Claustrofobia: Mais um belo registro em sua história

Resenha - Peste - Claustrofobia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Desde os primórdios, mais precisamente nos idos de 1995, quando lançaram a demo “Saint War”, os ‘malucos’ do Claustrofobia incluem músicas cantadas em português em todos seus trabalhos. “Peste”, o quinto trabalho oficial dos caras, traz simplesmente todas as composições cantadas na língua pátria.
402 acessosClaustrofobia: vídeo da música "Curva" com tecnologia em 360º5000 acessosLuciano Sorrentino: Colecionador de material do Kiss

Como era de se esperar, a banda tirou de letra isso e ainda incluiu influências da música brasileira no trabalho, dando uma cara ainda mais própria às composições. São 10 faixas, muito bem compostas, executadas de forma muito coesa e com peso descomunal, onde algumas se destacam em diferentes características.

Metal Malóka (nome já conhecido, pois a banda se auto rotula dessa forma) é um Thrashão brutal com belo riff e uma variação rítmica muito interessante. O final com o falecido apresentador Alborghetti cantando Aquarela do Brasil, espancando sua mesa com seu famoso porrete é impagável e confortante.

A união Metal e cultura brasileira vem na instrumental Nota 6,66,onde, a banda faz um som de bateria de escola de samba misturado com Metal (com a participação do Batuque de Corda). Antes que torçam o nariz, ficou muito interessante e melhor que muita viagem celta ou viking que tantos ‘babam ovo’ por aí.

Pino Da Granada já se inicia com um riff assustador e uma cozinha brutal. Sua cadência é um convite ao pogo. Alegoria Do Sangue também possui uma levada bacana e sua letra é muito inteligente, bem o retrato do país. Aliás, a maioria das letras do álbum demonstra bem a visão dos caras perante o Brasil.

Bicho Humano é uma das mais brutais do disco, possui uma cozinha veloz e um pé no Death Metal. Vida De Mentira emana raiva em sua letra e possui um ‘groove’ legal, além de um trabalho mais variado de guitarras.

O álbum foi produzido pelo renomado Ciero, no Da Tribo estúdios, o que só contribuiu com a sonoridade bem lapidada do trabalho. A arte da capa também ficou legal e a cargo de Alex Spike. Com “Peste”, o Claustrofobia mantém sua chama acesa e deixa mais um belo registro em sua história.

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Peste - Claustrofobia

1752 acessosClaustrofobia: Chegando ao topo do metal nacional2765 acessosClaustrofobia: Dez patadas no saco em português1768 acessosClaustrofobia: Ousadia e excelência em novo álbum2988 acessosClaustrofobia: metal brazuca da melhor qualidade

402 acessosClaustrofobia: vídeo da música "Curva" com tecnologia em 360º177 acessosClaustrofobia: vídeo em 360º de "Generalized World Infection"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Claustrofobia"

Death MetalDeath Metal
Mais cinco álbuns nacionais que você deve escutar

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Claustrofobia"

Collectors RoomCollectors Room
Um dos maiores colecionadores de Kiss que o Brasil possui

Marilyn MansonMarilyn Manson
Ele ganharia o Grammy por incitação a mortes

VocalistasVocalistas
Alguns que poderão ser os novos ídolos do nosso Metal

5000 acessosGuitarra: os dez piores solos já realizados5000 acessosGuns N' Roses: em vídeo, Axl trola Slash e Duff5000 acessosMegadeth: Kerry King não sabe como alguém consegue aguentar Mustaine5000 acessosMetallica: pela oitava vez no Rock In Rio, será que um dia cansa?5000 acessosGuns N' Roses: paródia de capa para DVD no Rock In Rio5000 acessosRush: Perguntas e Respostas e curiosidades sobre a banda

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online