Monster Magnet: rock'n'roll pesadão mais direto

Resenha - 4 Way Diablo - Monster Magnet

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Sua música já foi taxada de Stoner, Space, Acid Rock e por aí vai... Apesar das classificações não terem atingido uma unanimidade, o fato é que ao longo de seus inúmeros lançamentos – em especial o prestigiado “Powertrip” (98) – o Monster Magnet passou a ser mais uma destas raras bandas a adquirir o status de ‘cult’ entre boa parcela do público que teve acesso à sua música.
5000 acessosCapas de disco: como seriam se fossem gifs animados5000 acessosRoger Moreira: resposta bem humorada a "crítica" no Agora é Tarde

Parcela esta que pode (ou não) aumentar, pois “4-Way Diablo” está chegando ao mercado nacional via Hellion Records. Depois de passar por maus bocados em função dos excessos químicos (... uma overdose mesmo...) e encarar uma subseqüente reabilitação, o anti-herói Dave Wyndorf regressa com seu sétimo disco, que se caracteriza por se apresentar devidamente contido nas experimentações, outrora tão bem exploradas.

Assim sendo, “4-Way Diablo” traz um rock´n´roll pesadão bem mais direto e sem parte daquele jeitão lisérgico, mas preservando o cheirão de garagem que foi conquistando tantos fãs no decorrer dos anos. É claro que alguns arranjos mais viajantes pipocam aqui e ali, mas não parecem tão autênticos como no passado, e nem mesmo a excelente produção de Matt Hyde (que produziu o já mencionado “Powertrip”) consegue fazer muita diferença, pois o disco não atinge o patamar de qualidade que se esperaria de uma banda como o Monster Magnet.

Então isso significa que o álbum é ruim? Não é para tanto, afinal, canções como “Way Diablo”, “Wall Of Fire”, “Freeze And Pixelate” e “Slap In The Face”, entre algumas outras, mostram uma banda cheia de energia e envolvente. Mas estes momentos realmente marcantes estão dispersos em meio a uma série de canções que não conseguem deslanchar completamente, tornando a audição algo irregular. É o caso de um Monster Magnet que apenas não está naquela fase matadora a que acostumou seu público...

Formação:
Dave Wyndorf - voz e guitarra
Ed Mundell - guitarra
Jim Baglino - baixo
Bob Pantella - bateria

Monster Magnet – 4-Way Diablo
(2007 / SPV Records - 2008 / Hellion Records - nacional)

01. Way Diablo
02. Wall Of Fire
03. You're Alive
04. Blow Your Mind
05. Cyclone
06. 2000 Lightyears From Home (cover do Rolling Stones)
07. No Vacation
08. I´m Calling You
09. Solid Gold
10. Freeze And Pixelate
11. A Thousand Stars
12. Slap In The Face
13. Little Bag Of Gloom

Homepage: www.monstermagnet.net

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de 4 Way Diablo - Monster Magnet

1177 acessosMoster Magnet: simples mas ao mesmo tempo arrojado

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Monster Magnet"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Monster Magnet"

Capas de discoCapas de disco
Como seriam se fossem GIFs animados

Roger MoreiraRoger Moreira
Resposta bem humorada a "crítica" no Agora é Tarde

Contra-baixoContra-baixo
As melhores introduções do Heavy Metal

5000 acessosCapas de disco: como seriam se fossem gifs animados5000 acessosRoger Moreira: resposta bem humorada a "crítica" no Agora é Tarde5000 acessosContra-baixo: as melhores introduções do Heavy Metal4842 acessosQueensryche: por que Tate cuspiu nos companheiros de banda?5000 acessosAC/DC: Angus Young, a saída de Cliff Williams e o futuro5000 acessosVícios: As 10 melhores músicas sobre drogas

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online