Matérias Mais Lidas

imagemRock in Rio: Pitty alfineta a produção do festival ao revelar qual seria sua exigência

imagemSérgio Moro elege banda clássica de Rock como sua favorita

imagemQuando Derico, do Programa do Jô, descobriu que Ian Anderson tocava tudo errado

imagemBruce Dickinson revela qual é sua música preferida do Iron Maiden

imagemNova Fã que descobriu Metallica por Stranger Things quer cancelar banda e reúne provas

imagemTommy Lee postou uma foto com o "Dr. Feelgood" de fora

imagemRock in Rio libera ingressos extras e novamente dia do metal é único que não esgota

imagemSteve Perry revela o motivo ter recusado substituir Dave Lee Roth no Van Halen

imagemO hit da Legião que Renato Russo compôs para Cássia Eller e traz coincidência trágica

imagemJoão Gordo se reencontra com o amigo Iggor Cavalera; "Agora falta zerar com o vovô"

imagemA opinião de Brian May sobre Lemmy Kilmister e o Motörhead

imagemA reação de Jimi Hendrix ao assistir King Crimson ao vivo

imagemGordo diz que atualizou termos politicamente incorretos após puxão de orelha de filha

imagemIron Maiden e o Rock in Rio: em detalhes, o que exatamente a banda pediu para o evento

imagemOzzy Osbourne revela de qual de seus álbuns Lemmy Kilmister mais gostava


Dream Theater 2022

Kiss: esbanjando vigor e competência no Rio de Janeiro

Resenha - Kiss (HSBC Arena, Rio de Janeiro, 18/11/2012)

Por Marcelo Prudente
Em 28/11/12

Em meados dos anos 1970, quando o movimento rock n’ roll passava por um dos seus melhores momentos – senão o melhor e significativo – era fácil ver grupos de amigos empunhando instrumentos a fim de respirar toda aquela mística e criativa áurea que pairava no ar. Dali surgiram formações seminais para história da música contemporânea, que, sem a menor gota de dúvida, serão objetos de apreciação, e porque não, objetos de estudos de gerações futuras.

Nesse baú de preciosidades infinitas da década 70, o nome Kiss veio ser a combustão perfeita para uma juventude ávida por heróis que fugissem a cartilha do politicamente correto e que pudessem, a todo custo, transformar a vida dos mais conservadores o pior pesadelo jamais visto. Com composições simples e de grande carga emotiva, adicionando à receita uma das mais geniais sacadas do mundo da música: o apelo visual com as mascaras, o Kiss tomou de assalto a posição de maior espetáculo de rock do planeta, o que se perdura até os dias de hoje.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Perto de completar 40 aninhos de bons serviços prestados à música, a instituição Kiss esbanja vigor e competência que sempre lhe fora peculiar. Isso se aplica tanto às apresentações ao vivo quanto aos recentes registros de estúdio. E o melhor lugar para ver todo o poderio sonoro e cênico dos americanos é em seu habitat natural, o palco. Com três datas no país – Porto Alegre (14); São Paulo (17) e Rio de Janeiro (18) – o Kiss mostrou, mais uma vez aos brasileiros, o porquê de ser a banda mais quente do mundo.

A festa na capital fluminense começou com os trabalhos da banda paulista, Viper, que vem rememorando de uma maneira muito feliz os dois primeiros discos de estúdio, Soldiers of Sunrise (1987) e Theatre of Fate (1989), lançados nos idos dos anos 1980. Canções como "To Live Again", "Living for the Night" e "Rebel Maniac" sempre serão festejadas pelos entusiastas do bom rock n’ roll. Uma pena que essa reunião esteja com data marcada para acabar, porque, ao contrário de algumas outras tantas desastrosas, essa renderia um bom caldo no estúdio.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

A expectativa que gira em torno das apresentações dos mascarados é algo incomum no mundo da música, afinal, são poucos os nomes com semelhante credencial. Desta feita não fora diferente, o público carioca só conseguiu esvair de tal emoção sob os acordes da emblemática, "Detroit Rock City". "Shout It Out Loud" não deixa por menos e só retifica que pelas próximas horas a capital mundial do rock é, sim, a cidade do Rio de Janeiro.

Antes de anunciar a próxima canção, o vocalista/guitarrista Paul Stanley agradece a presença do público e promete uma noite mais do que especial a todos. Promessa feita e cumprida, diga-se. "Calling Dr. Love" é cafajeste e debochada no sentido mais malicioso que você, leitor, consiga imaginar. Fazendo os pseudo-críticos morderem a língua e tomarem doses cavalares de seus próprios venenos, a banda prova fácil, fácil que o presente faz, sim, frente ao seu passado brilhante, vide as canções do novo álbum, Monster, como: "Hell or Hallelujah"; "Wall of Sound" e "Outta This World".

