Resenha - Mercyful Fate (Halloween Club, São Paulo, 13/08/1999)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Mário Del Nunzio
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Mais uma vez o Mercyful Fate tocou em São Paulo. Pela segunda vez com a formação atual, que conta com o guitarrista Mike Wead no lugar de Michael Denner, e dessa vez, na turnê do álbum "9", recém-lançado. O lugar onde deu-se tal concerto não oferecia condição alguma para uma banda de heavy metal com músicos competentes tocar, e, como já vinha sido percebido desde que, antes do concerto, passava-se um vídeo no telão do local e já com falhas sonoras irritantes, a apresentação teve uma péssima qualidade de som. Isso sem levar em conta o lugar em si, pequeno e apertado, com um palco ridiculamente pequeno e iluminação de baixíssimo nível. Mesmo a banda que tocou sendo o grande Mercyful Fate, um dos maiores ícones do heavy metal mundial, com alguns dos melhores discos do estilo, ficou difícil apreciar a apresentação mal podendo entender o que estava sendo tocado, com todos os solos de guitarra totalmente inaudíveis, e mais barulho do que música, devido à qualidade da aparelhagem de som e à acústica do local.

King Diamond: Metallica, satanismo e Brasil em entrevistaStevie Ray Vaughan: "Oi, sou Stevie, alcóolatra e viciado!"

Mas, tentando esquecer isso e concentrando-se no que a banda tocou, foi uma apresentação interessante, apesar de curta. A banda tocou por cerca de uma hora e meia e não colocou em seu "setlist" NENHUMA música dos ótimos álbuns "Time", "Into The Unknown" e "Dead Again", e quase nada do álbum "In The Shadows". Além disso, apenas duas canções do ótimo e recém-lançado "9" foram tocadas. Tudo bem que a banda está cheia de clássicos em todos os seus álbuns e que "Evil", "Doomed By The Livind Dead", "Black Funeral", "Come To The Sabbath" e outras têm que ser executadas, mas seria de muito bom grado tocar músicas de seus mais novos álbuns como "The Uninvited Guest", "Witche's Dance", composições do "Dead Again", álbum de estréia de Wead na banda entre outras.

A performance da parte instrumental da banda - ou melhor, do que pude ouvir - foi perfeita, sem erro algum. O baterista Bjorn T. Holm é extremamente preciso, o baixista Sharlee D'Angelo é bastante sólido e competente, apesar de nenhum virtuoso do instrumento e os guitarristas Hank Shermann e Mike Wead são extremamente competentes - apesar de, como dito acima, não ter podido apreciar de maneira clara solo algum da banda, devido à supracitada horrenda qualidade de som. Quanto ao senhor Kim Bendix Petersen, ou King Diamond, tudo bem, ele é uma das figuras mais carismáticas da história do metal, além de excepcional compositor, mas, como vocalista ao vivo, deixa bastante a desejar, desafinando frequentemente e não reproduzindo o que faz nos discos. Mas, os fãs da banda já sabem disso e não esperam outra coisa, satisfazendo-se em ver a sua carismática e importante figura.

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

King Diamond
Metallica, satanismo e Brasil em entrevista

Todas as matérias e notícias sobre "Mercyful Fate"

Semelhança
Zé do Caixão e King Diamond

Slayer
Kerry King revela seus 5 álbuns favoritos com guitarras

Dave Mustaine
Ele não tem mais problemas com King Diamond

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Mercyful Fate"

Stevie Ray Vaughan
"Oi, sou Stevie, alcóolatra e viciado!"

Lemmy
"Quando surge uma tentação, eu cedo imediatamente"

Guitarpedia
Os 10 riffs de guitarra mais complicados da história

Axl Rose: o equívoco na escolha da capa de "Use Your Illusion"Guns N' Roses: os Jovens Pistoleiros, sexo, drogas e RnRThrash Metal: dicas de dez ótimas bandas undergroundGangnam Wither: Mashup de Psy com Dream TheaterSlayer: e se a Stella Artois lançasse uma cerveja da banda?10 anos de Temple of Shadows: A saga do Caçador da Sombra

Sobre Mário Del Nunzio

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online