RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemRoger Waters se defende, mas David Gilmour fica do lado da esposa e confirma tudo

imagemMegadeth é processado por artista que criou capa do último disco da banda

imagemEm 1974, Raul Seixas explicava detalhes dos significados por trás da letra de “Gita”

imagemA opinião de Humberto Gessinger sobre movimentos separatistas da região Sul do Brasil

imagemBruce Dickinson explica como cuida de sua voz

imagemQuando Roberto Carlos foi alfinetado por Raul Seixas, mas o Rei gostou do que ouviu

imagemVocalista do Stryper afirma que Metallica é a banda de metal que ele menos gosta

imagemAndreas Kisser tira uma com o Flamengo após derrota; "Tri mundial só um"

imagemCinco ícones do heavy metal que morreram de forma trágica

imagemPróximo álbum do Metallica será lançado em fitinha que custa mais de 80 reais

imagemRoger Waters ataca a Ucrânia e é ofendido por esposa de David Gilmour

imagemComo Brian May acabou fazendo participação especial em disco dos Paralamas do Sucesso?

imagemNervosa anuncia que próximo disco de estúdio está gravado

imagemDave Mustaine diz que atual formação do Megadeth é mais bem-sucedida em anos

imagemPróximo do Angra contará com Fernanda Lira, Mayara Puertas, Karina Menascé e Angel Sberse


Def Leppard Motley Crue 2

Hard Rock e Heavy Metal: o bicho de duas cabeças

Por Paulo Severo da Costa
Postado em 09 de julho de 2012

Durante o primeiro Rock In Rio, em 1985, a imprensa brasileira, bem como a organização do evento, se viram mais perdidas que cego em tiroteio. Enquanto a primeira chamava os fãs do YES de "metaleiros", a equipe de organizadores misturava no mesmo dia os shows de NEY MATOGROSSO e IRON MAIDEN – um "freak show" baseado tanto na falta de preparo dos respectivos setores quanto na escassez de shows de ponta na época.

Pioneirismo à parte, o fato é que catalogar estilos musicais e rotular bandas e "movimentos" (arghh!) são parte da indústria da música e da imprensa do ramo desde que as mesmas começaram a tomar força – em meados dos anos 50. Dentro desse balaio,onde poucos parecem entrar em consenso, uma questão sempre despertou interesse nos fãs do gênero: qual é realmente o limite entre o hard rock e o metal original? Se o metal foi fundado pelo SABBATH, como catalogar HENDRIX, BLUE CHEER e outros que vieram antes?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Primeiro, é bom dizer o seguinte: essa questão de marco zero do metal não é e jamais será um ponto comum. No documentário "Metal: a Headbanger´s Journey", o antropólogo SAM DUNN faz um retrospecto do assunto partindo da gênese da coisa toda – lá se ouve LEMMY dizendo que o PURPLE foi o primeiro, ROB ZOMBIE dizendo que o SABBATH inaugurou a coisa toda, GEDDY LEE afirmando que o BLUE CHEER marcou território antes. "Bom"- você poderia dizer- "se esses caras não chegam a conclusão nenhuma, como nós mortais vamos chegar"?

Bom, para responder vamos começar com a origem do próprio rock and roll: as primeiras incursões no gênero se sustentavam em um modelo mais ou menos padrão de harmonia chamada de "I-IV-I-V-I" - primeiro, quarto e quinto graus do campo harmônico, a estrutura de quase tudo dos anos 50 – como "Long Tall Sally", "Rock Around The Clock" e "Johnny B. Goode". Essa figura musical vinha diretamente do blues tradicional e era conduzida primordialmente por instrumentos como bateria, baixo, piano e sax. As guitarras estavam lá, mas com honrosas exceções - a exemplo de CHUCK BERRY - eram secundárias.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A partir da década seguinte surge a idéia de banda tal como hoje: não mais como meros acompanhantes do vocal, mas como um centro gravitacional próprio, reunido em torno de uma identidade musical. Nessa, o rock se desmembrou em termos de referência, passando a incorporar elementos de jazz, country, jump blues e música étnica. È fácil observar que, apesar de contemporâneos, BEATLES e STONES dos primórdios já apresentavam significativas diferenças: enquanto os primeiros se apoiavam no rock n´ roll de GENE VICENT e em adaptações de acordes de jazz (que foram obrigados a aprender durante o "estágio" em Hamburgo), os STONES calcavam o seu som nas guitarras adaptadas do blues de Chicago, colocando o instrumento a frente das harmonias vocais dos compatriotas de Liverpool .

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Nessa invasão Britânica, outras bandas surgiram, como THE WHO, THE ANIMALS E YARDBIRDS. Contando com equipamentos ainda rudimentares – apesar de progressivamente melhores - essas bandas passaram a olhar com atenção aos bluseseiros de Memphis como JOE HILL LOUIS e WILLIE JOHNSON, cujo som mais cru de guitarra passava a ser objeto de atenção. Ainda, as experimentações com jazz a partir do som de bateristas como BUDDY RICH, passaram a fazer parte da elaboração de novas músicas que, por sua vez, passram a ser acompanhadas nas linhas graves por um baixo mais sincopado e alto.

