Resenha - Illud Divinum Insanus - Morbid Angel

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Resenha - Illud Divinum Insanus - Morbid Angel

Postado por Durr Campos | Fonte: Heavy Nation

  | Comentários:

Antes de qualquer coisa, eu não nego que tenho o MORBID ANGEL como uma de minhas bandas favoritas de todos os tempos. Chego a incluir os norte-americanos de Tampa, Flórida, naquela que denomino a Profana Trindade do Death Metal, ao lado do IMMOLATION e DEATH. Pura opinião pessoal, mas qualquer pessoa que seja fã do estilo citado jamais deixaria de inclui-los em suas listas de grupos mais importantes do Metal Extremo.

O texto representa a opinião do autor, não do Whiplash.Net ou de seus editores.

Imagem
A maioria deve saber que seus álbuns seguem uma ordem alfabética, sendo que apenas a letra "A" foi repetida, haja visto que seu primeiro disco editado - Abominations of Desolation, de 1986 - sempre foi renegado pela banda e, portanto, "substituído" pelo Altars of Madness, de 1989. Este texto, no entanto, irá abordar minhas impressões sobre a letra "I", isto é, o artefato lançado este ano pelo grupo, o já polêmico Illud Divinum Insanus.

Quem digitar o nome MORBID ANGEL na famosa Wikipedia (versão em português) irá encontrar logo no início o seguinte texto: "Eles são os inovadores, os líderes, os que transcendem limitações. Convicção e verdadeiro senso de propósito só possuído por poucos, quebrando os limites musicais, espirituais e ideológicos, retendo o elemento inquestionavelmente brutal de sua música que se tornou uma das mais influentes do Death metal mundial." - Ora, do que adiantariam essas palavras se as mesmas não partissem à prática? Francamente, se há uma banda que JAMAIS temeu ousar e um músico que sempre foi sinônimo de "estar a frente de seu tempo", estes são o MORBID ANGEL e seu líder, mentor, guitarrista e compositor principal, Trey Azagthoth, respectivamente. Mesmo os três primeiros trabalhos - o já citado Altars of Madness, Blessed Are the Sick (1991) e Covenant (1993) - traziam sons bem diversificados e fora do "padrão Death Metal" da época. Até hoje encontramos ali elementos que muitas bandas não teriam a coragem (isso mesmo!) de fazer uso. Quando o quarto disco foi lançado em 1995, as críticas negativas começaram a ganhar força. Se Domination não mostrava ainda o que Trey & Cia. trilharia dali em diante, pelo menos serviu para dar um susto em uma boa parcela de fãs e na imprensa especializada.

Com a saída do vocalista e baxista David Vicent no ano seguinte, vieram novos membros (o guitarrista Erik Rutan e o baixista/vocalista Steve Tucker para sermos mais precisos), mudanças na sonoridade e muita criatividade, apesar de algumas composições sem tanto poder. O nome da banda continuava em evidência, mas os fãs queriam Vincent de volta. E foi o que aconteceu em 2004. De lá pra cá os shows foram constantes e a promessa de um novo disco de estúdio ecoava em todo o mundo.

Eis que a espera chega ao fim em 2011 e Illud Divinum Insanus chega ao mundo cheio de expectativas. No entanto, também carregava em si duas tarefas ingratas: nascer já clássico e agradar aos fãs mais puristas, até por não contar com Pete Sandoval na bateria, mas o eficientíssimo Tim Yeung (All That Remains, Hate Eternal, Vital Remains, Divine Heresy, World Under Blood, etc.).

Pois bem, mal a bolachinha saiu do forno e a chuva de críticas negativas foi implacável. "O disco é uma merda!", foi a frase que mais li e ouvi nas últimas semanas. Querem saber? INGRATOS! O disco não nasceu clássico e provavelmente jamais será, mas está longe de ser o fiasco que a maioria vem afirmando. Em minha opinião o erro do MORBID ANGEL está na ordem do track-listing. Se "Too Extreme!" fosse a faixa de número 10 a coisa não teria sido tão brutal pro lado deles. Sim, porque "Existo Vulgoré" é uma típica canção da banda, bem melhor do que algumas dos dois álbuns anteriores, assim como as seguintes, "Blades for Baal" e "I Am Morbid" - ambas muito poderosas e cheias de inspiração; "Nevermore" já era uma velha conhecida, pois vem sendo tocada há um par de anos pelo menos, ótima faixa! "Destructos Vs. the Earth / Attack" retoma a dose de modernidade do CD, mas não passa despercebida. "Beauty Meets Beast" poderia estar fácil no Covenant, bem como a última "Profundis - Mea Culpa" entraria no Formulas Fatal to the Flesh (1998) se a bateria não fosse eletrônica, digamos assim.

Ou seja, não criemos pânico. O MORBID ANGEL continua fazendo o de sempre: musicar arte de vanguarda. Pra mim conseguiram novamente.

Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.

Outras resenhas de Illud Divinum Insanus - Morbid Angel

Morbid Angel: álbum que instantaneamente ganhou pecha de polêmico
Morbid Angel: Levando a música extrema a outro nível?
Morbid Angel: Novo trabalho é o "St. Anger" dos caras


  | Comentários:

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs
Todas as matérias sobre "Morbid Angel"

Morbid Angel e Metallica: bandas em novo quadro do Arte Extrema
Separados no nascimento: David Vincent e Nikki Sixx
Morbid Angel: descoberto um uso para o último álbum
Morbid Angel: Pete Sandoval encontrou Jesus
Morbid Angel: a reação dos norte-coreanos ao último álbum
Morbid Angel: clássico Covenant será relançado em vinil
Nero 5468: membros do Morbid Angel, In Flames, Hardcore Superstar
Morbid Angel: banda tocará Covenant na íntegra em turnê
Loudwire: os 25 melhores álbuns de estreia do Metal
Ex-Morbid Angel: tem brasileiro na banda de Steve Tucker
Curitiba: Morbid Angel em sessão de autógrafos
Morbid Angel: pouco público e energia de sobra em São Paulo
Morbid Angel: resenha e fotos de Porto Alegre no All That Metal
Morbid Angel: resenha e galeria de fotos do show em Porto Alegre
Morbid Angel: vídeos em Full HD do show em Porto Alegre

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Durr Campos

Graduado em Jornalismo, o autor já atuou em diversos segmentos de sua área, mas a paixão pela música que tanto ama sempre falou mais alto e lá foi ele se aventurar pela Alemanha, país onde reside atualmente e possui família. Lendo seus diversos artigos, reviews e traduções publicados aqui no site, pode-se ter uma ideia do leque de estilos que fazem sua cabeça. Como costuma dizer, não vê problema algum em colocar para tocar um Scum do Napalm Death, seguido de Substance do New Order ou Black Celebration do Depeche Mode, daí viajar no tempo com Stormbringer do Deep Purple, se acabar ao som do Bounded By Blood do Exodus e finalizar o dia com alguma coisa do ABBA ou Impetigo. Simples assim.

Mais matérias de Durr Campos no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas