John Petrucci: queríamos um álbum sonoramente interessante

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

John Petrucci: queríamos um álbum sonoramente interessante

Traduzido por Nathália Plá | Fonte: Blabbermouth.net

  | Comentários:

Jeff Treppel da Roadrunner Records entrevistou o guitarrista John Petrucci do DREAM THEATER. Seguem alguns trechos da conversa.

Vocês tinham algumas metas estabelecidas para o (novo álbum do DREAM THEATER) "A Dramatic Turn Of Events"?

Petrucci: Tínhamos; tivemos diversas conversas antes de partir para o álbum, alguns meses antes, e queríamos ter certeza de que estávamos todos de acordo quanto ao tipo de álbum que iríamos fazer e quanto à direção dele. No geral, nós realmente queríamos nos focar nos elementos de composição, no fator da originalidade e aperfeiçoar as qualidades que fazem do DREAM THEATER uma banda única e especial. Nós queríamos fazer algo que fosse em grande escala, queríamos levar as coisas ao extremo e realmente explorar mais profundamente qualquer elemento que fosse. Nós sabíamos que se fôssemos fazer algo num tom progressivo, nós deveríamos levar isso ao extremo. Se fôssemos fazer algo do tipo mais amplo, tínhamos de levar isso o mais longe possível. Queríamos que o álbum fosse sonoramente interessante. Eu sabia desde o princípio, eu sonhei que o Andy Wallace ia fazer a mixagem e o sonho se tornou realidade. Queríamos que fosse um verdadeiro experiência épica em hi-fi. Então quando fomos compor, tínhamos em mente que íamos tomar nosso tempo com progressões de acordes e elementos melódicos e com o alcance vocal e o som dos instrumentos em geral e coisas do tipo. Foi definitivamente um trabalho conjunto e focado em manter as qualidades da composição o mais elevadas possível.

Como foi a composição da música para esse disco em particular?

Petrucci: Meio que começa em casa. No meu tempo livre eu gosto de fazer uma coleção de riffs e idéias que ponho num gravador portátil, tipo uma biblioteca de riffs e idéias e muitos dos caras fazem isso. Você meio que organiza isso e deixa pronto no seu laptop para levar consigo. Por exemplo, a intro da "On The Backs Of Angels", foi algo que eu compus em casa e levei. Eu fiz uma demo da "This Is The Life" e a levei. Eu tinha riffs que viraram coisas como "Bridges In The Sky" e "Lost Not Forgotten", coisas assim. Então no mínimo você tem essas sementinhas para levar. E então nos ajeitmos no estúdio, o James «LaBrie, vocal», John «Myung, baixo», Jordan «Rudess, teclado» e eu, tudo tipo que no modo pronto-para-gravar, e nós sentamos lá e compusemos. No que diz respeito a documentar as coisas, está tudo gravado. O Jordan escreve praticamente tudo no papel, nós listamos tudo que achamos que vamos precisar, e temos todo o tipo de gravadores diferentes – em caso de estarmos improvisando algo, nós gravamos, e se precisarmos podemos voltar naquilo. Fizemos isso por mais ou menos 2 meses e meio, e temos tudo não só escrito mas totalmente em demo, totalmente mapeado, todos os tempos e marcações e tudo mais. É um tipo de pré-produção mestra ao mesmo tempo em que estamos compondo. Isso nos permite começar o processo com bastante tranqüilidade. Quando o Mike Mangini «bateria» veio, ele pode realmente só tocar junto com as faixas demo que tínhamos gravado e não tivemos de ter de passar por todo um processo de passar tempos e mapeamentos e marcações, essas coisas já estavam prontas ao mesmo tempo.

Você acha que os avanços na tecnologia de gravação ajudaram a simplificar o processo de preparar sua complexa música?

Petrucci: Eu definitivamente acho que os avanços na tecnologia me ajudam a organizar as coisas muito bem. nos ajuda a ter rapidamente a referência e editar as coisas. Coisas que não podíamos fazer há 10 anos, podemos facilmente fazer agora. E quanto a esse mecanismo, ele eleva a qualidade geral, a abertura e o som do álbum. Obviamente enquanto os mecanismos de gravação vão ficando melhores e a tecnologia progride, podemos fazer coisas com muito mais facilidade, muito mais eficiência e na maioria das vezes com um som bem melhor. O que é ótimo. Se você pensar até mesmo no último álbum que fizemos, ou o álbum antes dele, nós definitivamente fizemos grandes avanços no que diz respeito ao impacto sonoro. É realmente legal ir nesse caminho, superando a última coisa que você fez.

Leia a entrevista na íntegra (em inglês) na Roadrunner Records.

Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.


  | Comentários:

Todas as matérias da seção Entrevistas
Todas as matérias sobre "Dream Theater"

Dream Theater: quando um tecladista autografa um prato de bateria
Dream Theater: A "mania dos selfies" chegou à banda
The Winery Dogs: ouça novo álbum ao vivo na íntegra
Dream Theater: quando um tecladista autografa uma guitarra
Rock Brigade: John Petrucci na capa da edição 273
Dream Theater: clipe para "Enigma Machine" com o Ballet Deviare
Dream Theater: John Myung na capa da nova edição da Bass Player
Dream Theater: James Labrie ansioso para turnê americana
Mike Portnoy: cruzeiro foi uma das suas maiores experiências
Dream Theater: Photo Book da turnê para combater o câncer
Transatlantic: Minha épica viagem de dirigível em São Paulo
Transatlantic: TV Diário divulga trechos do show em SP
Transatlantic: Galeria de imagens do show em São Paulo
Transatlantic: Um show para toda a família em São Paulo
Dream Theater: Banda escorrega em suas virtudes e se repete

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas