Matérias Mais Lidas

imagemSteven Tyler dá entrada em clínica de reabilitação após sofrer recaída

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemEncontro entre Paul Di'Anno e Steve Harris resultou em "algo que será discutido"

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemMark Tremonti, do Alter Bridge, revela que é grande fã de lendária banda de metal

imagemO que Adrian Smith descobriu ao retornar ao Iron Maiden

imagemO dia que os membros do Black Sabbath foram amaldiçoados por uma seita satânica

imagemShavo Odadjian, baixista do System Of A Down, conta quais álbuns mudaram sua vida

imagemNick Mason relembra a época que o Pink Floyd desastrosamente tentou tocar reggae

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemMarcello Pompeu agradece mobilização de fãs

imagemAs composições de Paul McCartney nos Beatles preferidas de John Lennon

imagem"Eu não tinha ideia de quão grande o Maiden iria ficar", diz Bruce Dickinson

imagemIntegrantes do Rush relembram a época que abriram shows para o Kiss, em 1975


Gallery Festival: uma noite de metal underground em Fortaleza

Resenha - I Gallery Festival (Night Bar, Fortaleza, 13/04/2013)

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva
Em 27/04/13

Há exatos 273 anos, diz a história oficial que aconteceu a fundação da cidade de Fortaleza, num 13 de abril. No entanto, sabemos que a história não começou aí. Dos povos que aqui existiam, como ocorreu em todo o continente americano, muito pouco restou. Nesta noite, no entanto, mesmo que, não intencionalmente e sem nenhum apoio de qualquer autoridade municipal, o que aconteceria no Night Bar, o point recém-descoberto pelo underground cearense, aconteceria uma celebração a esses povos que foram os primeiros donos dessa terra.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Crédito das Fotos: Gandhi Guimarães (Arquivo Underground)

TEMPUS EDAX RERUM

As 10:30, as luzes da casa se apagam e a soturna introdução da primeira musica, "Sinfonias de Morte", da TEMPUS EDAX RERUM começa. A banda tem uma demo lançada e está produzindo o seu debut e seu som é responsável por este que vos escreve tomar gosto pelo estilo, um doom metal com temática pagã, pesado mas cheio de melodia, que homenageia os ancestrais ameríndios e é repleto de técnica e influências de rock progressivo. Na segunda faixa, "Entidade Antiga", o baterista tem seu principal momento de destaque, mas, nem por isso, o resto do conjunto da banda perde a oportunidade de se destacar também. Além de instrumentos de percussão tocados com parcimônia pelo vocalista principal, Eduardo Tempus Edax Rerum (cujos vocais guturais se contrapõem aos rasgados do tecladista Marcos Diniz), a banda ainda inclui um segundo microfone para Eduardo, adicionando efeitos em alguns momentos que remetem aos grandes ícones do progressivo praticado nos anos 70. Quebradas de andamento na terceira, "Ritos e Fogo" (que seria a segunda, de acordo com o set list original), tornam a influência do progressivo ainda mais aparente.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

A banda perdeu dois integrantes desde a última vez que os vi, mas seu som permanece imaculado. O novo guitarrista, com larga experiencia em outras bandas, não se intimidou com o complexo som da TEMPUS EDAX RERUM, que anuncia na faixa epônima que a América nunca deixará de ser pagã. Na próxima, "Ritos, Sacrifícios e Glória", que dá nome a primeira demo, é talvez a mais pesada da banda, apesar de também ter uma mudança drástica (e boa) de andamento. Além disso, tivemos a oportunidade de conhecer mais uma faixa nova, "Insígnia da Criação", que deve estar presente no vindouro CD.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

EVIL CHURCH

Dos tempos pré-colombianos, fizemos uma viagem no tempo e o destino é o apocalipse, com o black metal da EVIL CHURCH. Devidamente maquiados com o corpse paint característico do estilo, a banda trouxe ao palco do Night Bar muita técnica e fúria, incorporada principalmente pela bateria furiosa que, atacada com desespero e urgência pelo baterista e respondia como uma metralhadora sedenta de sangue.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

O show foi dedicado ao Rogério "Panelada" falecido recentemente. Este seria, nos 11 anos de banda, o primeiro show em Fortaleza que não o teria na plateia. A banda baseou seu set list em sua segunda demo, "Brains Rotten For Lies", de 2007 e no debut, "Subjugating The Faith Crawlers", lançado em 2010. O grande momento do show foi " To The Lord Of Chaos (Domination)", faixa do full-length. Além de Smashing (b/v) e Vad M Tenebris (g), completava a banda Baal Moloch (d), em seu primeiro show com a banda. Este tocava com fúria tão intensa que após o show ouvi comentários de membros de outras bandas como: "onde foi que vocês arrumaram esse animal?"

