Matérias Mais Lidas

imagemRock in Rio: Pitty alfineta a produção do festival ao revelar qual seria sua exigência

imagemAnitta é a maior roqueira que existe hoje no Brasil, diz integrante do Titãs

imagemJanis Joplin: última gravação dela em vida foi feita para um Beatle

imagemSérgio Moro elege banda clássica de Rock como sua favorita

imagemBruce Dickinson revela qual é sua música preferida do Iron Maiden

imagemQuando Derico, do Programa do Jô, descobriu que Ian Anderson tocava tudo errado

imagemPrika diz que fez "tudo errado" na primeira turnê da Nervosa, mas aprendeu lição

imagemJoão Gordo compara anarcocapitalistas com quem acredita em terraplanismo

imagemRock in Rio libera ingressos extras e novamente dia do metal é único que não esgota

imagemGeddy Lee e Alex Lifeson tocam clássica do Rush em evento nos EUA

imagemNergal diz que vocalista do Arch Enemy é mais corajosa do que muito metaleiro homem

imagemSe não fosse o Queen, Max Cavalera provavelmente não existiria

imagemA reação de Jimi Hendrix ao assistir King Crimson ao vivo

imagemLemmy, Filho e Espírito Santo: Gary Holt tem certeza que ele era três ao mesmo tempo

imagemVídeo de clássico do Kiss é disponibilizado no canal oficial da banda


Stamp

Kiss: um show direto e cheio de punch no Rio de Janeiro

Resenha - Kiss (HSBC Arena, Rio de Janeiro, 18/11/2012)

Por João Paulo Linhares Gonçalves
Em 28/11/12

Antes de começar a falar do show em si, vamos reclamar um pouco: da organização do HSBC Arena, que abriu os portões com mais de uma hora de atraso! Cadê o respeito com o público, que mofou fazendo fila do lado de fora? Ainda por cima, na entrada, insistiram em uma revista super detalhada. Se queriam fazer uma revista tão minuciosa, poderiam abrir os portões mais cedo, não? É capaz de muitos fãs, graças a este desrespeito, terem perdido o show do Viper, banda de abertura. Eu só consegui entrar às 19:30, apenas meia hora antes do show de abertura, e cheguei mais cedo. Quem chegou um pouco mais tarde, provavelmente perdeu parte ou todo o show...

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

E, falando sobre o show de abertura, o Viper mandou muito bem, explorando o pouco tempo que tinha com um repertório enxuto, adequado para a abertura, finalizando com os clássicos "Living For The Night" e "Rebel Maniac", além da cover eficiente do Queen, "We Will Rock You". O público cantou junto as principais canções e recepcionou a banda muito bem. Uma abertura de respeito para o show.

Se tive que reclamar da organização da casa de espetáculos, devo agradecer ao profissionalismo da banda principal, o Kiss, que entrou pontualmente às 21h. Após apagar as luzes e baixar o pano com o logo da banda, a histeria do público tomou conta, muitos gritos, e quase todo mundo repetindo palavra por palavra o anúncio da banda daquele jeito tradicional e clássico que já ficou famoso. A banda surge do alto, em cima de uma plataforma que foi baixando até o palco, já detonando um de seus principais clássicos, "Detroit Rock City", para delírio de todos os presentes. O palco desta turnê me pareceu mais interessante que o da turnê anterior que aportou no nosso país, em 2009. Outra coisa que fiquei receoso, para este show no Rio de Janeiro, marcado para um ginásio fechado, foi as explosões e pirotecnia, mas acho que os efeitos funcionaram ainda melhor, aumentando o impacto. Sem enrolar, a banda emendou outros dois clássicos, "Shout It Out Loud" e "Calling Dr. Love". Hora de promover o novo álbum, e duas canções novas tem espaço, com boa recepção, especialmente o single "Hell Or Hallelujah".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Paul Stanley, o mestre de cerimônias, anuncia que a banda tocaria uma canção do disco "Creatures Of The Night", e somos presenteados com o grande clássico "I Love It Loud", cantado a plenos pulmões por toda a plateia. A seguir, era a hora de Tommy Thayer brilhar, e ele canta mais uma canção do álbum "Monster", "Outta This World" - com direito a rápidos solos de Tommy e de Eric, que brincou com o público usando uma bazuca. Hora do grande demônio brilhar e dar seu show, com direito a seu tradicional solo de baixo, cuspida de sangue e voo para o alto do palco, para cantar o clássico "God Of Thunder" com sua voz cheia de efeito. Stanley então anuncia "Psycho Circus", que tem uma recepção calorosa do público (nem imaginava que esta canção era tão querida...). Uma de minhas preferidas vem a seguir, "War Machine", e rapidamente a seguir começa o voo de Paul Stanley por sobre a plateia, rumo ao pequenino espaço no fundo do ginásio, de onde ele canta "Love Gun", levando a galera localizada no fundo ao delírio. Encerrando a primeira parte, temos uma grande execução para "Black Diamond", cantada por Eric Singer.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

