RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemRoger Waters se defende, mas David Gilmour fica do lado da esposa e confirma tudo

imagemEm 1974, Raul Seixas explicava detalhes dos significados por trás da letra de “Gita”

imagemA opinião de Humberto Gessinger sobre movimentos separatistas da região Sul do Brasil

imagemMegadeth é processado por artista que criou capa do último disco da banda

imagemQuando Roberto Carlos foi alfinetado por Raul Seixas, mas o Rei gostou do que ouviu

imagemComo Brian May acabou fazendo participação especial em disco dos Paralamas do Sucesso?

imagemRoger Waters ataca a Ucrânia e é ofendido por esposa de David Gilmour

imagemDavid Gilmour largou vício maléfico após ouvir erro em disco do Pink Floyd

imagemDave Mustaine diz que atual formação do Megadeth é mais bem-sucedida em anos

imagem"Patinho feio", Gene Simmons diz que não tem amigos

imagemPróximo álbum do Metallica será lançado em fitinha que custa mais de 80 reais

imagemQuando Axl Rose foi zoado na hora errada, após demonstrar sua fragilidade

imagemCinco ícones do heavy metal que morreram de forma trágica

imagemO recado de Felipe Andreoli para fãs que esperam novo "Rebirth" ou "Temple of Shadows"

imagemMick Taylor sobre Rolling Stones: "Não conseguia acreditar como eles soavam mal"


Stamp

The Cure: Robert Smith comenta o "pesado" álbum autointitulado de 2004

Por André Garcia
Postado em 31 de dezembro de 2022

Após lotar estádios com "Wish" (1992), flopar com "Wild Mood Swings" (1996) e ressurgir com o épico "Bloodflowers" (2000), o The Cure lançou seu autointitulado álbum em 2004. Na época, nomes proeminentes do indie (como Interpol e Rapture) apontavam a banda como grande influência, o que trouxe a ela um novo público — e, com ele, sangue novo.

Foto: Facebook Oficial
Foto: Facebook Oficial

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Com uma sonoridade mais suja e pesada, foi um dos trabalhos que mais agradaram a seu líder, frontman e fundador Robert Smith. Em entrevista para a Rolling Stone, ele comentou a produção:

"Eu estava prestes a fazer o álbum que tinha esperado 15 anos para fazer. Nós [eu e Ross Robinson] nos conhecemos no final do Coachella. Depois do primeiro dia de conversa eu já sabia que queria trabalhar com ele."

"Comecei a escrever músicas bem pesadas, porque, quando se trabalha com Ross, ele tende ao sombrio e melancólico. Ficou claro que ele curtiu todos os tipos de coisas que fizemos — ele é muito ligado no lado melódico da banda, e no lado pop também. Acabamos com 37 demos, que sentamos e selecionamos 20. A gente nem saía do estúdio por dois meses, não recebíamos visitas, ninguém podia entrar. Foi uma experiência surreal!"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"[O álbum] foi tratado quase como que um evento ao vivo: cada dia era uma música diferente. Nós ficamos de frente para a cabine de controle, para que pudéssemos ver Ross e resolver detalhes técnicos. Ele nos botou em um espaço bem confinado, todo mundo junto, com contato visual. De noite, virávamos para outro lado, acendíamos velas e as coisas ficavam bem reais. A gente pegava e se deixava levar. Tudo que estávamos fazendo antes estava culminando naquele disco — essa era nossa mentalidade no estúdio. Eu diria que houve mais paixão na gravação desse disco do que todos os outros juntos", concluiu.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

The Cure
O The Cure surgiu com seu álbum de estreia "Three Imaginary Boys" (1979), que desagradou a Robert Smith por sua sonoridade pop e ingênua. A partir dali, com a sequência, "Seventeen Seconds" (1980), "Faith" (1981) e "Pornography" (1982), a banda se tornou cada vez mais sombria, fúnebre e depressiva, até chegar ao fundo do poço emocional.

Quando ficou conhecido como uma figura sombria e deprê, o vocalista ressurgiu em meados da década com uma mudança bipolar: sorridente e saltitante, que dançava desajeitadamente cantando canções pop. Dessa forma, ele se tornou uma personalidade a ponto de seu visual inspirar dois dos personagens mais icônicos da cultura pop noventista: Edward (o mãos de tesoura) e Sandman de Neil Gaiman. Em 1992, a banda chegou a seu auge de popularidade com o hit "Friday I'm In Love", e rodou o mundo a lotar estádios.

A seguir, entrando em um inferno astral pessoal, Smith caiu em depressão com a vida de astro de stadium rock. Para piorar, ele ainda foi arrastado aos tribunais em longos e desgastantes processos envolvendo questões empresariais da banda, como pagamento de royalties. "Wild Mood Swings" (1996) foi produzido em meio a tudo aquilo, e detonado como o pior trabalho da banda. Após mais um longo período de inatividade, retornando com o épico "Bloodflowers" (2000).

"The Cure" (2004) e "4:13 Dream" (2008) mantiveram o alto nível musical, mas sem o irresistível apelo comercial do passado. Após um longuíssimo jejum, finalmente um novo álbum do The Cure, "Shows Of A Lost World", foi anunciado. Com lançamento previsto para 2023, rumores indicam que sua turnê passará pelo Brasil.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Def Leppard Motley Crue 2

Grupo catalão Foscor grava bela versão metal de lado B do The Cure

Sexta-feira 13: treze músicas para escutar nesta data

Grandes covers: cinco versões para "Friday I'm In Love", do The Cure


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre André Garcia

Sou redator e tradutor freelancer e escritor, autor do livro de contos Liber IMP. Ouço rock desde pequeno, leio coisas sobre bandas desde sempre e escrevo sobre ela já tem anos. Cresci como fã de Iron Maiden e paladino do rock, mas já me tratei. Hoje sou fã de nomes como Beatles, David Bowie, The Cure, Kraftwerk e Velvet Underground, e de cenas como a Londres psicodélica, a Nova Iorque proto-punk e a Manchester pós-punk. Escrevo notas e notícias rápidas para o Whiplash.Net visando compartilhar conteúdo relevante sobre música e cultura pop.
Mais matérias de André Garcia.