Desse modo, o rock n´roll passou a ser objeto de desejo e bandas novas como THE TROOGS E TRASHMEN passaram a formar o conceito de garage rock. A história do rock conta que o som de distorção passou a ser produzido em casa, com a perfuração de alto- falantes e outras artimanhas. A falta de retorno sonoro passou a exigir uma necessidade maior de volume e a ausência do YouTube na época criou a necessidade de uma reinterpretação de linhas melódicas originais, dando origem a novas abordagens no instrumento. Guitarristas como LINK WRAY passaram a ser redescobertos e os solos de guitarra, de meros adornos, passaram a ser constantes e cada vez mais distorcidos.

Nessa, pousou na Terra um tal de JIMI HENDRIX. Na biografia de CLAPTON ele afirma que nas apresentações pela Inglaterra, o americano causou preocupação entre os guitarristas ingleses - nele inclusive. HENDRIX abordava o instrumento de forma completamente inusitada, adicionando microfonia, pedal de wha-wha, efeitos de alavanca. Mas o principal conteúdo do "alien" era mesmo a atitude: reciclando a loucura de LITTLE RICHARD e JERRY LEE LEWIS no palco, o guitarrista foi além e transformou os shows em experiências sexuais elétricas, criando um contexto além do sonoro para seu som explosivo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A partir de HENDRIX também se tornou mais forte a idéia do riff de rock n´roll, uma pequena partícula musical que se repete e caracteriza a música. O riff foi usado desde CHUCK BERRY, e imortalizada por KEITH RICHARDS e PETE TOWNSHEND, mas com HENDRIX passou a ser o núcleo melódico, a espinha dorsal da música. Grupos como o CREAM e o DEEP PURPLE, surgidos no final da década de sessenta passaram a ter a idéia de suas canções a partir do riff central. Ainda nessa época os BEATLES gravam "Helter Skelter" e os STONES , "Gimme Shelter", ambas marcadas pelo som massivo, quase em bloco, fruto de um histórico próximo que incluía "You Really Got Me" do KINKS e as passagens cromáticas de "Sunshine Of Your Love" do CREAM. O hard rock nasce então desse momento musical, beneficiado pela difusão de equipamentos cada vez melhores- em termo de potência sonora - e de uma atitude mais experimentalista da galera que estava começando a misturar o LSD com o formato de suas criações.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Partindo dessa base , grupos como GRATEFUL DEAD e IRON BUTTERFLY começaram a fundir o peso com a psicodelia mais extremada, amplificando e reverberando sua sonoridade, fazendo com que a banda toda tivesse a sua participação como instrumento principal. Essas jams, passaram a acrescer às escalas de blues, elementos de música indiana, européia clássica, escalas flamencas etc. Isso deu ao hard rock características cada vez mais distantes do blues e da temática mais poética, e cada vez mais próxima da relação com temas como ocultismo e o lado "escuro da força". Mesmo bandas mais "conservadoras" nesse sentido como VANILLA FUDGE e BLUE CHEER, passaram a agregar camadas cada vez mais espessas de volume em seus registros. O BLUE ÖYSTER CULT, começou a criar letras que tratavam de temas mais densos, como maldições e vampirismo, tornando a coisa toda cada vez mais obscura.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Tudo isso – a meu ver - desemboca em uma data: Sexta Feira, 13 de fevereiro de 1970. Respondendo as questões lá em cima, vou com a corrente que entende que OZZY, IOMMI, GEEZER e WARD, bateram a marreta na criação do metal. Porque considerar a estréia em disco do SABBATH como o "big bang" do gênero? A resposta é: síntese. Ao contrário de outras bandas que passaram por um amadurecimento sonoro mais gradual - basta ver a diferença entre os três primeiros discos do LED, por exemplo - o SABBATH chegou com uma idéia pronta, um conceito definido. Desde o debut da banda, os elementos estão lá: as letras obscuras, o vocal psicótico, a cozinha ruidosa, as afinações abaixo do padrão, a guitarra ameaçadora, os trítonos - figura sem a qual eu nem estaria escrevendo esse texto agora.

BUTLER e OZZY já disseram em entrevistas que a primeira vez que ouviram a denominação "heavy metal" já estavam gravando o terceiro disco. Esse pioneirismo, como toda iniciativa, na verdade, só vem rotulado depois.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Hard Rock: alguns dos clipes mais clichê do gênero

Freddy Frenzzy: O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentação


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Paulo Severo da Costa

Paulo Severo da Costa é ensaísta, professor universitário e doente por rock n'roll. Adora críticas, mas não dá a mínima pra elas. Email para contato: [email protected]
Mais matérias de Paulo Severo da Costa.