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Nunca foi escondido a sete chaves o fato do primeiro nome do rock a incorporar atividades cênicas nas apresentações ao vivo remeter ao lendário, Alice Cooper. Se a tia Alice inventou tal prática, o Kiss foi o responsável em elevar tudo a patamares inimagináveis, que desde a citada década 70 faz muito marmanjo marejar os olhos como uma criança em dia de visita ao parque de diversões.

Digno dos melhores circos dos horrores, os mascarados trazem à festa cusparada de fogo, sangue, fogos de artifícios, labaredas, bateria que tem seu praticável suspendido, baixista que é içado às alturas, tirolesa, chuva de papel, telão que projeta imagens ora complementar as canções e ora com símbolos sem nexo algum e, lógico, alguns sutiãs e calcinhas fornecidos prontamente pelas mais atenciosas fãs.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A experiência de quase quatro décadas na estrada gabarita os músicos a construir um repertório bacana que tanto satisfaça banda quanto o fiel exército de fãs. Temas como "God of Thunder"; "I Love It Loud"; "War Machine"; "Love Gun" e "Psycho Circus" garantiram que a temperatura na Arena HSBC ficasse perto do estado de ebulição. Os fãs que já estão maturados pelos anos de rock n’ roll se deliciaram com o adendo de "Won’t Get Fooled Again" (The Who) na canção "Lick It Up", assim como os primeiros dedilhados de "Stairway to Heaven" (Led Zeppelin) em "Black Diamond".

O final apoteótico ficou na responsabilidade da clássica, "Rock n’ Roll All Nite", que teve a recepção mais calorosa da noite, afinal, emanava dos PA’s o maior hino do rock n’ roll de todos os tempos. Os antigos já alertavam para ir com pouca sede ao pote, porque tudo que é bom tende a durar pouco. Batata! Como num piscar de olhos, a apresentação dos mascarados chega ao fim sob incessantes e efusivos aplausos, mas com a certeza de ter entregado aos cariocas um dos maiores espetáculos de rock do planeta.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Publicado originalmente em
http://rockonstage.blogspot.com.br


Outras resenhas de Kiss (HSBC Arena, Rio de Janeiro, 18/11/2012)

Resenha - Kiss (HSBC Arena, Rio de Janeiro, 18/11/2012)

Resenha - Kiss (HSBC Arena, Rio de Janeiro, 18/11/2012)

Resenha - Kiss (HSBC Arena, Rio de Janeiro, 18/11/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Gene Simmons conta como foi o dia em que ele compôs com Bob Dylan

A canção do Rush que tira sarro de balada clássica do Kiss

Quando Slash tentou entrar pro Kiss mas foi rejeitado por um motivo cruel

O clipe do Kiss que Paul Stanley se envergonha de ter gravado

Schmier, ícone do thrash metal, demonstra seu carinho pelo Kiss; "Maiores que a vida"

Gene Simmons revela quanto Kiss "faturou" para fazer o primeiro show

Kiss: Bruce Kullick comenta o subestimado álbum "Revenge", de 1992

Red Hot se junta ao grupo de bandas que lançaram dois discos no mesmo ano

De Jon Bon Jovi até Slayer, bandas e artistas que erraram suas próprias músicas ao vivo

Rush: Geddy Lee conta como o Kiss influenciou música do "Caress of Steel"

As três bandas listadas por Gene Simmons como maiores influências do Kiss

Dia Mundial do Rock: relembre 100 clássicos lançados na década de 90

Paul Di'Anno se reencontra com Kiss após 42 anos de uma turnê que marcou o Iron Maiden

Ian Hill relembra a época que o Judas Priest abriu show para o Kiss

The Troops of Doom: Jairo Guedz conta porque não consegue falar mal do Iron Maiden

Kiss: Gene Simmons tira sarro dos problemas vocais de Paul Stanley

Yngwie Malmsteen: sua altura o impediu de se tornar integrante do Kiss?

Baterista: quem é o mais injustiçado entre Ringo Starr e Peter Criss?

Iron Maiden: Perguntas e respostas e curiosidades diversas

King Diamond: O que significa ser Satanista?


Sobre Marcelo Prudente

Marcelo Prudente, 28 anos, nascido em Volta Redonda/Rio de Janeiro. É profissional da área de Comunicação, trabalha com Publicidade e Jornalismo. Começou a tomar gosto pela música quando criança por influência dos pais e tio. Louco pela carreira do velho madman, Ozzy Osbourne. Curte também Iron Maiden, Kiss, Rammstein, Rob Zombie, Alice Cooper, etc. E já perdeu a conta dos bons shows que já assistiu e dos ótimos discos que tem. Para mais informação: http://rockonstage.blogspot.com/. Long live to Rock n' Roll.

Mais matérias de Marcelo Prudente.