RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas


Summer Breeze 2024

Titãs: Disco sério demais mesmo quando quer parecer debochado

Resenha - Nheengatu - Titãs

Por Daniel Junior
Postado em 21 de maio de 2014

Nota: 6

Talvez com um gap de mais de 10 anos, os Titãs voltam com um disco com o texto mais pesado e contestador. Pelo menos após as inúmeras audições, a impressão é de que a banda tenta retomar um fôlego mas já dá sinais de cansaço criativo. Mesmo com canções interessantes, Nheengatu, décimo segundo álbum de uma carreira discográfica iniciada em 1984 com disco homônimo, não fornece aquela beleza melódica dos tempos em que Arnaldo Antunes ainda pertencia à formação original. A última participação do músico como vocalista foi em Tudo Ao Mesmo Tempo Agora, de 1991.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

Ainda temos Branco Mello fazendo as letras quase infantis como em "República dos Bananas", onde se misturam personagens da vida real com outros criados. Os riffs simples e tocantes lembram o áureo início da banda que com seu simplismo técnico, onde superava as principais carências com muita criatividade. No entanto ao invés de nos surpreender os Titãs voltam à fase que os consagrou nos idos da década 80.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

Mesmo assim é muito bom ouvir novamente Sérgio Britto com sua voz rouca brincando com as palavras como em "Fala, Renata". E não falta aquela brincadeira harmônica com os ritmos nordestinos misturado ao rock, tentativa que deixou a banda evidente em Õ Blesq Blom (1989). No entanto o disco parece que falta alguma coisa, mesmo que as músicas não possam ser consideradas ruins ou sem inspiração como aconteceu em Sacos Plásticos (2009).

Talvez contagiados pelo período conturbado do país, Nheengatu tem um tom meio deprê. Pra baixo, o disco tem bons momentos (mais uma vez com Britto) em "Cadáver Sobre Cadáver" ou "Pedofilia" – em que a banda sugere depoimento de vítimas do crime hediondo – mas na maioria das faixas o que vemos é uma banda antenada com arranjos menos "titânicos" como em "Canalha", onde temos Branco Mello, afinado, mas sem dizer a que veio, com uma música pesada mas anti-climax.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3

A escolha por temas pesados como o assédio sexual à crianças ou mesmo uma espécie de ‘mea culpa’ com "Fardado" (uma antítese do texto de "Polícia", de 1986, pertencente ao disco "Cabeça Dinossauro"), deixa o disco irregular. Mesmo a ideia de re-construir de maneira bem humorada a visão de Pedro Álvares Cabral ao chegar ao Brasil como acontece em "Chegada ao Brasil (Terra À Vista)". Falta diversão, sem trocadilho. O disco é sério demais mesmo quando quer parecer debochado.

A banda decidiu não colocar nenhuma "balada" mas falta verdade à produção. Falta isso e algo mais. Ninguém pode reclamar de que o disco privilegia as guitarras, mas será que é só isso ? Quantas bandas de rock brasileiro que nós não suportamos escutar um só disco? Quando Frommer era vivo, havia mais criatividade e uma parceria de responsabilidades divididas. Belloto não tem a mesma pegada, embora mereça parabéns pelas ideias variadas no disco. Também não dá para negar, que tanto (Paulo) Miklos e (Sérgio) Britto contribuíram com suas ideias de guitarra para o disco, como se viu em pequenos vídeos durante a confecção deste álbum.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 4

Titãs comemoram 30 anos de carreira a partir do primeiro disco lançado em 1984 e talvez seja por isso que tenha retornado a uma sonoridade mais crua mas a falta de sentimento do álbum deixa muito clara que a banda precisa repensar sua vasta história e continuidade.

Os músicos já disseram que estão longe de um fim de carreira e a turnê deste disco (algumas canções já vinham sendo executadas ao vivo) deve dar continuidade à regular discografia de uma das sobreviventes do movimento BRock.

Nheengatu – Titãs (Som Livre, 2014)

01 – Fardado
02 – Mensageiro da Desgraça
03 – República dos Bananas
04 – Fala, Renata
05 – Cadáver sobre Cadáver
06 – Canalha
07 – Pedofilia
08 – Chegada ao Brasil (Terra à Vista)
09 – Eu Me Sinto Bem
10 – Flores Para Ela
11 – Não Pode
12 – Senhor
13 – Baião de Dois
14 – Quem São os Animais?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 5

Outras resenhas de Nheengatu - Titãs

Titãs: Novo disco sofre influência do "Cabeça Dinossauro"

Titãs: Trabalho digno e excepcional de uma banda das antigas

Titãs: Um disco de rock inquieto e surpreendente

Titãs: De volta às raízes com "Nheengatu"

Titãs: Por que Nheengatu pode ser considerado a volta às raízes?

Titãs: Novo álbum traz protesto de mentirinha

Titãs: Primeiro passo para a recuperação de sua relevância

Titãs: Nheengatu e a volta dos cinquentões da pesada

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Stratosphere Project: O eco estrondoso da Via-Láctea fundindo-se nas dimensões ocultas

Perc3ption: A arte em situações extremas

"Here Comes The Rain", último registro do Magnum com Tony Clarkin, é mais um bom registro

Resenha - Nebro - Vesperaseth

Sepultura: Em plena forma e com mais um disco brilhante

Deep Purple: Who Do We Think We Are é um álbum injustiçado?

Deep Purple: Stormbringer é um álbum injustiçado?

Megadeth: recuperando a fúria que faltava


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Daniel Junior

Daniel Junior era blogueiro do Diário do Pierrot e do site The Crow (especializado em cinema). Colaborava com o site Seriemaníacos (sobre séries de TV) e com o blog Minuto HM. Começou seu amor pelo rock por causa do Kiss e do Black Sabbath até conhecer outras bandas pelas quais nutriria paixão e admiração como Metallica, Rush, Dream Theater, Faith No More e tantas outras. Daniel faleceu em 2017 e definitivamente fará falta.
Mais matérias de Daniel Junior.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS