Spiritual Beggars: pesado e com toda a atmosfera setentista

Resenha - Return To Zero - Spiritual Beggars

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Ainda que seja considerado um dos mais importantes nomes da cena Stoner Rock do planeta, a maioria dos integrantes do Spiritual Beggars também está envolvida com outras bandas importantíssimas – Arch Enemy, Opeth e Witchery – cujas carreiras há muito avançaram para outras nações além das fronteiras européias. Então, chega a ser perfeitamente compreensível que tenham se passado cinco longos anos para que o sucessor de "Demons" visse a luz do dia.

"Return To Zero" vem acompanhado por uma importante mudança na formação do Spiritual Beggars. A decisão de Janne 'JB' Christoffersson em abandonar seu posto para cantar exclusivamente no Grand Magus (cuja sucessão de bons álbuns vem fazendo com que sua reputação aumente a cada dia) foi inesperada, assim como também foi inesperada a divulgação de que seu substituto seria um cantor e velho conhecido do meio Power Metal, um grego chamado Apollo Papathanasio, do Firewind, capitaneado por Gus G. (Ozzy Osbourne).

publicidade

Pois bem, o leitor familiarizado com os aspectos da sonoridade do Spiritual Beggars certamente traçará paralelos imediatos entre sua música e o bem-sacado título "Return To Zero". Afinal, não há como negar que as maiores influências da banda sueca sejam Black Sabbath, Deep Purple e Uriah Heep, entre outros monstros que foram fundamentais para Hard Rock e Heavy Metal ser o que é hoje. Ou seja: o Spiritual Beggars continua destilando seu rock pesado 'classudo' e com toda a cativante atmosfera setentista.

publicidade

Mas as novas composições não estão com aquela distorção contundente, como era oferecido em alguns dos antigos discos do grupo... O peso está presente, mas cercado por muitas melodias, que parecem ser o objetivo principal do versátil Michael Amott, cujos riffs e solos tão bluesy estão em grande sintonia com os teclados (e o glorioso órgão Hammond!) de Per Wiberg. E quanto ao tal cantor de Power Metal...? Oras, as influências de David Coverdale (Whitesnake) e Ronnie Dio possibilitam que Apolllo seja mais melódico do que seu antecessor, e o fato de se entregar às canções com uma emoção tão palpável comprovam que foi uma escolha digna. O homem convence!

publicidade

Se "Star Born", "Chaos Of Rebirth" e "We Are Free" proporcionam algo incrível, é com a melancolia suave e sombria de "Spirit Of The Wind" que a primeira metade do repertório recebe sua coroa. Há muita coisa boa espalhada por aqui, com aquela sonoridade saudável e obviamente retrô, mas que exala um frescor que apenas comprova a relevância e longevidade do Hard Rock. O público que cultua a velha escola poderá ter um lugar especial em sua coleção para este álbum!

publicidade

Contato:
http://www.spiritualbeggars.com
http://www.myspace.com/spiritualbeggars

Formação:
Apollo Papathanasio - voz
Michael Amott - guitarra
Sharlee D'Angelo - baixo
Per Wiberg - teclados
Ludwig Witt - bateria

publicidade

Spiritual Beggars - Return To Zero
(2010 / InsideOut Music - importado)

01. Return To Zero (intro)
02. Lost In Yesterday
03. Star Born
04. Chaos Of Rebirth
05. We Are Free
06. Spirit Of The Wind
07. Coming Home
08. Concrete Horizon
09. A New Dawn Rising
10. Believe In Me
11. Dead Weight
12. The Road Less Travelled


Outras resenhas de Return To Zero - Spiritual Beggars

Spiritual Beggars: Soando como um disco inédito do Sabbath




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Heavy Metal: o Diabo e personagens bíblicas nas capasHeavy Metal
O Diabo e personagens bíblicas nas capas

Fotos de Infância: Skid RowFotos de Infância
Skid Row


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin