Soilwork: Veloz e implacável como a velha escolha ensina

Resenha - Chainheart Machine - Soilwork

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Continuando a resgatar importantes obras do Heavy Metal mundial, a Shinigami Records está agora disponibilizando "The Chainheart Machine", lançado originalmente pelo Soilwork em 2000 e até então inédito no Brasil. Embora este registro tenha surgido após o At The Gates, In Flames e Dark Tranquillity lançarem as bases para o chamado Death Metal Melódico sueco, é indiscutível que este álbum tenha sido de fundamental importância para a ascensão do Soilwork.

Se ao longo dos últimos anos o Soilwork dividiu as opiniões por ir modificando sua musicalidade de forma a torná-la mais acessível, o que temos em seus primeiros álbuns é uma música que permanece muito próxima de ser realmente extrema. Após "Steelbath Suicide" (98) ter atraído algumas atenções ao nome do grupo, "The Chainheart Machine" continuava a exibir uma agressividade monolítica, mas agora as arestas estavam aparadas e a banda transitava pelo Death e Thrash Metal, sempre com muitas melodias, de forma muito mais natural.

publicidade

Marcando a estreia do excelente baterista Henry Ranta e do guitarrista Ola Frening, o Soilwork mostrava como havia amadurecido, em especial no quesito solos de guitarras e nas linhas vocais de Bjorn 'Speed' Strid, completamente ferozes e, ainda assim, articuladas. E até mesmo a forma comedida como se usam os teclados, que fornecem uma atmosfera adequada, sem nunca dominar a composição, merece ser mencionada.

publicidade

Ou seja, puro Heavy Metal, veloz e implacável como a velha escolha ensina, mas ainda assim sutilmente grudento, características bem representadas especialmente pela faixa-título. Contando ainda com canções de impacto como a multifacetada "Millionflame", as violentíssimas "Possessing The Angels" e "Machinegun Majesty", a versão nacional traz ainda os bônus ao vivo para essa mesma "Machinegun Majesty" e "Neon Rebels"; além de toda a diagramação ser diferente da original, mais limpa e organizada, e com notas sobre esta fase do Soilwork.

publicidade

Após a repercussão obtida com este disco, o Soilwork assinou com a Nuclear Blast e, ainda que os dois álbuns seguintes – "A Predator's Portrait" (01) e "Natural Born Caos" (02) – mostrassem uma evolução apropriadamente consistente, posteriormente os suecos investiram fundo no fator melodia e abrandaram drasticamente a velha distorção. Naturalmente, as opiniões mundo afora se dividiram, mas "The Chainheart Machine" continua sendo considerado como um dos melhores registros da primeira fase da banda. Podem conferir!

publicidade

Contato:
http://www.soilwork.org
http://www.myspace.com/soilwork

Formação:
Bjorn 'Speed' Strid - voz
Peter Wichers - guitarra
Ola Frenning - guitarra
Ola Flink - baixo
Carlos Del Olmo Holmberg - teclados
Henry Ranta - bateria

publicidade

Soilwork - The Chainheart Machine
(2000 / Listenable Records – 2012 / Shinigami Records – nacional)

01. The Chainheart Machine
02. Bulletbeast
03. Millionflame
04. Generation Speedkill
05. Neon Rebels
06. Possessing The Angels
07. Spirits Of The Future Sun
08. Machinegun Majesty
09. Room No. 99
10. Machinegun Majesty (bônus live)
11. Neon Rebels (bônus live)

publicidade


Outras resenhas de Chainheart Machine - Soilwork

Soilwork: Em 2002, a caminho do extremo, melódico e moderno

Soilwork: É bom voltar no tempo e ouvir pérolas relançadas




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Act Of Denial: supergrupo de melodic death metal lança "Down That Line", terceiro single

Soilwork: banda sueca anuncia EP para dezembro; confira capa, tracklist e single

Soilwork: banda divulga teaser de possível nova música

Soilwork: banda anuncia shows na Suécia em 2021

Quadrinhos: qual banda de rock os heróis da DC ouviriam?Quadrinhos
Qual banda de rock os heróis da DC ouviriam?

Act Of Denial: banda que conta com Björn Strid e Steve DiGiorgio lança single de estreia


Quadrinhos: qual banda de rock os heróis da DC ouviriam?Quadrinhos
Qual banda de rock os heróis da DC ouviriam?

Metal sueco: site elege as dez melhores bandas da SuéciaMetal sueco
Site elege as dez melhores bandas da Suécia


Cretin: transexual rompe barreiras no metal extremoCretin
Transexual rompe barreiras no metal extremo

Ozzy Osbourne: dando chega mais em Mônica Apor na coletivaOzzy Osbourne
Dando "chega mais" em Mônica Apor na coletiva


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin