Resenha - Death On The Road - Iron Maiden

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Altaf
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10


Um prato cheio para os fãs. Chega a ser difícil escapar desse cliché quando se tem nas mãos o novo lançamento do Iron Maiden, de longe a banda mais querida do heavy metal.

Bruce Dickinson: novo álbum solo será lançado em 2020 ou 2021, diz vocalistaMetallica: as extravagâncias da banda para tocar no Rock in Rio

Cobrindo a Death On The Road Tour, esse DVD triplo vem em um estojo caprichado, que enche os olhos. Os dois primeiros discos contém o mesmo show do CD Death On The Road, gravado no Westfalenhalle, em Dortmund, Alemanha. O primeiro deles, em som estéreo, e o segundo, em 5.1 Dolby Digital. Já o terceiro vem com um documentário sobre as gravações do mais recente álbum de estúdio, Dance of Death, os preparativos para a tour, entrevistas e clipes.

La se vão quase trinta anos de estrada, e o pique da banda continua intacto. Steve Harris e sua turma mantém a energia durante todo o show, e a participação da platéia não apenas complementa o espetáculo, mas já se tornou parte fundamental dele. O público alemão agita como se fosse uma horda de guerreiros em um campo de batalha, entoando todos os riffs e respondendo aos comandos de Bruce Dickinson. Isso tudo em uma segunda-feira, em pleno inverno europeu!!

O repertório é o mesmo que os fãs brasileiros puderam acompanhar nos shows do Rio de Janeiro e de São Paulo em Janeiro de 2004, e não tem grandes surpresas. Estão lá os grandes clássicos como "The Trooper" e "Hallowed Be Thy Name", bem como musicas mais recentes como "Rainmaker" e "Paschendale". Essa última, por sinal, demonstra o quanto as apresentações dos ingleses se tornaram teatrais: Bruce aparece trajando um uniforme de soldado, e caminha entre trincheiras, cercas de arame farpado e cadáveres no palco. Talvez essa tenha sido a turnê com mais artefatos de palco desde a Seventh Tour, que aconteceu no final dos anos oitenta. O palco atual emula um imenso castelo medieval. Tudo bem, castelos são um grande cliché, mas quem se importa? Esse formato facilita e contribui bastante para o espetáculo, dando uma atmosfera sombria ao local.

Outra coisa que salta aos olhos é a desenvoltura de Adrian Smith no palco. O guitarrista saiu da banda no inicio dos anos noventa, para retornar no final daquela década, mas só agora parece ter reassumido seu posto com autoridade, e dá mostras de se sentir novamente em casa. Seu entrosamento com a outra dupla das guitarras, Dave Murray e Jannick Gers, é impressionante. A cozinha demonstra a segurança e competência já conhecidas, com Steve Harris em seu baixo estilo "galopante" e cantando as letras com a platéia como sempre, e Nicko McBrain arrebentando na bateria, apesar de algumas batidas "mascadas" que pouco prejudicam o andamento.

A banda ainda se dá ao luxo de incluir a balada acústica "Journeyman" no primeiro bis, e encerra com chave de ouro, com a dobradinha matadora de "The Number Of The Beast" e "Run To The Hills".

Para quem já viu o show do Iron Maiden várias vezes, o aperitivo maior está no terceiro disco. Quem os conhece sabe que a intimidade do grupo sempre foi bastante preservada. E apesar de relutarem, pela primeira vez os membros permitiram câmeras no estúdio documentando todo o processo de composição do álbum Dance Of Death. Entrevistas com os músicos e com o produtor Kevin Shirley mostram como é difícil conciliar as idéias de seis cabeças em um álbum que agrade a todos. Nas entrevistas percebe-se o já famoso sarcasmo de Bruce e o bom humor de Nicko. E a farra não pára por aí, já que os outros "funcionários" dessa banda que já virou praticamente uma empresa entregam o ouro e contam detalhes da preparação para a tour, como o design do palco, iluminação, escolha de guarda-roupa, cuidados na afinação dos instrumentos, etc. Alguns membros da equipe trabalham com o grupo desde o início, e não conseguem esconder a satisfação de revelar alguns segredos até então desconhecidos dos fãs. E por falar nos fãs, entrevistas com eles na entrada de um dos shows mostram como o Iron hoje em dia atrai pessoas dos 15 aos 50 anos.

O pacotão conta ainda com uma pequena, porém hilária, reportagem de um telejornal do Chile, que fala de "Bruce Dickinson y sus seguidores", e fecha a tampa com os clipes de "Rainmaker" e "Wildest Dreams", fotos de divulgação do álbum e datas da turnê. Agora é aguardar o próximo passo desses veteranos do metal, que apesar de estarem próximos de completar sessenta anos, nem pensam em se aposentar.