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

MIASTHENIA

Voltamos novamente no tempo para a apresentação da headliner da noite, também devidamente maquiada com corpse paint. Com a mesma temática da TEMPUS EDAX RERUM, mas com um som mais focado no black metal, o MIASTHENIA é uma banda de Brasília composta por Suzane Hécate (teclados e voz), Thormianak (guitarras) e V. Digger (bateria), que também toca no HARLLEQUIN. Começando o show, Thormianak agradeceu aos presentes, ao Emydio Filho (proprietário da Gallery Productions, responsável pelo festival), e exortou o underground, representado por eventos como o Gallery Festival e por pessoas como as que estavam na plateia.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Enquanto os vocais (demoníacos) são defendidos por Suzane Hecate, Thormianak também é uma figura de bastante expressão no palco, com sua compleição e gestos a la Gene Simmons e sua camisa estampando um G.G. Allin black metaller (G.G. Allin não tocava black metal, mas sempre terá seu posto de uma das figuras mais controversas da história do rock - se você não o conhece, google it). Completando a banda, V. Digger, que excursionará pela Europa por 44 dias com o HARLLEQUIN, se mostrou outro mestre, ou melhor, monstro na arte de afagar um kit de bateria, chegando a tocar em pé em vários trechos.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Elencar um dos grandes momentos do show não é tarefa simples, mas, talvez o primeiro deles tenha sido "Tawantinsuyo", com seu belíssimo solo, seguida pela marcante "Necromânticos Ritos de Guerra".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Antes de "Idolatrias", uma pausa para um necessário fôlego no calor da cidade "aniversariante" e mais uma oportunidade para novos "hails" a quem veio de longe para assistir ao show e ao underground. E Thormianak apresenta o novo baterista, V. Digger, antes de Hécate declamar o início da letra de XVI, faixa título de seu primeiro álbum. Sem deixar de tocar, Thormianak se ajoelha aos pés de Hécate e, depois da execução da faixa, tomando posse do microfone dela, fala, com voz embargada, sobre sua emoção de tocar aquela música e tocar para nós que estávamos ali presentes. Pela emoção em sua voz, cheguei a pensar que poderia haver mais algo em seu rosto, alem do suor que desmanchava o corpse paint. V. Digger também merece menção especial, pela técnica, pela brutalidade e presença de palco (o baterista chega a tocar em pé em algumas faixas).

No finalzinho do show, a banda também apresentou uma música chamada "A Saga Ao Xibalba", que estará em seu próximo álbum. Impossível não lembrar da banda grega ROTTING CHRIST, que esteve na cidade ha menos de um mês. O "inferno" maia também é tema de uma das melhores músicas do mais recente lançamento dos gregos.

CERBERUS BESTIAL

A noite foi encerrada pela horda piauiense CERBERUS BESTIAL, cujo som mistura, na medida preferida pelos apreciadores do estilo, a brutalidade de sua cozinha, a melodia de suas cordas e a bestialidade de seus vocais.

O evento também foi uma oportunidade de adquirir o DVD do MIASTHENIA "O Ritual da Rebelião", e outros materiais da banda. O DVD é uma compilação de várias apresentações da banda, algumas com qualidade razoável de imagem e som, outras nem tanto, mas que cumprem o seu propósito de registrar a trajetória da banda. Uma pena que, por motivos óbvios, esta que também foi uma grande apresentação, tenha ficado de fora.

No dia seguinte, ainda se apresentariam as bandas cearenses MONGE, EVIL LAND, SIEGE OF HATE, GSTRUDS e a banda de Manaus BRUTAL EXUBERÂNCIA. Os shows mais esperados por mim naquele domingo seriam o das bandas SIEGE OF HATE e GSTRUDS por ser o lançamento de seus petardos (que receberão resenha aqui em breve).

O ponto negativo foi o público, não o presente, mas aqueles que preferiram perder um show desses. A casa estava longe de estar lotada e a produção, mesmo prevendo o prejuízo que inegavelmente tomaria, preferiu, por respeito aos presentes e às bandas que lá estavam, seguir com o festival. Uma decisão pra lá de louvável, principalmente nesses tempos em que está completando o primeiro aniversário o maior calote já dado aos fãs de música extrema neste país. Sim, você sabe a que me refiro. Ainda existem produtores que apoiam o underground, atuam no lançamento de materiais e na realização de eventos e tem respeito pelo público e pelos músicos.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp



Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).

Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva.