RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemIron Maiden e a decisão de Vladimir Putin que arruinou o título de uma canção clássica

imagemDiva Satânica explica qual foi a razão que a fez deixar a banda Nervosa

imagemPrika explica por que nova vocalista da Nervosa não é brasileira e promete single em março

imagemA razão que levou Humberto Gessinger a decidir não usar mais nome "Engenheiros do Hawaii"

imagemO último show de Bon Scott com o AC/DC, três semanas antes de sua morte

imagemA hilária reação de Keith Richards ao encontrar músicos do Maneskin

imagemPrika Amaral comenta mudanças da Nervosa: "povo tem que parar de me massacrar na Internet"

imagemEm entrevista, Tony Iommi contou como aprendeu a tocar guitarra

imagemAs duas razões que levaram RPM a passar por segunda separação em 2003

imagemPor que Gisele Bündchen e Ivete Sangalo deturparam "Imagine", segundo André Barcinski

imagemGuitarrista do Offspring continuou em seu emprego normal mesmo depois da fama

imagemA atitude ousada da Legião Urbana ao peitar Globo e Faustão no meio de uma grande crise

imagem"Bobo é aquele que não se enquadrar no pensamento dos jovens", diz Marcello Pompeu

imagemNervosa anuncia a saída da vocalista Diva Satanica


Stamp

Iron Maiden: uma resenha faixa a faixa do novo álbum "Senjutsu", publicada pelo Loudwire

Por Igor Miranda
Postado em 11 de agosto de 2021

Música de abertura inspirada pelo Tool, parceria Dickinson / Smith pegando fogo e composições de Steve Harris sempre com inícios lentos. Essas são algumas das características de "Senjutsu", novo álbum do Iron Maiden, de acordo com Joe DiVita, jornalista do Loudwire.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

DiVita teve acesso antecipado ao disco, que será lançado apenas no próximo dia 3 de setembro, e fez uma resenha detalhada, onde descreve cada uma das 10 faixas do trabalho. Foram feitas análises sobre composições líricas e melódicas, além de um veredicto final de cada uma das canções.

A seguir, você confere a tradução dos principais comentários sobre cada música. O artigo original, em inglês, com a análise completa, pode ser acessado no Loudwire - se você tem boa compreensão do idioma, não deixe de acessar e prestigiar o trabalho do site.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

1. Senjutsu (Smith/Harris) 8:20

Joe DiVita (Loudwire): "Uau, impressionante. Isso é muito diferente. A parceria Steve Harris / Adrian Smith é sempre atraente - o cara que escreve todas as músicas longas e o cara que leva jeito para as mais rápidas. A faixa 'Senjutsu' destaca cada um de seus pontos fortes. [...] Muitas pessoas provavelmente dirão que essa soa muito como Tool. A bateria facilita a comparação. [...] O ponto inicial de um álbum do Iron Maiden é uma coisa sagrada e, mesmo sem ouvir o resto do álbum, esse ponto parece perfeito para a faixa-título".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

2. Stratego (Gers/Harris) 4:59

Joe DiVita (Loudwire): "E, finalmente, toda essa tensão acabou! Uma ansiosa linha de guitarra e um galope constante ajudam a tornar as coisas mais familiares. [...] Não há como se enganar - esta é uma colaboração de Janick Gers, evidenciada por ele tocando a melodia vocal na guitarra sob Bruce Dickinson. [...] Não há muitas canções curtas aqui e, felizmente, esta é ótima. Só porque as músicas do Maiden são mais longas hoje em dia, não significa que eles não possam continuar com essas faixas rápidas que sempre merecem o replay".

3. The Writing On The Wall (Smith/Dickinson) 6:13

Joe DiVita (Loudwire): "Três músicas no álbum e é impossível determinar uma direção. Com uma hora de música restante no 'Senjutsu', tudo parece possível. O tempo em 'The Writing on the Wall' é um pouco teimoso ou contido, o que transmite tensão suficiente para conectar com a letra. Isso definitivamente vai funcionar bem no palco, onde inevitavelmente será tocada um pouco mais rápido".

4. Lost In A Lost World (Harris) 9:31

Joe DiVita (Loudwire): "O que torna essas introduções acústicas empolgantes é a incerteza de como Steve Harris vai quebrar o silêncio. Com extrema urgência, essa inevitabilidade atinge - um riff robusto, no estilo de Steve Harris, sua marca registrada. [...] Alguns fãs por aí simplesmente nunca aceitarão que isso é o que Steve quer fazer, pelo menos quando deixado por sua própria conta. Por mais típicas que as introduções acústicas tenham se tornado em relação a músicas desse tamanho, esses épicos estão longe de ficar presos em qualquer tipo de zona de conforto. Diferenciá-los é uma tarefa difícil, especialmente depois de criar tantos como este. Mesmo assim, há frutas muito mais doces para serem degustadas em outras partes do 'Senjutsu'. Há um pouco de desconexão em algumas dessas partes".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

