Matérias Mais Lidas

imagemRock in Rio: Pitty alfineta a produção do festival ao revelar qual seria sua exigência

imagemSérgio Moro elege banda clássica de Rock como sua favorita

imagemQuando Derico, do Programa do Jô, descobriu que Ian Anderson tocava tudo errado

imagemBruce Dickinson revela qual é sua música preferida do Iron Maiden

imagemNova Fã que descobriu Metallica por Stranger Things quer cancelar banda e reúne provas

imagemTommy Lee postou uma foto com o "Dr. Feelgood" de fora

imagemRock in Rio libera ingressos extras e novamente dia do metal é único que não esgota

imagemSteve Perry revela o motivo ter recusado substituir Dave Lee Roth no Van Halen

imagemO hit da Legião que Renato Russo compôs para Cássia Eller e traz coincidência trágica

imagemJoão Gordo se reencontra com o amigo Iggor Cavalera; "Agora falta zerar com o vovô"

imagemA opinião de Brian May sobre Lemmy Kilmister e o Motörhead

imagemA reação de Jimi Hendrix ao assistir King Crimson ao vivo

imagemGordo diz que atualizou termos politicamente incorretos após puxão de orelha de filha

imagemIron Maiden e o Rock in Rio: em detalhes, o que exatamente a banda pediu para o evento

imagemOzzy Osbourne revela de qual de seus álbuns Lemmy Kilmister mais gostava


Dream Theater 2022

Kiss: uma verdadeira celebração Rock N' Roll em São Paulo

Resenha - Kiss (Arena Anhembi, São Paulo, 17/11/2012)

Por Igor Miranda
Em 19/11/12

Em sua quinta passagem em terras brasileiras (as outras foram em 1983, 1994, 1999 e 2009), o KISS também se apresentaria pela quinta vez em São Paulo – única cidade a receber shows de todas as turnês brasileiras da banda. Com energias renovadas após o recém-lançado Monster, vigésimo trabalho de estúdio do grupo, bem como uma nova estrutura de palco a ser apresentada, a noite do dia 17 de novembro de 2012 tinha tudo para ser inesquecível.

O Viper deu início aos trabalhos. A banda, reunida com Andre Matos para comemorar os vinte e cinco anos do lançamento do debut Soldiers Of Sunrise, se apresentou muito bem. Atrações de abertura sempre contam com a difícil tarefa de envolver o público mesmo com recursos limitados, como iluminação básica – o tempo inteiro seguindo apenas Andre – e baixa qualidade de som – as guitarras de Felipe Machado e Hugo Mariutti se embolavam com a voz principal e o baixo de Pit Passarell estava mais alto que tudo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Há quem critique, mas a banda fez bonito no geral. As três músicas de encerramento se destacaram – positivamente ou negativamente. Na ordem: "Living For The Night", com bela intro e boa execução instrumental; "Rebel Maniac", sempre energética e única representante da fase sem Andre no repertório; e "We Will Rock You", na péssima versão que o grupo já deveria ter deixado de lado há um bom tempo. Na última, o público chegou a cantar "I Love It Loud" durante o icônico início na bateria. Infelizmente, a reunião teve um aspecto meramente comemorativo e termina no mês que vem.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A apresentação de abertura teve fim por volta das 21:00h e a expectativa consumiu os milhares de fãs presentes até por volta de 21:45h. Com poucos minutos de atraso, cortina quase sendo levantada pelo vento frio da capital paulista e a voz ensurdecedora do clássico anúncio "you wanted the best", o KISS começou mais um de seus espetáculos.

Me recuso a dizer que o KISS fez um show, uma apresentação ou um concerto. O quarteto comandado por Paul Stanley e Gene Simmons providenciou um verdadeiro espetáculo, com iluminação de primeira categoria, telões gigantescos (um deles em configuração HD posicionado no próprio palco), lança-chamas em cima do palco, explosões, momentos teatrais e muitos, mas muitos fogos de artifício.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Detroit Rock City" abre a noite com muita classe. Paul Stanley não faz mais contorcionismos com a voz como antigamente, mas também não desafinou como em outras recentes apresentações. "Shout It Out Loud" deu sequência e tirou todo mundo do chão, com sua atmosfera altamente festiva e proposta digna de levantar arenas. Não conferi a transmissão feita pelo Terra, mas me disseram que os microfones falharam. Provavelmente só no livestream, pois ocorreu tudo tranquilamente para quem assistia no Anhembi.

