Led Zeppelin e o Mud Shark

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Márcio Ribeiro
Enviar correções  |  Comentários  | 


Poucas são as bandas que possuem tamanha fama por controvérsias. Quando o Led Zeppelin estava envolvido, qualquer evento, audaz ou simplório, acabava ganhando versões ligeiramente deturpadas a cada repetição, criando um mito em torno de seus nomes. De todas as historias conhecidas sobre os excessos praticados por uma banda na estrada, nenhuma é tão chocante e mais celebrado do que a historia do mud shark. Um mud shark é uma espécie de cação encontrado em águas lamacentas.
5000 acessosRolling Stone: os 100 melhores álbuns dos anos 905000 acessosMMA: os lutadores que curtem Rock e Heavy Metal

Controvérsias em Relação ao Led Zeppelin - Parte 2

Do The Mud Shark

Membros do Led Zeppelin teriam enfiado um peixe no órgão sexual de uma parceira? A história tem sido contada de várias formas, a maioria insinuando bacanal, estupro, masoquismo, e até satanismo. Nenhuma destas versões é verdadeira. De outras vezes o incidente foi tratado como se fosse apenas um mito, uma fantasia, uma mera ilustração para as loucuras abusivas que realmente aconteciam durante uma excursão. Longe de ser um mito, essa historia é verdadeira e aconteceu como explica uma canção.

A canção em questão chama-se "Mud Shark", composta por Frank Zappa e lançada em 1971. Na canção, Zappa conta que um membro do Vanilla Fudge (Mark Stein) contou o caso para Don Preston, um membro de sua banda quando se encontraram em Chicago. O incidente aconteceu em Seattle, onde existe um hotel chamado the Edgewater Inn. Como o nome sugere, o hotel fica à beira d'água, às margens de Elliott Bay, e a sua principal atração é de se poder pescar da própria janela. De águas lamacentas, os lambaris ou baiacus que nela residem acabam apelidados de mud sharks.

Conta-se que às quatro da manhã, John Bonham estava pescando da sua janela acordado por cocaína e matracando incessantemente, o que explica a razão porque depois de horas na janela, ele não pescara absolutamente nada. Entediado, Bonham passa a esfregar champanhe no salmão fresco que estão usando como isca na esperança de embriagar os desgraçados. Bonham, que já secara sua terceira garrafa de champanhe, estava no ponto certo para achar qualquer coisa divertida e engraçada. Podem rir, mas os peixes começarem a morder e o gigantesco baterista do Led Zeppelin acabou tirando das águas lamacentas de Elliott Bay três vermelhões e alguns mud sharks.

Richard Cole segurando um dos pescados. Foto tirada por John Bonham.
Richard Cole segurando um dos pescados. Foto tirada por John Bonham.

No dia seguinte Bonham estava se gabando de seu feito para todos, mormente Page e Plant, quando surgiu a fatídica pergunta: “O que você vai fazer com estes peixes?” A resposta nao poderia ser mais vaga, “Encontraremos alguma coisa”. E naquela noite realmente encontraram. Reunidos no quarto com algumas groupies, uma ruiva em particular de 17 anos, bebendo champanhe da garrafa, falava coisas picantes, sobre como gostava de sexo gostoso. Até ai, é tudo só papo, contudo quando ela comentou que gostava de ser amarrada, acabou atiçando a imaginação dos rapazes. Jimmy Page sorrindo declarou que se a garota gostava de ser amarrada, eles tinham a obrigação de tentar agradá-la.

Richard Cole ligou para o serviço de quarto, e com a desculpa de precisar amarrar uma mala cuja tranca arrebentara, pediu uma corda. Quando a corda chegou, a ruiva começou a rir e a tirar a roupa. Seu nome era Jackie e ela foi logo se deitando enquanto os meninos começaram a amarrar suas mãos e pés na cama. Embora a estória conte que usaram um mud shark, Jackie sendo ruiva, optaram pelo vermelhão. Delicadamente inseriram o peixe na sua vagina, a carne fria e gosmenta criando grande sensações sem fricção. Além de Page, Bonham e Cole, estava presente também Mike Stein, do Vanilla Fudge, que filmou tudo em super 8.

Cole sobre uma pilha de peixes.
Cole sobre uma pilha de peixes.

