Led Zeppelin: A controvérsia sobre as origens do nome da banda

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Márcio Ribeiro
Enviar correções  |  Comentários  | 

Poucas são as bandas que possuem tamanha fama por controvérsias. Qualquer evento, audaz ou simplório, acabava ganhando versões ligeiramente deturpadas, a cada repetição. Desta forma, criou-se um mito em torno de seus nomes.

5000 acessosIron Maiden: a música "Wasting Love" é um Plágio?5000 acessosOut: os 100 álbuns mais gays de todos os tempos segundo a revista

Controvérsias em Relação ao Led Zeppelin - Parte 3

Essa vai ser uma historia rápida. Para não fugir ao estigma de controvérsia em quase tudo em relação ao Led Zeppelin, até a escolha deste nome é uma história à parte. À parte porque quase todo mundo conhece a história, mas ao mesmo tempo, são capazes de conta-la com detalhes. Na minha escola havia um garoto chamado Taborda, um garoto baixo, porem parrudo e forte. Um gaiato em uma turma cheia de gaiatos, diga-se de passagem. Quando fui visitá-lo em casa (sua avó fazia o melhor mate do mundo) descobri que Taborda era baterista. Ele tocava com um pé pesado e sonhava em ser John Bonham. Embora não foi Taborda que me apresentou ao Led Zeppelin, foi ele quem me explicou a origem do nome: “Foi Keith Moon do Who que ao ouvir os caras tocar, falou para o Page que o som plainava alto mas era pesado feito chumbo; como um zepelim de chumbo!”

Quantos de vocês aí já ouviram esta historia? Passei anos imaginando a cena assim como Taborda me contou. Encontrei outras pessoas que confirmaram esta história, e até publicações na internet que reforçavam estes fatos. Adivinha o que? Não foi bem assim, não. Nem perto disto. Quer dizer, a versão não é totalmente falsa. Keith Moon realmente criou o nome. Mas ele não estava falando com Jimmy Page. Page sequer estava no recinto quando Moon proferiu seu famoso texto. E a banda que Moon acabara de ouvir e tentava definir não era uma banda com John Bonham e Robert Plant. Curiosos? Ótimo. Deixa eu te contar então...

Esta história gira em torno de três bandas, a principal sendo the Yardbirds. The Yardbirds estavam sendo empresariados por Mickie Most em um período que o tempo e a história mostrariam ser infeliz para a banda. Mickie Most era um produtor pop que conseguiu hits com bandas como Lulu & the Luvers, Herman’s Hermets e Donavon. Para as sessões destes e muitos outros artistas, ele costumava trabalhar sempre com músicos profissionais de estúdio, os artistas verdadeiros raramente participando em seus próprios discos, salvo vocais. Ele tentou trabalhar com os Yardbirds da mesma maneira, o que foi lamentável.

Entre os músicos de estúdio que ele chamava, estava Jimmy Page e John Paul Jones. Mickie Most tinha um sócio chamado Peter Grant. Vendo o descontentamento geral e mútuo entre os Yardbirds e Mickie Most, Grant negocia ficar cuidando dos Yardbirds enquanto Most cuidaria de Jeff Beck, guitarrista estrela da banda que acabaria sendo expulso do grupo. Mas mesmo antes de ser expulso dos Yardbirds, Mickie Most estava fazendo umas sessões com ele. O ano é 1966 e a gravação foi do instrumental conhecido pelo nome de “Beck’s Bolero”.

Alem de Jeff Beck, Mickie Most acertou para esta sessão as participações de Jimmy Page, que além de guitarra rítmica cuidou do arranjo do tema, e Nicky Hopkins no piano. Para a cozinha, foram convidados John Entwistle e Keith Moon. Aqui entra a segunda banda nesta história, The Who.

