Matérias Mais Lidas

imagemO álbum que chocou colégio de freiras de Rafael Bittencourt e foi "libertador"

imagemHá 20 anos, Frejat explicava como Raimundos não se dobrava perante gravadora

imagemRegis Tadeu coloca o dedo na ferida e aponta o grande erro do rock nacional dos anos oitenta

imagemAxl Rose faz piada de gosto duvidoso sobre incidente com microfone

imagemA música do Queen que Brian May pensou que era uma brincadeira

imagemDez bandas de rock e metal que gravaram versões para músicas de outros estilos

imagemEmpresária do Judas Priest conta como foi o encontro de K.K. Downing com ex-companheiros

imagemRaimundos: A surpreendente maneira como Digão conheceu Rodolfo, segundo o próprio

imagemB. B. King sobre John Lennon ter dito que queria tocar como ele

imagemA visionária melhor música do Genesis na opinião de Steve Hackett

imagemSlash falhou em seguir o conselho de Keith Richards, que mesmo assim foi lá e o apoiou

imagemOs curiosos dois significados da expressão "Eu quero ver o oco", segundo Digão

imagem"Nenhuma banda está a fim de ajudar a outra, isto é utopia", diz Regis Tadeu

imagemEric Clapton relembra como era ser chamado de Deus nos anos 60

imagem"Raimundos nunca quis ser manual de conduta para ninguém", diz Digão


Lift Detox
Stamp

Max Cavalera: The Bigmouth Strikes Again

Por Daniel Junior
Fonte: PipocaTV
Postado em 22 de setembro de 2016

Max Cavalera saiu do Sepultura no final de 1996 após desentendimentos sobre como sua esposa, Gloria Cavalera, gerenciava a banda. Os outros integrantes, incluindo seu irmão, demitiram-na da função de empresária e Max saiu pela porta de trás.

São 20 anos e desde então cada um seguiu seu caminho musical. A banda mineira trouxe Derrick Green para substituir Max e o ex-vocalista fundou o Soulfly, banda com a qual fizera um relativo sucesso. O Soulfly já trazia uma mistura sonora interessante, hibridismo que o Sepultura mostrou em "Roots", no mesmo ano em que o vocalista deixou a banda.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

A estreia de Derrick foi em 1998 no disco "Against", um desafio para banda que havia perdido seu front-man, o porta-voz, o cara responsável pelas ideias musicais e líricas da maior banda de metal surgida no país até então. O "Fumaça" (apelido de Derrick) não apenas se integrou à banda, como teve a difícil tarefa – de juntamente com o Sepultura – não deixar a marimba cair.

Por isso é de se lamentar, que a cada momento que tem oportunidade, Max não consiga valorizar todos os seus projetos no presente e fazer publicidade tão somente do seu trabalho, que não é ruim. Óbvio que a imprensa metal sabe que se "cutucar" o guitarrista, ele vai dizer o que pensa sobre seus antigos colegas, mas a obviedade se aplica também ao fato que ele não consegue dar o mesmo destaque ao que efetivamente ele faz em detrimento ao que um dia fez. Ninguém no Sepultura é maluco de ignorar o talento e a contribuição do criador da banda e se o músico fosse mais "carinhoso", certamente alguma colaboração musical já teria rolado entre eles. O problema é a língua do Max.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Se seu irmão opta pela discrição, Max não apenas ofende como diminui o papel dos caras. Em uma ocasião, por exemplo, chegou a dizer que Paulo Jr não sabia tocar baixo, que ele, Max, era o responsável pelas linhas do instrumento, que na verdade, quase não aparece no produto final. Isso é um outro assunto.

Numa ladainha que lembra a novela (que graças a Deus acabou) "Mustaine / MetallicA", Max há quase 20 anos não consegue se desvencilhar do Sepultura, mesmo que a banda já tenha se desligado dele, moldando seu som, reconstruindo sua identidade e curando suas próprias feridas. Já disseram em várias ocasiões o quanto foi difícil retomar o trabalho.

publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |

Pra mim, ao menos uma coisa ficou muito clara com essa história quase sem fim: tivesse conseguido o mesmo êxito em seus projetos que conquistara com sua antiga banda, Max seria menos falastrão. A "verdade" (ela está lá fora né?) é que o moço precisa lembrar ao mundo que seu maior sucesso foi justamente aquele que ele escolheu sair. Max opta – de maneira bem idiota – em não ser lembrado como o cara do Soulfly (que vai fazer 20 anos ano que vem), mas como o ex-vocalista do Sepultura. Uma dose de dignidade lhe cairia bem.

