Divine Element: Não é original, mas transparece sinceridade

Resenha - Divine Element - Divine Element

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Mais Heavy Metal made in Grécia! Tendo iniciado suas atividades na Atenas de 2002, as coisas parecem transcorrer lentamente para o Divine Element. Ao longo deste período o pessoal liberou somente uma mísera demo e nada mais, a não ser tocar onde pudessem e correr constantemente atrás de um selo que ajudasse a financiar o tão desejado álbum de estreia. Nada conseguiram de concreto, mas tantos obstáculos apenas servem para serem transpostos, não é mesmo?

Álbuns ao vivo: 10 grandes registros da história do rockBruce Dickinson: Use Your Illusions? Aquele formato é uma bosta!

Pois bem, então a alternativa foi arregaçar as mangas e fazer as coisas acontecerem de forma independente. Houve muita preocupação por parte do Divine Element para que seu debut auto-intitulado chegasse ao público da forma mais profissional possível, a começar pelo esmero de um bonito acabamento gráfico todo em digipak e seguindo a velha tradição das ilustrações contrastadas - a seção que retrata os músicos ficou magnífica! E tudo para embalar canções cujas gravações demoraram nada menos do que três anos para serem concluídas.

O resultado final provou que os esforços valeram a pena. "Divine Element" misturas vários dos subgêneros metálicos e, ainda que consideravelmente melódico, consegue manter toda uma atmosfera extrema. Seja com a propensão de passagens velozes ou pelos ritmos mais calmos e melódicos, tudo se mantém muito bem estruturado. O Thrash, Death e Black Metal são veias explodindo frequentemente, e ainda com alguns elementos acústicos espalhados para enriquecer corpo de algumas faixas.

O áudio é adequadamente forte e ríspido, com toda aquela testosterona nada polida e tipicamente underground. Não há espaço para vacilos, está tudo lá: guitarras, baixo e bateria, tudo aparecendo certinho. É meio complicado eleger destaques entre as seis canções propriamente ditas, mas por ora este escriba tem alguma predileção pelas espetaculares "Dawn Of Battle" e a longa "Crossing The Rubicon", que encerra os 45 minutos de audição com um forte sentimento épico.

Sem ser original, apenas sincero até o fundo do coração, o Divine Element provou se capaz de fazer um som muito interessante a ponto de, quem sabe, ser um degrau para alcançar o devido prestígio pelo underground grego. Esse é um dos 500 discos espalhados pelo planeta, mas o headbanger que curte Primordial, Bathory e o início da carreira do Amon Amarth poderá ter grande interesse em baixar essas canções em www.myspace.com/divineelement.

Formação:
Alchemist - voz e baixo
Nihilus Ayloss - guitarra e sintetizadores
Jahrold - guitarra
Loukas - bateria

Divine Element - Divine Element
(2010 / independente - importado)

01. Introitus
02. Of Darkness
03. A Day For The Hunter, A Day For The Prey
04. Dawn Of Battle
05. Ancient Pride (Necromantia Cover)
06. Fall Of Purity
07. Crossing The Rubicon




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Divine Element"


Álbuns ao vivo: 10 grandes registros da história do rockÁlbuns ao vivo
10 grandes registros da história do rock

Bruce Dickinson: Use Your Illusions? Aquele formato é uma bosta!Bruce Dickinson
Use Your Illusions? Aquele formato é uma bosta!

Separadas no nascimento: Amy Lee (Evanescence) e Shione Cooper (atriz pornô)Separadas no nascimento
Amy Lee (Evanescence) e Shione Cooper (atriz pornô)

Andre Matos: confira o incrível alcance do vocalistaBruce Dickinson: foi difícil evitar as drogas durante toursBruno Sutter: explicando, em vídeo, como ser o melhor vocalista do BrasilGuns N' Roses: o duelo entre "Sweet Child" e "WTTJ" no cinema

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.