Matérias Mais Lidas

imagemHumberto Gessinger faz símbolo do "L" do Lula com a mão em show e fãs vibram

imagemMarcos Mion conta história de encontro (e manjada) com Bon Jovi no banheiro

imagemBill Hudson diz que tatuagem pode ter sido entrave para entrar no Megadeth

imagemEdgard Scandurra, do Ira!, explica atual sumiço do rock nas rádios brasileiras

imagemA curiosa opinião de Ozzy sobre cover do Metallica para "Sabbra Cadabra"

imagemTaylor Hawkins: Ele estava cansado e pronto pra abandonar o Foo Fighters

imagemBruce Dickinson diz o que o surpreendeu quando retornou ao Iron Maiden

imagemA curta e interessante lista de músicas do Iron Maiden escritas por Dave Murray

imagemO que mais impede Kiko Loureiro de voltar ao Angra? (Não tem nada a ver com o Megadeth)

imagemSimone Simons compartilha foto inusitada; "Caminhoneira de dia e cantora à noite"

imagemLuísa Sonza posta fotos com camiseta da banda de death metal Morbid Angel

imagemAutor de "God Save The Queen", Johnny Rotten diz que sente orgulho da Rainha Elizabeth

imagemOzzy Osbourne revela o único integrante de sua banda que saiu "do jeito certo"

imagemMarcello Pompeu, em busca de emprego, pede ajuda a seguidores

imagemIan Gillan conta como foi sua primeira saída do Deep Purple, em 1973


PRB

Airbourne: ao-vivo na Finlândia, carisma e diversão

Resenha - Airbourne (Klubi, Tampere, Finlândia, 18/03/2010)

Por Petri da Costa
Em 23/03/10

Depois de quase 2 anos do formidável show no Sauna Open Air, o Airbourne voltou para a Finlândia e dessa vez com dois shows 'sold out', esse em Tampere e um outro em Helsinki no dia anterior. A popularidade da banda tem crescido muito desde aquele show no Sauna Open Air, com isso também as comparações com o AC/DC continuam, mas no final das contas quem realmente se importa com isso? Essa noite foi uma prova do poder, da energia, do carisma e da diversão que a banda proporciona ao vivo, ingredientes necessários para qualquer banda boa de rock'n'roll.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A abertura do show ficou a cargo do Taking Dawn, uma banda norte americana novata que acabou de lançar o seu debut "Time to Burn" pela Roadrunner, a mesma gravadora do Airbourne. A banda estava marcada para tocar as 21.30, mas por alguns problemas técnicos o show começou 20min atrasado. O som da banda lembra muito bandas dos anos 80, uma mistura de hard rock à la Mötley Crüe e Bon Jovi, com metal tradicional. Boa parte do público não parecia muito interessado na banda, mas tenho certeza que no fim das contas, mesmo com um set list muito curto, o Taking Dawn consegui novos fãs.

Uma vez que os roadies do Airbourne entraram no palco e começaram a prepar o palco para a banda, os fãs foram chegando mais perto do palco para ter uma boa visão. Esse local escolhido para o show, Klubi, não é o melhor para som mas o legal dele é que da uma certa sensação intismista entra banda e público já que o local não é tão grande. Com um certo atraso já esperado, a banda entra e manda de cara "Raise The Flag", do novo álbum "No Guts No Glory", uma música que poucos reconheceram (afinal o álbum começou a ser vendido pouco tempo atrás) mas que mesmo assim cativou todos. Logo em seguida, sem muita conversa ou enrolação, a banda foi tocando músicas conhecidas do álbum "Runnin' Wild", como a rápida "Hellfire", "Diamond In The Rough" (nas palavras do vocalista/guitarrista Joel O'Keeffe: "Uma música sobre buceta", causando risadas gerais e muitos aplausos do público), "What's Eatin' You"; e novas como "Chewin' The Fat", "Blonde, Bad and Beautiful" e "Get Busy Livin'".Quando a banda tocou "Girls In Black" (dedicada, obviamente, às garotas de preto) no meio da música Joel foi no meio do público tocando guitarra, passando por todo o clube e subiu no balcão do bar para surpresa de todos. O legal foi ver que o público daqui, mais conhecido por ser um tanto quanto quieto ás vezes, não paravam de agitar e gritar o nome da banda, deixando os australianos extremamentes contentes sobre o show. Era impossível de se conter com toda essa energia a banda tramsmite, mesmo que Joel é a figura mais "marcante" da banda, o peso que David Roads (g), Justin Street (b) e Ryan O'Keeffe (d) demonstram é impressionante. A maratona energética de rock'n'roll continuou com "Born To Kill", "Heartbreaker", a 'bluesy' "Cheap Wine & Cheaper Women" onde Joel ofereceu algumas cervejas para o público, a nova "No Way But The Hard Way" que já se tornou uma das favoritas dos fãs e fecharam com "Too Much, Too Young, Too Fast", com todos cantando o refrão junto com a banda. Era claro que a banda iria voltar para o bis, e depois de poucos minutos a banda voltou e tocou "Runnin' Wild" e um hino moderno de rock'n'roll e já clássico da banda: "Stand Up For Rock'N'Roll". Joel assustou um pouco os fãs ao final dessa música quando ele pulou do kit da bateria para o palco e caiu de costas, os roadies chegaram a entrar no palco para ver se ele estava bem e depois de alguns segundos Joel se levantou e se despediu do público. Em alguns shows a banda chegou a tocar "Blackjack" como segundo bis, mas talvez pelo atraso a banda teve que corta essa música nesse show. O extâse promovido pela banda deixou todos extremamentes satisfeitos e pensando já quando será próxima vez que o Airbourne volta, um show para ficar na memória.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

AIRBOURNE SET LIST:

Raise The Flag
Hellfire
Chewin' The Fat
Diamond In The Rough
Blonde, Bad And Beautiful
Girls In Black
Get Busy Livin'
What's Eatin' You
Born To Kill
Heartbreaker
Cheap Wine & Cheaper Women
No Way But The Hard Way
Too Much, Too Young, Too Fast

Bis:
Runnin' Wild
Stand Up for Rock 'N' Roll

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp



Sobre Petri da Costa

Fanático por cinema e música, colaborou como correspondente na Finlândia para a RockHard-Valhalla de 2002 até 2008, escrevendo reviews de shows e cds. Tem colaborado com a whiplash desde 2007.

Mais matérias de Petri da Costa.