínio exercido até hoje pela banda, que se tornou uma lenda na história do Rock devido a sua atribulada história, confira na íntegra neste link e alguns trechos mais a seguir.

Lá no fundo, todo mundo tem alguma coisa que adora, mas tem dificuldade em justificar exatamente por quê. Seja torresmo, o filme Espanglês ou um amigo de infância preconceituoso — nos agarramos fiéis a coisas que, pensando bem, provavelmente devíamos deixar para trás. Para mim, essa dificuldade remete a grande parte dos últimos quinze anos, que passei tentando justificar a credibilidade da minha obsessão pelo Guns N’Roses, indo contra o ódio e a zoeira de todo mundo que nasceu depois de 1990.

Minha verdadeira paixão pela banda começou em um longo dia de verão, em 2003, quando meus dedos, então gordinhos, batiam implacavelmente no teclado do computador gigante dos meus pais. Usando um site chamado Freewebs, criei o gnronline.freewebs.com. Para os não-familiarizados com o vocabulário da época, aos 12 anos criei um site sobre o Guns N’Roses. Embora eu normalmente articule meus pensamentos usando termos mais elaborados, me apresentei da seguinte maneira: "Oi, e seja bem-vindo ao Guns N’Roses Online, o melhor site do Guns!! Fiz esse site porque sou muito fã do Guns N’Roses e acho que eles fazem as melhores músicas do mundo!"

Olhando em retrospectiva, aquele textinho curto provavelmente foi umas das coisas mais sinceras que já escrevi sobre música. Porque, quando foi anunciado que uma banda parecida com a formação original do Guns N’Roses ia se apresentar no Coachella em abril, senti quase a mesma empolgação digerindo a notícia, um gosto doce e enjoativo no céu da boca. Aquela familiar onda de euforia que eu sentia ouvindo a banda voltou a correr pelas minhas veias; a sensação que você pode ter andando num rali sem cinto de segurança fluía pelo meu sistema nervoso.

(...)

Mas o que torna o Guns N’ Roses uma banda tão fácil de odiar? Acho que tudo se resume ao fato de que ele já ultrapassou há muito tempo o seu prazo de validade. Constantemente cercado por um ar de desastre iminente, o Guns N’ Roses tem a estabilidade de um foguete não-tripulado soltando faixas de spray de cabelo flamejante pelo céu. Chegando atrasado nos shows, isso quando de fato aparece, sem fôlego, gordo e usando jaquetas de couro brancas e botas de caubói emprestadas do armário típico de um cara em crise de meia-idade, Axl Rose é o pai desajustado dos vocalistas de rock, liderando um grupo cuja formação já mudou mais vezes que a escalação de um time de futebol.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Axl Rose: Mick Wall quer desmascarar "arregada" para Vince Neil


Axl Rose: "ele é um fracassado", diz mulher de Slash


Sobre Bruce William

Bruce William pensava em ser um motoqueiro rebelde mas descobriu que é um Wieder Blutbad nerd apaixonado por uma Fuchsbau. Avy jorrāelan, CatW!

Mais matérias de Bruce William.