Claustrofobia: Dez patadas no saco em português

Resenha - Peste - Claustrofobia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Rodrigo Noé de Souza
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Sabe aquele disco que representa o que é uma banda de verdade? Aquele lançamento que quando a gente põe nos nossos ouvidos, dá pra sacar que essa mesma banda, ou artista, sabe a mensagem que está passando? Foi com essa pretensão que o Claustrofobia resolveu fazer ao realizar seu maior sonho: compor e lançar um álbum todo cantado em português, com as mesmas características que fizeram eles famosos. Quem acompanha a trajetória do grupo, sabem que eles nunca negaram suas raízes, fazendo o seu Metal Malóka, cuspindo sua fúria pra todos os cantos do globo infestado de pragas doentias. em todos os discos, sempre colocaram faixas com a nossa língua.
417 acessosClaustrofobia: vídeo da música "Curva" com tecnologia em 360º5000 acessosO tempo é implacável: a turma do rock/metal não sabe envelhecer?

E é a partir dái que resolveram ser mais ambiciosos e fizeram Peste. Sim, são dez patadas no saco, todas cantadas em brasileiro (português fica mais clichê!). A capa ficou mais macabra e o formato digipack é coisa de primeiro mundo. Méritos do Ciero (DaTribo) e da prórpia banda que não se acovardou ao realizar tamanha proeza.

Vamos às músicas: A faixa-título é o início do massacre, com um refrão tão marcante quanto Roots Bloody Roots, do Sepultura. Metal Malóka e Bastardos do Brasil passam a mensagem, de que mesmo com as dificuldades do nosso povo, ninguém pode desistir. Esse é o espírito do Claustrofobia, desde que eram moleques em Leme (SP). Uma curiosidade: Quando a segunda faixa acaba, ouve-se o Alborghetti cantando Aquarela do Brasil, de forma sarcástica, para a partir dái iniciar a terceira. Boas pra baterem cabeça até rachar!

MAS... O DESTAQUE vai pra Nota 6,66! Se vocês acham que já ouviram de tudo no Metal, se preparem! Nunca uma banda foi tão ousada e de peito aberto para compor uma música que misturasse Metal com samba (!). E essa faixa poderia virar vinheta do carnaval, pois as viradas dos tambores, a cuíca duelando com a guitarra, o solo do meio de Brasileirinho, os andamentos... Só posso clicar uma coisa: PUTA QUE PARIU, QUE FAIXA DO CARALHO!

Se você é radical, vai se cagar de medo e vai xingar a banda, mas posso afirmar que os cabras e o Batuque de Corda foram profissionais ao realizarem a peça. Já ouvimos Sepultura com Carlinhos Browm e Timbalada, Moda de Rock (viola Caipira), Van Canto (a capella), Apocalyptica (cellos)... Agora é a vez deles ousarem! Parabéns Claustro!

Outra faixa que destaca é a Pinu da Granada, que já tem neguinho achando que a granada é a cachaça. Boa! Quanto as outras, não dá pra falar, é só ouvir e partir pro abate.

Peste é o disco que representa o que é o Claustrofobia, assim como Arise é para o Sepultura, Brasil (Ratos De Porão), Discipline of Hate (Korzus)...

Track List:
1-Peste
2-Metal Malóka
3-Bastardos do Brasil
4-Nota 6,66
5-Pinú Da Granada
6-Alegoria de Sangue
7-Bicho Humano
8-Vida de Mentira
9-Caosfera
10-Viva

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Peste - Claustrofobia

1752 acessosClaustrofobia: Chegando ao topo do metal nacional1331 acessosClaustrofobia: Mais um belo registro em sua história1768 acessosClaustrofobia: Ousadia e excelência em novo álbum2989 acessosClaustrofobia: metal brazuca da melhor qualidade

417 acessosClaustrofobia: vídeo da música "Curva" com tecnologia em 360º177 acessosClaustrofobia: vídeo em 360º de "Generalized World Infection"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Claustrofobia"

Death MetalDeath Metal
Mais cinco álbuns nacionais que você deve escutar

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 10 de maio de 2012

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Claustrofobia"

O tempo é implacávelO tempo é implacável
A turma do rock/metal não sabe envelhecer?

NirvanaNirvana
Site elege as dez melhores músicas do grupo

Ninguém é perfeitoNinguém é perfeito
Os 25 piores álbuns feitos por bandas lendárias

5000 acessosPaula Fernandes: aos 19 anos ela ia em shows de Black Metal5000 acessosFoo Fighters: "sósia" de Dave Grohl canta com a banda em BH5000 acessosAs tatuagens de Rob Halford5000 acessosMetallica: banda toca "Enter Sandman" com instrumentos de brinquedo5000 acessosPovo compra, mas não ouve: fim da moda do vinil pode estar perto5000 acessosCorey Taylor: "Scott Weiland é um preguiçoso de merda"

Sobre Rodrigo Noé de Souza

Nasci em 1984. Esse ano não é só o início de uma nova democracia, mas também é o ano em que vários discos foram lançados, como Powerslave (IRON MAIDEN), Stay Hungry (TWISTED SISTER), W.A.S.P., Don´t Break The Oath (Mercyful Fate), Slide It In (WHITESNAKE), 1984 (VAN HALEN), The Last In Line (DIO) e, o meu favorito de todos, Ride the Lightning (METALLICA). Sou um aficcionado por Metal, desde AC/DC e ZZ Top, até Anaal Nathrakh e Krisiun. Sou Jornalista, blogueiro, facebookeiro, o que for. Quem quiser saber o que eu escrevo, acessem meu blog: www.esporropublico.zip.net.

Mais matérias de Rodrigo Noé de Souza no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online