"Calling Dr. Love" permite que Gene Simmons tome as rédeas da situação. O entrosamento da banda é cada vez mais nítido. Os instrumentistas sequer se olham. Dádiva de Tommy Thayer e Eric Singer, muitíssimo competentes. Escolhas totalmente acertadas para o KISS do século XXI. Duas novas canções, diretamente de Monster, seguem: "Hell Or Hallelujah" e "Wall Of Sound". A primeira obviamente contou com maior participação da plateia, por ter sido o single inicial do registro.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Hotter Than Hell" deixou o local, de fato, mais quente que o inferno. Aqueles que estavam mais próximos do palco sentiam o calor das chamas. Animações no telão estavam repletas de fogo. Ao fim, Simmons executou o seu clássico número de sopro de fogo. "I Love It Loud", clássica, deu continuidade ao espetáculo, conduzindo o coro dos milhares de fãs. Tommy Thayer deu uma de frontman em "Outta This World", terceira e última nova canção a ser executada. Cantou bem e teve boa interação com o público, apesar de sua natureza ser de guitarrista e não de líder de banda.

Emendado à canção, tivemos o momento solo de Thayer e Eric Singer. Inicialmente, em dupla. Posteriormente, com destaques respectivamente para Tommy, que soltou fogos do headstock de sua guitarra Les Paul, e Eric, que disparou um tiro de bazuca e tentou dar uma de Paul Stanley ao berrar o nome da cidade na qual estava no momento. Cada vez mais desenvoltos e carismáticos em cima do palco, os dois se destacaram incrivelmente durante o espetáculo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Depois dos "empregados", era a vez de um dos "chefes". Em mais um ato clássico e espetacular, Gene Simmons levou os fãs à loucura ao executar o seu solo de baixo, que, intencionalmente, tem mais teatralidade do que instrumento mesmo. Primeiramente, o Demon "cospe sangue" para depois "voar" para o topo do palco. A produção de palco é simplesmente incrível. Todo esse prelúdio serve para deixar todos no clima de "God Of Thunder" – talvez a música que tenha ficado mais adequada com a afinação em D (um tom abaixo do padrão), que passou a ser adotada durante a The Tour com o Mötley Crüe, ainda neste ano.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Duas das maiores surpresas do repertório, na minha opinião, vieram a seguir. Não por ineditismo, pois soube que já estavam sendo executadas em datas anteriores. No entanto, são duas músicas que deveriam ter cadeira cativa nos setlists do KISS desde seus lançamentos. "Psycho Circus" conseguiu a façanha de nascer clássica. Foi pouco tocada após a turnê Farewell, que na verdade era uma grande pegadinha do Mallandro. Canção grandiosa que colocou o Anhembi abaixo. O mesmo com "War Machine", música pesada e incrível, que também teve a mudança de afinação jogando em seu favor.

"Love Gun" seguiu o espetáculo com o excelente momento em que Paul Stanley embarca em um teleférico para cantar/tocar em um pequeno palco posicionado ao meio da pista. Mais uma demonstração de que a voz do Starchild está melhorando, se compararmos com os registros anteriores da turnê. Stanley continuou em evidência ao fazer seu momento solo. O carismático frontman tocou um trecho de "Stairway To Heaven" e instigou a plateia, perguntando: "vocês querem ouvir uma música do KISS?". Após a óbvia resposta afirmativa, teve início a clássica "Black Diamond", na voz de Eric Singer. Mais uma vez, como durante o tiro de bazuca, a bateria do Catman se ergueu.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O espetáculo principal encerrou-se por aí e uma pequena pausa antecedeu o retorno dos mascarados ao palco para o encore. "Lick It Up", com direito a interlúdio de "Won’t Get Fooled Again" (The Who), foi a primeira do bis. A única representante da fase sem máscaras (mas ainda com bastante maquiagem) da banda é infalível em sua missão de levantar a plateia.

