Heaviest: Metal moderno que não perde características clássicas

Resenha - Nowhere - Heaviest

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ed Oliver
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

Que sensação agradável quando a gente se depara com trabalhos tão bem acabados e concebidos como este "Nowhere", do Heaviest! Não dá para ignorar e não salientar que a presença do Mario Pastore traz toda uma bagagem especial ao som do grupo investindo agora em tons mais graves e drives, a exemplo do que Edu Falaschi fez no Almah - só para termos um ponto de comparação. Mas a banda ainda tem seus talentos individuais, que somaram de forma definitiva para o resultado do álbum de estreia, mostrando personalidade própria!

Listed: TV americana elege os maiores bad boys da músicaLindo Demais: conheça o London, o primeiro smartphone da Marshall


"Nowhere" é um Metal moderno que não perde suas características clássicas e épicas, aqueles refrões que você adora cantar junto com a banda e diversos momentos para literalmente pogar e balançar as cabeças!

O disco já abre com a arrasa-quarteirões "Buried Alive", onde Pastore mostra todo o poder de sua garganta! Aliás, essa deveria ser a música de trabalho do CD ao invés da também excelente "Nowhere", mas aí já é uma opinião minha.

Seguem-se a cadenciada "Decisions" e a faixa-título, mostrando a tônica do álbum cuja característica de canção das composições e a personalidade das músicas. Elas ocuparam o lugar de exageros virtuosos, o que prova a maturidade bem-vinda que o Heaviest possui em seu line-up.

"Betrayed" é uma canção sensacional e bem acabada, mais uma vez captando o momento inspirado do guitarrista Guto Mantesso. Um misto bem dosado de groove e belos riffs e solos de extremo bom gosto! "Crawling Back" e "Torment" são simples em sua construção e empolgam pela pegada, trazendo aquela ginga de riffs que só os músicos brasileiros conseguem imprimir no Metal.

"Time" flerta com o Thrash mais uma vez evidenciando os vocais de Pastore numa bela palheta de tons colorindo a tela desta composição rica de detalhes.

"Ressurection" já tem uma pegada mais Metal moderno em riffs cadenciados com vocais se intercalando entre a melodia e drives bem colocados e um belíssimo show da bateria de Felipe Purini.

"Finding A Way" é uma belíssima balada, quebrando o gelo com extremo bom gosto e o virtuosismo de Mantesso e Eidt para o encerramento com a poderosa "Land of Sin".

Torço sinceramente para que o Heaviest alce vôos mais altos e tenha o merecido sucesso que sua música de personalidade e qualidade oferece ao público. O primeiro passo certeiro já foi dado!

Formação:
Mario Pastore (vocal)
Guto Mantesso (guitarras)
Marcio Eidt (guitarras)
Renato Dias (baixo)
Vito Montanaro (bateria)

Faixas:
01 - Buried Alive
02 - Decisions
03 - Nowhere
04 - Betrayed
05 - Crawling Back
06 - Torment
07 - Time
08 - Resurrection
09 - Finding A Way
10 - Land of Sin


Outras resenhas de Nowhere - Heaviest

Heaviest: Recomendado aos bangers que acompanham a cena nacionalHeaviest: nova empreitada certeira de Mário Pastore no BrasilHeaviest: nova banda de Mario Pastore em seu excelente debut




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Heaviest"


Listed: TV americana elege os maiores bad boys da músicaListed
TV americana elege os maiores bad boys da música

Lindo Demais: conheça o London, o primeiro smartphone da MarshallLindo Demais
Conheça o London, o primeiro smartphone da Marshall


Sobre Ed Oliver

Desenhista e Ilustrador, é também pesquisador e crítico de música especializado em Rock e Heavy Metal em todas as suas vertentes, como Ilustrador trabalha com Quadrinhos e faz material gráfico para bandas do Brasil e exterior.

Mais matérias de Ed Oliver no Whiplash.Net.

adGooILQ