A banda demora a retornar para o bis, e ainda anuncia que não mais tocaria. Stanley ainda brinca e provoca o público se referindo ao show do dia anterior em São Paulo (rola uma sonora vaia, coisa daquela rivalidade boba entre Rio e Sampa). Depois de muitos gritos histéricos do público, eles mandam "Lick It Up", com direito a um pequeno trecho do clássico "Won't Get Fooled Again", do The Who, no meio da música. "I Was Made For Lovin' You", apesar de remeter a uma época de crise na banda, é muito bem recebida e o grand finale não poderia ser outro senão "Rock And Roll All Nite", com direito a muito papel picado e uma festa grandiosa de todo o público, pulando, gritando, dançando, se acabando mesmo. Fim de um belo show, mais uma turnê do Kiss pelo Brasil, agora que somos lembrados pelos grandes nomes do rock, a banda marca presença quase constante nos nossos palcos. Ainda bem!!

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Particularmente, eu achei este show melhor que o de 2009, pelo menos aqui no Rio de Janeiro - lembremos que o show anterior no Rio teve um temporal no meio e a Apoteose ficou meio vazia. Com a HSBC Arena mais cheia, e com efeitos pirotécnicos realçados pela fato de estarmos em um ginásio, tivemos um show mais direto e com mais punch. Adicione também a estes fatores o entrosamento e empolgação da banda, que me pareceram melhores neste show. Mas estas foram minhas impressões, o que vocês acharam? Deixem suas impressões nos comentários!

Setlist do show:

"Detroit Rock City"
"Shout It Out Loud"
"Calling Dr. Love"
"Hell Or Hallelujah"
"Wall Of Sound"
"Hotter Than Hell"
"I Love It Loud"
"Outta This World"
"God Of Thunder"
"Psycho Circus"
"War Machine"
"Love Gun"
"Black Diamond"

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Bis:
"Lick It Up"
"I Was Made For Lovin' You"
"Rock And Roll All Nite"


Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Confira fotos do show no blog Ripando a História do Rock.

http://ripandohistoriarock.blogspot.com.br. Até o próximo show!!


Outras resenhas de Kiss (HSBC Arena, Rio de Janeiro, 18/11/2012)

Resenha - Kiss (HSBC Arena, Rio de Janeiro, 18/11/2012)

Resenha - Kiss (HSBC Arena, Rio de Janeiro, 18/11/2012)

Resenha - Kiss (HSBC Arena, Rio de Janeiro, 18/11/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Dream Theater 2022


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Vídeo de clássico do Kiss é disponibilizado no canal oficial da banda

Gene Simmons conta como foi o dia em que ele compôs com Bob Dylan

A canção do Rush que tira sarro de balada clássica do Kiss

Quando Slash tentou entrar pro Kiss mas foi rejeitado por um motivo cruel

O clipe do Kiss que Paul Stanley se envergonha de ter gravado

Schmier, ícone do thrash metal, demonstra seu carinho pelo Kiss; "Maiores que a vida"

Gene Simmons revela quanto Kiss "faturou" para fazer o primeiro show

Kiss: Bruce Kullick comenta o subestimado álbum "Revenge", de 1992

Red Hot se junta ao grupo de bandas que lançaram dois discos no mesmo ano

De Jon Bon Jovi até Slayer, bandas e artistas que erraram suas próprias músicas ao vivo

Rush: Geddy Lee conta como o Kiss influenciou música do "Caress of Steel"

As três bandas listadas por Gene Simmons como maiores influências do Kiss

Dia Mundial do Rock: relembre 100 clássicos lançados na década de 90

Paul Di'Anno se reencontra com Kiss após 42 anos de uma turnê que marcou o Iron Maiden

Ian Hill relembra a época que o Judas Priest abriu show para o Kiss

Kiss: O que o Lamb Of God precisa? Melodia decente e a voz de Dave Grohl

Kiss: Os músicos que quase entraram na banda

Ace Frehley: "Eu sabia que seria um rockstar"

The Simpsons: 10 melhores aparições de roqueiros no desenho

Fotos de Infância: Red Hot Chili Peppers


Sobre João Paulo Linhares Gonçalves

Roqueiro convicto, de carteirinha, desde os treze anos de idade. Já tive diversas bandas preferidas: de Iron Maiden, Metallica e Black Sabbath a The Who, Pink Floyd e Rolling Stones. O heavy metal sempre me atraiu muito, mas o rock praticado nos anos 60 e 70 é fascinante e estou sempre escutando. De vez em quando, dou chance ao punk, rock alternativo, blues, até ao jazz e MPB, pra variar.

Mais matérias de João Paulo Linhares Gonçalves.

op: whip - whip_02, whip_03, whip_04, whip_05, whip_06, whip_01,