The Who: encerrando a primeira tour brasileira em POA

Resenha - Who (Anfiteatro Beira-Rio, Porto Alegre, 26/09/2017)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Karen Waleria
Enviar correções  |  Ver Acessos

A noite prometia. Expectativa, ansiedade, euforia. Um turbilhão de emoções se misturavam entre os presentes. Duas das maiores bandas de rock britânicas estavam debutando em solo gaúcho.

Separados no nascimento: Sarah Jessica Parker e o mascote EddieGhost: De quais bandas brasileiras eles gostam?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Passados quatro dias da grande noite, dia 26 de setembro de 2017, ainda recordo como se fosse hoje.

Bem antes do horário marcado para o início do show as luzes do Anfiteatro Beira-Rio foram apagadas e uma das bandas mais populares do mundo, o DEF LEPPARD, surgiu diante de todos.

O palco cheio de luzes e painéis remeteu os presentes aos anos 80.
Público esse formado por pessoas das mais variadas idades. Se viam tantos senhores, como jovens entoando as músicas juntamente com a banda.

Apesar da grande maioria do público aguardar o show principal, entre a multidão se viam muitos fãs com camisetas da banda capitaneada pelo Joe Elliot (vocais). E quando o quinteto que ainda conta com Vivian Campbell (guitarra), Phil Collen (guitarra), Rick Sav Savage (baixo) e Rick Allen (bateria) iniciou sua performance, conseguiram a atenção de todos.

Mesmo com um setlist curto, a banda de rock britânica mostrou seus grandes sucessos como os hits "Let's Get Rocked", "Love Bites" e "Rock Of Ages". A maior parte do set mostrou os hits do álbum mais popular o "Hysteria", mas também apresentaram músicas do álbum mais recente do grupo, autointitulado.

Durante exatos 60 minutos a banda que começou no New Wave of British Heavy Metal e se consagrou nos anos 80 no hard rock mostrou muita presença de palco, belas harmonias vocais, solos de guitarra, baladas românticas.

Um dos pontos altos do show foi quando do solo de Rick Allen na sua bateria adaptada. Foi simplesmente arrepiante. O público o ovacionou.

Os veteranos fizeram um show que agradou a todos.

Setlist:

Let's Go
Animal
Let It Go
Love Bites
Armageddon It
Man Enough
Rocket
Bringin' on the Heartbreak
Switch 625
Hysteria
Let's Get Rocked
Pour Some Sugar On Me
Rock of Ages
Photograph

E chegou o momento que todos aguardavam.

Quantos anos, quantas décadas, os fãs esperaram por esse momento?
Na verdade, os fãs e, entre eles me incluo, já haviam perdido as esperanças de ver um show dos britânicos no Brasil, e muito menos era cogitado um show na capital gaúcha.

Faltavam alguns minutos para às 21h30, horário marcado para o início do show, e num dos telões do anfiteatro lia-se a mensagem: "Mantenha a calma, aí vem o THE WHO".

Calma, com certeza, foi a única sensação que garanto que nenhum dos presentes sentiu na noite da última terça-feira.

Sem muita firula o THE WHO iniciou a sua performance histórica.
Durante um pouco mais de duas horas a banda dominou as cerca de 14 mil pessoas que compareceram no show.

Os "joviais", e bota joviais nisso, setentões Roger e Pete, deram uma aula de como se faz rock n' roll. Passando por diversas fases de sua trajetória - as músicas apresentadas fizeram uma compilação de albúns como "Tommy" (1969), "Who's Next" (1971), "Quadrophenia" (1973) entre outros, mas não em ordem cronológica como citei. Veja setlist abaixo.

No palco além de Roger Daltrey (vocais) e Pete Townshend (guitarra) a mega banda que encerrou a tour brasileira, primeira tour em mais de 50 anos da banda, e provavelmente a última tour por aqui, foi formada por John Corey, Loren Gold e Frank Simes (teclados e backing vocals), Simon Townshend, irmão de Pete (guitarra), Jon Button (baixo) e Zak Starkey, filho do Beatle Ringo Starr (bateria) que reproduz com competência a sonoridade do brilhante Keith Moon.

Tanto Roger quanto Pete interagiram com a plateia, até arriscando falar um pouco em português.(Risos)

Mas se a língua portuguesa não era o forte da dupla, no quesito música, que é uma linguagem universal, eles destruiram tudo.

O público cantou, dançou, pulou e se emocionou muito diante desses dinossauros do rock, desses mestres.
E isso aconteceu desde a primeira música executada até a última.

Sem ser piegas, foi mágico. Uma noite para não ser esquecida.

Não foi à toa que o músico Brian Kehew, que inclusive já tocou com o The Who, e agora os acompanha em turnê, afirmou que o show na capital gaúcha "certamente está entre as cinco melhores da era moderna do THE WHO".

Setlist:

I Can't Explain
The Seeker
Who Are You
The Kids Are Alright
I Can See for Miles
My Generation
("Cry If You Want" Snippet)
Bargain
Behind Blue Eyes
Join Together
You Better You Bet
I'm One
The Rock
Love, Reign O'er Me
Eminence Front
Amazing Journey
Sparks
Pinball Wizard
See Me, Feel Me
Baba O'Riley
Won't Get Fooled Again

Bis:
5:15
Substitute

Assistindo a trupe em ação imaginei um retorno da banda com o show onde tocam a sua obra-prima na íntegra, Tommy. Creio que muitos dos presentes também imaginaram.

Infelizmente a banda, anunciou de antemão, que possivelmente encerrarão as atividades ao final da atual tour.

Se bem que há pouco tempo atrás quando imaginaríamos ver essa lenda do rock por aqui, não é mesmo?

Agradecimentos à Hits Entretenimento.

Fotos: Sônia Butelli
https://www.flickr.com/photos/141777721@N07/albums/72157688917192596




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Who"


The Who: Baba O'Riley é um aviso às novas gerações, diz Roger DaltreyThe Who
"Baba O'Riley" é um aviso às novas gerações, diz Roger Daltrey

Momentos bizarros: histórias de Ozzy, Stones, Who e outrosMomentos bizarros
Histórias de Ozzy, Stones, Who e outros


Separados no nascimento: Sarah Jessica Parker e o mascote EddieSeparados no nascimento
Sarah Jessica Parker e o mascote Eddie

Ghost: De quais bandas brasileiras eles gostam?Ghost
De quais bandas brasileiras eles gostam?


Sobre Karen Waleria

Blogueira gaúcha. Estudou letras. Ecleticidade musical é seu ponto forte; com uma tendência ao Rock e Metal. Já foi colaboradora em grandes sites de Rock e Heavy Metal, trabalha com divulgação de bandas e eventos. Responsável pelo blog www.karenwaleria.blogspot.com.br. Siga no Twitter @Rocksblog.

Mais informações sobre Karen Waleria

Mais matérias de Karen Waleria no Whiplash.Net.

adGoo336