Claustrofobia: Chegando ao topo do metal nacional

Resenha - Peste - Claustrofobia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Pedro Humangous
Enviar Correções  

9


Pareceu uma eternidade a espera entre o disco anterior "I See Red" para esse lançamento de inéditas da banda Claustrofobia, que apresenta um disco todo cantado em português, intitulado de "Peste". É inegável o talento desses caras e a ascensão obtida nos últimos anos, chegando ao topo do metal nacional. Muitos puritanos ainda torcem o nariz quando se fala em metal cantado em nossa língua. Mas não há do que reclamar do que ouvimos nesse disco. As letras encaixam perfeitamente com o instrumental, passando a mensagem ao ouvinte com toda fúria possível.

Claustrofobia: novo vídeo em modo Quarantine Sessions, assista "War Stomp"Rede Globo: em 1985, explicando o que são os metaleiros

Não é brincadeira o que sai dos alto-falantes quando se coloca esse álbum pra tocar. É extremamente brutal e bem trabalhado.

O Thrash/Death característico da banda continua afiadíssimo, com todos os instrumentos se destacando entre si. Uma faixa que dividirá opiniões é a "Nota 6,66" – uma verdadeira escola de samba metal. O resultado é bastante interessante, mas acaba ficando um pouco enjoativa no final.

A primeira faixa, que leva o mesmo nome do disco, tem um início muito parecido com a música "War Stomp" do disco anterior. O álbum é sensacional do início ao fim, empolgante e nervoso! A arte da capa, a princípio, parece simples, mas é muito bacana e bem elaborada.

O Claustrofobia não precisa provar mais nada a ninguém, definitivamente merecem um lugar de destaque entre os grandes do Brasil e do mundo. Estamos diante um clássico da modernidade do nosso metal nacional. Um discaço, que dá orgulho de ver e ouvir!


Outras resenhas de Peste - Claustrofobia

Resenha - Peste - ClaustrofobiaResenha - Peste - ClaustrofobiaResenha - Peste - ClaustrofobiaResenha - Peste - Claustrofobia



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Claustrofobia: novo vídeo em modo Quarantine Sessions, assista "War Stomp"Claustrofobia: banda libera novo vídeo em Quarantine Sessions, desta vez de "Caosfera"Claustrofobia: assista vídeo em Quarantine Sessions de "Bastardos do Brasil"Claustrofobia: estreia vídeo em estilo Quarentine Session da música "Thrasher"

Death Metal: mais cinco álbuns nacionais que você deve escutarDeath Metal
Mais cinco álbuns nacionais que você deve escutar


Rede Globo: em 1985, explicando o que são os metaleirosRede Globo
Em 1985, explicando o que são os metaleiros

O Whiplash.Net protege quem anuncia no site?O Whiplash.Net protege quem anuncia no site?


Sobre Pedro Humangous

Pedro Humangous, 28 anos, publicitário headbanger. Dono e editor chefe da revista Hell Divine. Santista apaixonado por música e uma boa cerveja. Atualmente reside em Brasília e não poupa esforços para fazer o metal se fortalecer no país. Já colaborou com as revistas portuguesas Versus e Horns Up, além da coluna "Rolo Compressor" na rádio Nucleo Base. Colecionador de CD's, DVD's, Livros e Action Figures, concentra suas forças no metal extremo, sem deixar de lado os demais estilos. Fanático por Opeth, Iron Maiden, Trivium, Kreator, Dream Theater, Baroness, Suicide Silence, entre tantas outras. Siga: @PedroHumangous

Mais matérias de Pedro Humangous no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin