Chimaira: pesado, agressivo e matador como sempre

Resenha - Age of Hell - Chimaira

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Dessas novas bandas americanas que praticam o chamado novo metal (e digo isso no melhor sentido do termo, sem querer soar pejorativo ou fazer relação com o famigerado nu-metal), que realizam uma mistura de elementos do metal clássico com outros mais modernos, talvez o CHIMAIRA seja (ou tenha sido) a mais pesada destas, apesar de nunca ter alcançado o patamar de sucesso e reconhecimento de bandas como o excelente TRIVIUM.
Arquivos em MP3: quem os ouve, não ouve o que foi feito em estúdioIron Maiden: Bruce Dickinson continua andando de metrô

Contudo, a banda sempre manteve o alto nível em seus lançamentos, inclusive tendo na sua discografia o magistral “Resurrection”, de 2007. E como é constante na carreira da banda, mais uma vez diversas mudanças ocorreram em sua formação: saíram o baterista Andols Herrick, o baixista Jim Lamarca e o tecladista Chris Spicuzza, criando grandes dificuldades e atrasos no processo de criação deste seu novo disco, “The Age of Hell”, fruto do trabalho de composição dos integrantes remanescentes, Mark Hunter (voz) e Rob Arnold (guitarras), juntamente com o produtor Bem Schigel (que também tocou bateria no álbum), além do guitarrista Matt Drevies.

Contudo, para a alegria dos fãs, nenhuma mudança drástica foi perpetrada no tocante ao som da banda em relação a seus últimos lançamentos. Assim, as músicas continuam pesadas, agressivas e matadoras como sempre, com aquele thrash metal moderno, repleto de groove e, como dito, elementos mais modernos, inclusive de metal industrial, que dão uma característica toda peculiar ao som da banda. Além disso, as canções não são mais tão rápidas ou extremas como outrora, mas mesmo assim não perderam a agressividade que os fãs tanto prezam.

O disco já abre quebrando tudo com a excelente faixa título, que nos remete aos melhores momentos da banda, com riffs matadores, linha vocal ultra agressiva e cozinha correta. Além desta, destacam-se a pesada e cadenciada “Losing my Mind”; a arrasa quarteirão “Year of the Snake”, com riffs cavalgados muito legais; a mais pesada de todas, “Born in Blood”, repleta de influências de SLAYER e de death metal; e “Trigger Finger”, mais moderna e cheia de groove e peso.

Merece também destaque a excelente produção do disco, que deixou o som muito agressivo e sujo, como necessário. Apenas faço uma ressalva para algumas incursões com vocais limpos e alguns efeitos eletrônicos que não ficaram muito bons, e precisam ser revistas pela banda. Além disso, a bateria esta um pouco mais modesta do que o de costume para banda, mas nada tão relevante.

Não é tão bom como os primeiros registros da banda, em especial o já mencionado “Resurrection”, mas ainda assim é um grande trabalho, e mantém o nome da banda em evidência. Mas se você nunca gostou da banda, não será dessa vez que mudará de idéia.

The Age of Hell - Chimaira
(2011 - Entertainment One Music – Importado)

Track List:

1. The Age of Hell
2. Clockwork
3. Losing My Mind
4. Time Is Running Out
5. Year of the Snake
6. Beyond the Grave
7. Born in Blood
8. Stoma
9. Powerless
10. Trigger Finger
11. Scapegoat
12. Samsara

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Age of Hell - Chimaira

Chimaira: Bom, mas inferior aos últimos trabalhos

Todas as matérias e notícias sobre "Chimaira"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Chimaira"

Arquivos em MP3
Quem ouve, não ouve o que foi feito em estúdio

Iron Maiden
Bruce Dickinson continua andando de metrô

Slash
"Nunca fui o que você chamaria de guitarrista técnico!"

Em 25/09/1980: John Bonham, do Led Zeppelin, morre após intoxicaçãoCinema: as 11 melhores bandas fictícias das telonasChildren Of Bodom: "o Slipknot detona!", diz Alexi LaihoSymphony X: Michael Romeo escolhe suas músicas preferidasKiko Loureiro: Afastamento do Angra começou antes do MegadethMotörhead: "existe alguém que pareça mais malvado?"

Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online