Após brincarem com a vagina, passaram a tentar enfiar o peixe no canal anal de Jackie, que soltou um grito. Imagine cenas hilárias como Stein dando uma de diretor de cinema, pedindo a uma garota que tem um peixe enfiado no traseiro para sorrir para a câmera, e Jackie sorrindo alegremente enquanto os demais acenam como turistas em algum lugar exótico. Em momento algum Jackie reclamou, muito pelo contrário. Todas as suas exclamações eram basicamente reações às sensações que sentia: “Meu Deus! Isto é incrível!”, “Wow!”, “Não pare!”, “Mmmmm”, “Ui!” e assim por diante.

Depois de meia hora a brincadeira cansou e os participantes foram cada um fazer outra coisa. Ninguém comeu Jackie. A história tem sido contado de vários formas, mas somente o filme feito por Mike Stein pode revelar a verdade. Esta não é a unica estoria de sexo com habitantes aquáticos que envolvem Led Zep. De outra feita encheram pela metade uma banheira com água e nela colocaram duas garotas e quatro filhotes de octopus. Ficaram impressionados com o instinto dos bichinhos de irem direto para o orifício correto. As duas garotas concluiram que um filhote de octopus é infinitamente mais gratificante do que um vibrador.

Durma com um barulho desses...

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 17 de dezembro de 2015

Pé de Página

5000 acessosJackie Brenston e seu Foguete 885000 acessosMuito antes do Led Zeppelin: A origem da guitarra gêmea1755 acessosQuem Foi Johnny Ace?5000 acessosBeatles: como surgiu o clássico "Get Back"?376 acessosThe Rising Sons5000 acessosFreedom of Expression: o tema do Globo Repórter1224 acessosTomorrow3596 acessosThe Mothers of Invention: Três Marinheiros e as Mães612 acessosNeil Christian & the Crusaders333 acessosGeléia da Pesada5000 acessosThe Police: uma idéia criada e visionada por Stewart Copeland5000 acessosVida de rockstar: sexo, drogas e mau comportamento5000 acessosLed Zeppelin: A controvérsia sobre as origens do nome da banda268 acessosThe Prime Movers837 acessosBobby 'Woodman' Clarke4412 acessosEu Sou O Maior!5000 acessos200 Motels ou a vida na estrada1762 acessosExtrapolando - Número 25000 acessosA origem do termo "Rock'N'Roll"5000 acessosRichard Berry: se uma música pudesse definir o rock de garagem, seria "Louie, Louie"5000 acessosThe Kinks: Em 1964, o lançamento de "You Really Got Me"1841 acessosWynonie Harris - O Pai de Elvis Presley5000 acessosBob Dylan & The Band em Woodstock3295 acessosO Havaí e o Steel Guitar0 acessosTodas as matérias sobre "Pé de Página"

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Pé de Página"0 acessosTodas as matérias sobre "Led Zeppelin"

Rolling StoneRolling Stone
Revista lista os 100 melhores álbuns dos anos 90

MMAMMA
Os lutadores que curtem Rock e Heavy Metal

Music RadarMusic Radar
Os maiores frontmen de todos os tempos

5000 acessosMais Alto!: A diferença entre headbangers e humanos comuns5000 acessosFoo Fighters: Pelo Twitter, banda responde ao vídeo viral5000 acessosCapas de álbuns: as mais obscuras e marcantes da história5000 acessosDisco Novo Pra Quê?: Catálogo do Metallica explodiu em 20155000 acessosDrogas: 10 músicos que surpreendentemente sobreviveram aos abusos5000 acessosOzzy Osbourne: como seria se ele regravasse "Highway to Hell"?

Sobre Márcio Ribeiro

Nascido no ano do rato. Era o inicio dos anos sessenta e quem tirou jovens como ele do eixo samba e bossa nova foi Roberto Carlos. O nosso Elvis levou o rock nacional à televisão abrindo as portas para um estilo musical estrangeiro em um país ufanista, prepotente e que acabaria tomado por um golpe militar. Com oito anos, já era maluco por Monkees, Beatles, Archies e temas de desenhos animados em geral. Hoje evita açúcar no seu rock embora clássicos sempre sejam clássicos.

Mais matérias de Márcio Ribeiro no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online