Outras resenhas de Death On The Road - Iron Maiden

Resenha - Death On The Road - Iron MaidenResenha - Death On The Road - Iron MaidenResenha - Death On The Road - Iron MaidenResenha - Death On the Road - Iron Maiden




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Iron Maiden"


Bruce Dickinson: novo álbum solo será lançado em 2020 ou 2021, diz vocalistaBruce Dickinson
Novo álbum solo será lançado em 2020 ou 2021, diz vocalista

Iron Maiden: o primeiro disco e o início da lenda (vídeo)

Biologia: brasileira presta homenagem a Angra, Maiden, Scorpions e Def LeppardBiologia
Brasileira presta homenagem a Angra, Maiden, Scorpions e Def Leppard

Grandes covers: cinco versões para Where Eagles Dare, do Iron MaidenGrandes covers
Cinco versões para "Where Eagles Dare", do Iron Maiden

Músicas imortais: The Wicker Man, o recomeço para o Iron MaidenMúsicas imortais
"The Wicker Man", o recomeço para o Iron Maiden

Playlist: a carreira solo de Bruce DickinsonPlaylist
A carreira solo de Bruce Dickinson

Kiko Loureiro: Painkiller do Judas com Supla cantando Jesus Cristo do Roberto CarlosKiko Loureiro
"Painkiller" do Judas com Supla cantando "Jesus Cristo" do Roberto Carlos

Iron Maiden: vídeo de cão batendo cabeça com Fear of the Dark bomba nas redesIron Maiden
Vídeo de cão batendo cabeça com "Fear of the Dark" bomba nas redes

Iron Maiden: atlas ilustrado da banda ganha edição nacionalIron Maiden
Atlas ilustrado da banda ganha edição nacional

Iron Maiden: quarta - e última - fase da série de CDs remasterizados sai em novembroIron Maiden
Quarta - e última - fase da série de CDs remasterizados sai em novembro

Rodz Online: Especial Rock in Rio 2019, Iron Maiden com Clara Lima (vídeo)unMaiden: palheta de Dave Murray da Fear of the Dark tour será sorteada em campanha

Iron Maiden: João Barone, do Paralamas, mandou livros para Bruce e SteveIron Maiden
João Barone, do Paralamas, mandou livros para Bruce e Steve

Em 14/10/1985: Iron Maiden lançava o ao-vivo Live After Death

Regis Tadeu: tudo que você não sabe sobre Bruce DickinsonRegis Tadeu
Tudo que você não sabe sobre Bruce Dickinson

Iron Maiden: o que os grandes músicos acham da banda?Iron Maiden
O que os grandes músicos acham da banda?

Kerrang: Os 50 discos mais importantes dos anos 2000Kerrang
Os 50 discos mais importantes dos anos 2000

Capas Gêmeas: William Blake, Gilgamesh e Bruce DickinsonCapas Gêmeas
William Blake, Gilgamesh e Bruce Dickinson


Metallica: as extravagâncias da banda para tocar no Rock in RioMetallica
As extravagâncias da banda para tocar no Rock in Rio

Duff McKagan: Justin Bieber é um roqueiro de verdade!Duff McKagan
"Justin Bieber é um roqueiro de verdade!"

Metallica: a lista de exigências da banda em 1983Metallica
A lista de exigências da banda em 1983

Fotos de Infância: Yngwie MalmsteenFotos de Infância
Yngwie Malmsteen

Rock in Rio: Os cachês e exigências dos artistas na edição de 1991Rock in Rio
Os cachês e exigências dos artistas na edição de 1991

Oh, play them Blues: os caminhos do BluesOh, play them Blues
Os caminhos do Blues

Nuno Bettencourt: tocar com Rihanna foi incrível, aprendi muitoNuno Bettencourt
"tocar com Rihanna foi incrível, aprendi muito"


Sobre Rodrigo Altaf

Mineiro nascido em 1974, esse engenheiro civil que vive e trabalha no Canadá começou a ouvir heavy metal aos dez anos, após acompanhar o Rock in Rio I pela televisão. Após vários anos sem colaborar pro Whiplash.Net, está em busca de todos os shows possíveis em Toronto. Entre suas influências estão Iron Maiden, Van Halen, Rush, AC/DC e Dream Theater.

Mais matérias de Rodrigo Altaf no Whiplash.Net.

adGooILQ