5. Days Of Future Past (Smith/Dickinson) 4:03

Joe DiVita (Loudwire): "'Days of Future Past' é o tipo de música pesada, orientada para single, que esperamos e amamos sempre que Bruce e Adrian se juntam. [...] Aqueles fãs frustrados com as ambições progressivas do Maiden mencionadas anteriormente vão gostar dessa. Neste ponto, alcançamos o que é a música mais forte até o momento (e não apenas por ser curta). O álbum começa um rápido arco de ascensão".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

6. The Time Machine (Gers/Harris) 7:09

Joe DiVita (Loudwire): "A abertura acústica me leva a 'The Talisman' de 'The Final Frontier', coincidentemente minha favorita daquele álbum. [...] Uma vez que toda essa divisão faixa por faixa é baseada nas opiniões de um jornalista megafã, não se importe por eu rotular 'The Time Machine' como minha favorita em 'Senjutsu'. Foi um destaque imediato na minha primeira audição e mantém seu status elevado depois disso. É simplesmente divertida. Queria que isso durasse 20 minutos - é tão cativante. Infelizmente, isso marca o fim das colaborações autorais de Janick".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

7. Darkest Hour (Smith/Dickinson) 7:20

Joe DiVita (Loudwire): "De todas as músicas do 'Senjutsu', 'Darkest Hour' é a que melhor encapsula a enorme variedade e dinamismo do eterno Bruce Dickinson. Temos uma balada aqui? [...] Encaixaria perfeitamente em 'Accident of Birth' ou 'The Chemical Wedding', ambos discos solo de Dickinson ostentando a presença de Adrian Smith. É uma faixa muito atípica do Maiden e é emocionante. É raro ouvirmos Bruce realmente levar os holofotes sem muitos instrumentos competindo por atenção. Espero que esta faixa seja 'cultivada' pelos fãs que gradualmente irão apreciar seu esplendor".

8. Death Of The Celts (Harris) 10:20

Joe DiVita (Loudwire): "Logo em seus primeiros segundos, 'Death of the Celts' soa uma sequência de 'The Clansman', favorita dos fãs no álbum 'Virtual XI'. [...] Este é um aceno muito mais forte para a era Blaze Bayley do que certas partes de 'Lost in a Lost World'. Alguns podem reclamar que esta é apenas uma versão reciclada ou 2.0 de 'The Clansman', mas com um catálogo tão profundo e temas tão ricos, por que se limitar a ter apenas uma música na mesma pegada?".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

9. The Parchment (Harris) 12:39

Joe DiVita (Loudwire): "Há uma grande pegada misturando 'Powerslave' com 'The Book of Souls' em 'The Parchment'. O ritmo mid-tempo permanece uma constante por três quartos da música e Nicko McBrain mapeia cada batida de bateria perfeitamente com as melodias enigmáticas e sintetizadores orquestrais. [...] Sem estruturas musicais tradicionais, pode ser difícil lembrar quais seções vieram de quais músicas sem algumas audições extras. É simplesmente a natureza da besta, Harris não tem culpa. Outra faixa que deve ser 'cultivada', que você deverá ouvir mais vezes para pegar todas as nuances sutis".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

10. Hell On Earth (Harris) 11:19

Joe DiVita (Loudwire): "A abertura tem flashes do álbum 'The Final Frontier', especificamente 'When the Wild Wind Blows', mas não soa cópia de si próprio. [...] Vocalmente, é outro ponto alto do 'Senjutsu', principalmente no final. [...] O melhor dos quatro épicos de Steve Harris, sem dúvida, e outro encerramento épico de álbum. A primeira reação ao ouvir 'Hell on Earth' foi: 'caramba, ele conseguiu, c***lho'. Admito que fiquei um pouco ansioso quando vi que 40% das faixas do álbum foram compostas apenas por Steve, que também teve outras duas co-composições. É muita criatividade para exigir de uma pessoa após 17 álbuns. Agora, me sinto envergonhado. Desculpe, Arry, isso não vai acontecer de novo".

Lembrando: o artigo original, em inglês, com a análise completa, pode ser acessado no Loudwire. Se você tem boa compreensão do idioma, não deixe de acessar e prestigiar o trabalho do site.


Iron Maiden - O álbum "Senjutsu"

Iron Maiden: Resenha faixa a faixa do novo álbum "Senjutsu" (vídeo)

Iron Maiden: Bruno Sutter faz sua própria produção do novo disco, "Senjutsu"

Iron Maiden: Uma Pesquisa sobre o novo álbum "Senjutsu"

Todas as matérias sobre "Iron Maiden - O álbum "Senjutsu""

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Summer Breeze


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.
Mais matérias de Igor Miranda.