No mundo do rock existem inúmeros exemplos semelhantes. Não apenas de falastrices, mas de mudanças de rota. O início a cobrança é grande (quase ninguém pensa na pressão que o Derrick teve), mas as mudanças são quase sempre salutares. Paul Di´anno, Blaze Bayley, Ian Gillan e até o grande Dio, tiveram que fazer mudanças em suas vidas e com muito talento e profissionalismo, seguiram suas escolhas. Os exemplos que trago não apontam para os resultados comerciais, mas pela postura madura em conviver com tais alterações de rumo. "E o Portnoy?" Humm… Esse eu ainda tenho minhas dúvidas. Voltando...

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Um exemplo disso é o supra citado Dave Mustaine. Depois de sair da sombra do MetallicA, o patrão de Kiko Loureiro, tem provado, disco a disco, que tem muita lenha pra queimar. Seu som tem DNA e fica difícil olhar para guitarrista como o ex-integrante do MetallicA, mas sim o fundador e mentor do Megadeth.

Temos histórias que são o avesso do avesso também. A carreira solo de Bruce Dickinson sempre teve ótimos predicados. O músico – por um tempo – desejou seguir seu caminho fazendo um som menos "steveharriano" para apostar num metal mais puro. Se não acertou em tudo (tenho minhas críticas para "Accident of Birth"), ao menos teve a coragem de ir em frente sem cuspir no prato que comeu.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Max tem bons trabalhos, não se equivalem em estilo e qualidade aos trabalhos do Sepultura (na minha opinião) mas são suficientes para mantê-lo tocando em festivais, sendo lembrado como uma ótima figura do rock e sustentando sua vida nos Estados Unidos.

Dá uma enorme vergonha alheia ver um cara experiente e talentoso sublimando sua própria postura artística para a cada depoimento apontar para o Sepultura como um vilão em Gotham City e definitivamente, Max, você não é o Batman.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Siga Whiplash.Net: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube

Receba as novidades do Whiplash.Net por WhatsApp


Samael Hypocrisy
Lift Detox


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A opinião de Dino Cazares sobre o insano álbum "Roots", clássico do Sepultura

Andreas Kisser opina sobre a reunião do Pantera, que começou nesse sábado

Iggor Cavalera diz que o metal às vezes é muito conservador

Bandas de heavy metal que lançaram discos em cinco décadas diferentes

Sepultura e Nightwish fizeram sucesso no Metal pelo mesmo motivo, afirma Regis Tadeu

Troops of Doom: Jairo Guedz conta como faz para transitar entre Sepultura e irmãos Cavalera

Trintões: 10 discos de heavy metal que completarão 30 anos em 2023

The Troops of Doom: Jairo Guedz escolhe seus três álbuns favoritos do Iron Maiden.

Jovens, mas nem tanto: 10 discos de heavy metal que completarão 20 anos em 2023

Alex Meister: "Brasil ouvia Barão Vermelho e pulava para Sepultura, sem ouvir hard rock"

A importância da gravadora do Sepultura ter acolhido Pato Fu para impulsionar a banda

Jean Dolabella é o novo baterista de banda da cantora Pitty

Cinco separações entre bandas e músicos que foram muito marcantes

Gloria Cavalera afirma que pediu para Max continuar no Sepultura em 1996

Max Cavalera explica porque o Sepultura nunca seria como o Metallica

Andreas Kisser: os álbuns que marcaram o guitarrista

Max Cavalera: morte de Dimebag influenciou reconciliação com Igor

Soulfly: em vídeo, arrasando em "Roots Bloody Roots" ao vivo

Aerosmith: curiosidades sobre a voz de Steven Tyler

Os dez maiores picaretas da música internacional


Sobre Daniel Junior

Daniel Junior era blogueiro do Diário do Pierrot e do site The Crow (especializado em cinema). Colaborava com o site Seriemaníacos (sobre séries de TV) e com o blog Minuto HM. Começou seu amor pelo rock por causa do Kiss e do Black Sabbath até conhecer outras bandas pelas quais nutriria paixão e admiração como Metallica, Rush, Dream Theater, Faith No More e tantas outras. Daniel faleceu em 2017 e definitivamente fará falta.

Mais matérias de Daniel Junior.