"I Was Made For Lovin’ You", um pouco mais arrastada do que de costume, encaminha o espetáculo para o fim. Assim como o icônico ex-guitarrista Ace Frehley, nunca gostei muito da canção. Mas até a música menos empolgante na opinião do fã se torna incrível naquele momento. A clássica "Rock And Roll All Nite" encerrou a noite com chuva de papeis picados, explosões e bastante gelo seco, também contando com o ato final de Paul Stanley: quebrar uma guitarra. O espetáculo foi finalizado de fato com uma série de explosões de fogos de artifício de dar inveja a qualquer festa de Réveillon por aí.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O saldo foi positivo tanto para fãs de primeira viagem, que nunca tinham acompanhado a um espetáculo do KISS (como eu); quanto para os veteranos que já estavam lá para presenciar a matadora performance dos mascarados pela terceira, quarta ou milésima vez. Repito o que foi dito inicialmente: a banda não fez um show, uma apresentação ou um concerto. Fez um espetáculo.

Os vídeos e as fotografias presentes neste post foram realizadas por mim.

Paul Stanley (vocal, guitarra)
Gene Simmons (vocal, baixo)
Tommy Thayer (guitarra, vocal)
Eric Singer (bateria, vocal)

01. Detroit Rock City
02. Shout It Out Loud
03. Calling Dr. Love
04. Hell Or Hallelujah
05. Wall of Sound
06. Hotter Than Hell
07. I Love It Loud
08. Outta This World
09. Tommy Thayer & Eric Singer solos
10. Gene Simmons solo
11. God of Thunder
12. Psycho Circus
13. War Machine
14. Love Gun
15. Black Diamond

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Bis:
16. Lick It Up
17. I Was Made for Lovin’ You
18. Rock and Roll All Nite

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Outras resenhas de Kiss (Arena Anhembi, São Paulo, 17/11/2012)

Resenha - Kiss (Arena Anhembi, São Paulo, 17/11/2012)

Resenha - Kiss (Arena Anhembi, São Paulo, 17/11/2012)

Resenha - Kiss (Arena Anhembi, São Paulo, 17/11/2012)

Resenha - Kiss (Arena Anhembi, São Paulo, 17/11/2012)

Resenha - Kiss (Arena Anhembi, São Paulo, 17/11/2012)

Resenha - Kiss (Arena Anhembi, São Paulo, 17/11/2012)

Resenha - Kiss (Arena Anhembi, São Paulo, 17/11/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Gene Simmons conta como foi o dia em que ele compôs com Bob Dylan

A canção do Rush que tira sarro de balada clássica do Kiss

Quando Slash tentou entrar pro Kiss mas foi rejeitado por um motivo cruel

O clipe do Kiss que Paul Stanley se envergonha de ter gravado

Schmier, ícone do thrash metal, demonstra seu carinho pelo Kiss; "Maiores que a vida"

Gene Simmons revela quanto Kiss "faturou" para fazer o primeiro show

Kiss: Bruce Kullick comenta o subestimado álbum "Revenge", de 1992

Red Hot se junta ao grupo de bandas que lançaram dois discos no mesmo ano

De Jon Bon Jovi até Slayer, bandas e artistas que erraram suas próprias músicas ao vivo

Rush: Geddy Lee conta como o Kiss influenciou música do "Caress of Steel"

As três bandas listadas por Gene Simmons como maiores influências do Kiss

Dia Mundial do Rock: relembre 100 clássicos lançados na década de 90

Paul Di'Anno se reencontra com Kiss após 42 anos de uma turnê que marcou o Iron Maiden

Ian Hill relembra a época que o Judas Priest abriu show para o Kiss

The Troops of Doom: Jairo Guedz conta porque não consegue falar mal do Iron Maiden

Kiss: Gene Simmons tira sarro dos problemas vocais de Paul Stanley

Yngwie Malmsteen: sua altura o impediu de se tornar integrante do Kiss?

Baterista: quem é o mais injustiçado entre Ringo Starr e Peter Criss?

Ultimate Classic Rock: os 100 maiores clássicos do rock

Supergrupos: Os melhores e piores na opinião da Metal Hammer


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda.