Spiritual Beggars: Soando como um disco inédito do Sabbath

Resenha - Return to Zero - Spiritual Beggars

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O culto ao hard rock setentista cresceu tanto em todo o mundo que deu origem até a um estilo musical, o chamado stoner metal, que tem nos suecos do Spiritual Beggars, indiscutivelmente, o seu maior representante. Capitaneado pelo multiuso Michael Amott (Carcass e chefão do Arch Enemy), o grupo lançou em 2010 seu sétimo álbum, "Return to Zero", cujo título sistemático aponta para uma significativa mudança de formação: o competente Janne “JB” Christofferson deixou a banda para se dedicar ao seu grupo principal, o igualmente ótimo Grand Magus, sendo substituído por Apollo Papathanasio, vocalista do Firewind.
5000 acessosAskmen.com: site elege as dez melhores músicas do Nirvana5000 acessosExemplos: 10 músicos com deficiências ou problemas de saúde

As desconfianças naturais em relação à performance de Apollo se apagam com o simples toque no botão de play. Assim que o CD começa a rodar somos levados através de uma viagem vertiginosa pelo que de melhor o hard rock setentista produziu. Guitarras com muito peso, riffs inspirados, passagens instrumentais ricas e viajantes, grandes melodias e um vocal que honra a tradição dos monstros sagrados que fizeram a história do gênero são condensados nas doze faixas do disco – que tem como faixa bônus a cover ao vivo de “Time to Live”, do Uriah Heep.

"Return to Zero" tem uma dose maior de melodia em relação aos álbuns anteriores do Spiritual Beggars. O timbre de Apollo, mais limpo que o de JB, faz com que o novo cantor soe como uma amálgama entre David Coverdale e Ronnie James Dio – e isso é um elogio! Os solos de Amott mostram toda a versatilidade do músico inglês, já que soam totalmente diferentes dos que ele executa com o Arch Enemy, carregados de feeling e melodias que bebem no infinito oceano setentista. Outro destaque são as intervenções certeiras de Per Wiberg (Opeth), seja no Hammond ou no piano, como é o caso de “The Road Less Travelled”.

As músicas soam como se o Black Sabbath da primeira metade da década de 1970 tivesse gravado um disco de inéditas em 2010. Após uma breve introdução, “Lost in Yesterday” abre os trabalhos com um riff que é puro Tony Iommi, e parece saída de "Master of Reality", de 1971. “Star Born” traz Apollo soltando a voz de maneira deslumbrante, e é uma das melhores do álbum.

Os bons momentos se sucedem em verdadeiras cascatas sonoras. Os riffs pesadíssimos de Amott dão as cartas em “We Are Free”, enquanto “Spirit of Mind” é uma viagem atmosférica que poucas bandas seriam capazes de conceber hoje em dia.

“Coming Home” conta com grandes melodias de guitarra e um ótimo refrão. Já “Concrete Horizon” parece saída de qualquer um dos três clássicos discos que Dio gravou com o Rainbow de Ritchie Blackmore nos anos setenta. Excelente é pouco! O mesmo vale para “A New Day Rising”, onde o Hammond de Wiberg divide os holofotes com a sempre ótima guitarra de Amott. Enfim, ficar elencando as faixas é um puro exercício em busca de adjetivos que as apresentem ao leitor. O recomendado é ouvir o disco e sentir na pele todo o poder da música do quinteto.

"Return to Zero" marca um recomeço para o Spiritual Beggars, e esse novo ponto de partida é simplesmente sensacional. Um retorno espetacular, que compensa os longos cinco anos desde o álbum anterior, "Demons", de 2005. Agora é torcer para que o sangue novo de Apollo Papathanasio e o fogo que ele injetou na banda façam com que Michael Amott e seus asseclas arrumem um espaço na agenda de suas bandas principais para gravar logo mais um ótimo disco como "Return to Zero".

Compre, porque a ausência desse álbum gerará uma lacuna enorme em sua coleção!

1 Return to Zero 0:52
2 Lost in Yesterday 4:48
3 Star Born 3:06
4 The Chaos of Rebirth 5:21
5 We Are Free 3:23
6 Spirit of the Wind 5:51
7 Coming Home 3:25
8 Concrete Horizon 6:01
9 A New Dawn Rising 4:41
10 Believe in Me 6:40
11 Dead Weight 4:51
12 The Road Less Travelled 3:45
13 Time to Live 4:15

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Return to Zero - Spiritual Beggars

2182 acessosSpiritual Beggars: pesado e com toda a atmosfera setentista

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Spiritual Beggars"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Spiritual Beggars"

NirvanaNirvana
Site elege as dez melhores músicas do grupo

ExemplosExemplos
10 músicos famosos com deficiências ou problemas de saúde

Foo FightersFoo Fighters
Pelo Twitter, banda responde ao vídeo viral

5000 acessosJim Carrey: batendo cabeça ao som de Cannibal Corpse5000 acessosAxl Rose: como ele pegava todas as garotas que Slash conquistava5000 acessosLoudwire: as dez melhores bandas da era Grunge5000 acessosPaul Stanley: não é peruca, é Implante Capilar4388 acessosGuitarra: Palhetada alternada - Afinal, qual o mistério?5000 acessosConfissões de uma groupie - a autobiografia de Pamela Miller

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online