Existem alguns dados sobre o Who de que poucas pessoas hoje em dia tem ciência. O primeiro deles é o fato de que o Who não era esta unanimidade nem mesmo dentro da banda. The Who era durante a década de sessenta, essencialmente uma banda cult. O que podemos chamar de banda “underground” ou “alternativa”. Eles tinham uma grande legião de fãs entre os mods, mas não eram tão grandes como acabaram se tornando depois de Tommy. The Who na maior parte da década, perdia feio em popularidade para the Kinks, outra banda mod, porem cuja popularidade não se resumia aos mods. Tendo dito isto, pode-se entender incertezas pelos caminhos musicais escolhidos dentro da banda. E estas incertezas eram debatidas constantemente dentro do The Who.

A banda fora montada inicialmente por Roger Daltrey, que aos poucos foi pincelando os músicos que tocariam com ele até chegar à formação que conhecemos como The Who. O empresário que arrumaram, dava tremenda força e atenção para Pete Townshend, e a banda foi cada vez mais tocando apenas coisas escritas por Townshend. Esta mutação foi difícil para o ego de Daltrey. Acontece que Roger Daltrey sempre foi um Teddy Boy de marca maior. A pinta de marombeiro dele não era a toa, Daltry era forte, esquentado e suas inseguranças dentro da banda o tornavam explosivo.

Foram inúmeras as vezes em que Daltrey literalmente partiu para a violência física para ganhar uma discussão dentro do Who. Daltrey já dera tanta porrada em Townshend que este foi parar desacordado no hospital. Considerando esta fase sendo a inicial, é impressionante que a banda conseguiu se manter unida a ponto de os ânimos amainarem e eles se tornarem realmente amigos através do tempo. Porém durante uma outra discussão explosiva, Moon e Entwistle estão de saco cheio e aceitam participar de uma sessão com Jeff Beck, mesmo que proibidos por contrato.

Então Beck’s Bolero foi gravado com Beck, Page, Hopkins, e Moon. No entanto para o baixo Entwistle temeu se prejudicar violando o seu contrato e em cima da hora ligou avisando que não viria. Mickie Most então chamou seu baixista profissional predileto, John Paul Jones. Nesta sessão, Keith Moon aprende o que é tocar com Jimmy Page, Jeff Beck, John Paul Jones, e gosta da experiência. Moon, agitado como conhecemos, provoca os outros para a idéia de montarem uma banda. Pelo o que se conta, tanto Jimmy Page quanto Jeff Beck acharam a idéia atraente. John Paul Jones passou a ligar ocasionalmente para Page garantido o seu interesse em participar de qualquer trabalho que ele queira fazer e Keith Moon ao que tudo indica se mostrava bastante feliz com a idéia de deixar o Who. O que faltava era um vocalista.

Jimmy Page sondou primeiro Steve Winwood, que já saíra do Dave Clark Five mas aparentemente já estava com Traffic meio formado. Page então procurou Steve Marriott do Small Faces, conversando primeiro com seu empresário. Este ameaçou quebrar todos os dedos da suas mãos se tentasse tirar Marriott dos Small Faces. A ameaça amedrontou Page e ele acabou desistindo da idéia por completo. O tempo passando, os eventos que se seguiram levaram Jeff Beck a ser expulso dos Yardbirds e começar lentamente a montar as fundações para o Jeff Beck Group. Steve Winwood e Traffic acabariam dando certo, Keith Moon voltaria a se encaixar no Who até a próxima grande briga e Jimmy Page assumiria um papel prioritário nos Yardbirds. A ideia da nova banda foi esquecida. John Paul Jones continuaria a fazer dinheiro como músico de estúdio e Nicky Hopkins além de seus trabalhos de estúdio excursionaria com algumas bandas por períodos pré-estabelecidos.

Foi então na primavera de 1968, com os Yardbirds excursionando os Estados Unidos pela ultima vez, que a banda se desintegraria por completo. Irritado com um show ao vivo mal gravado e frustrado com a possibilidade da gravadora lançar o produto apesar da qualidade desqualificável (o que acabou acontecendo em 1971), a banda volta para Londres pronta para acabar. Enquanto não chegam dos Estados Unidos, um dos assistentes de Peter Grant, que acabaria tendo um papel majoritário no Led Zeppelin, chamado Richard Cole, está sentado em um bar com Keith Moon e John Entwistle, ambos novamente putos com Roger Daltrey após mais uma briga sangrenta. É aqui e nesta noite, conversando com Richard Cole que voltam a cogitar montar aquela banda com Jimmy Page e Steve Winwood. Foi então que Keith Moon proferiu sua famosa analogia sobre o som que eles fariam soar como um zepelim de chumbo.

Quando Richard Cole encontrou-se com Jimmy Page, contou-lhe dos comentários de Moon e sua idéia de chamar aquela banda de Lead Zeppelin. Alguns meses depois, após montar a banda nova, sentiu no som a firmeza necessária para se garantir sem ter que se calcar no uso do nome Yardbirds. Page e Jones estudaram alguns nomes para a banda, dois deles sendo Whopee Cushion e Mad Dogs, este último acabando por ser aproveitado mais tarde por Joe Cocker. Foi quando Page lembrou da sugestão de Moon e nasceu assim Led Zeppelin. O Led escrito sem o “a” para não haver dúvidas quanto à pronuncia certa.

Enfim, estes são os detalhes muitas vezes esquecidos sobre a verdadeira forma como se chegou ao nome Led Zeppelin.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 12 de abril de 2013
Post de 28 de abril de 2014
Post de 29 de abril de 2014
Post de 17 de maio de 2015
Post de 13 de janeiro de 2017

Pé de Página

5000 acessosJackie Brenston e seu Foguete 885000 acessosMuito antes do Led Zeppelin: A origem da guitarra gêmea1763 acessosQuem Foi Johnny Ace?5000 acessosBeatles: como surgiu o clássico "Get Back"?5000 acessosLed Zeppelin e o Mud Shark378 acessosThe Rising Sons5000 acessosFreedom of Expression: o tema do Globo Repórter1233 acessosTomorrow3609 acessosThe Mothers of Invention: Três Marinheiros e as Mães619 acessosNeil Christian & the Crusaders339 acessosGeléia da Pesada5000 acessosThe Police: uma idéia criada e visionada por Stewart Copeland5000 acessosVida de rockstar: sexo, drogas e mau comportamento276 acessosThe Prime Movers840 acessosBobby 'Woodman' Clarke4420 acessosEu Sou O Maior!5000 acessos200 Motels ou a vida na estrada1771 acessosExtrapolando - Número 25000 acessosA origem do termo "Rock'N'Roll"5000 acessosRichard Berry: se uma música pudesse definir o rock de garagem, seria "Louie, Louie"5000 acessosThe Kinks: Em 1964, o lançamento de "You Really Got Me"1857 acessosWynonie Harris - O Pai de Elvis Presley5000 acessosBob Dylan & The Band em Woodstock3320 acessosO Havaí e o Steel Guitar0 acessosTodas as matérias sobre "Pé de Página"

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Pé de Página"0 acessosTodas as matérias sobre "Led Zeppelin"

Marc Ferr?Marc Ferr?
A música "Wasting Love", do Iron Maiden, é um Plágio?

OutOut
Os 100 álbuns mais gays segundo a revista

Kim KardashianKim Kardashian
Usando camiseta do Metallica de dois mil dólares?

5000 acessosPhil Anselmo: Vocalista explica e se retrata por episódio racista5000 acessosRoqueiro poser: 100 regras essenciais para se tornar um5000 acessosDuff McKagan: "Nikki Sixx, do Motley Crue, é um gênio!"5000 acessosLuiz Calanca: A coleção do dono da Baratos Afins5000 acessosLegiao Urbana: a história até Uma Outra Estação5000 acessosKelly Osbourne: há dez anos achava que nem estaria viva até hoje

Sobre Márcio Ribeiro

Nascido no ano do rato. Era o inicio dos anos sessenta e quem tirou jovens como ele do eixo samba e bossa nova foi Roberto Carlos. O nosso Elvis levou o rock nacional à televisão abrindo as portas para um estilo musical estrangeiro em um país ufanista, prepotente e que acabaria tomado por um golpe militar. Com oito anos, já era maluco por Monkees, Beatles, Archies e temas de desenhos animados em geral. Hoje evita açúcar no seu rock embora clássicos sempre sejam clássicos.

Mais matérias de Márcio Ribeiro no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online