John Lawton: Em São Paulo, inédito, surpreendente e carismático

Resenha - John Lawton (Blackmore Rock Bar, São Paulo, 12/02/2009)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Humberto Domiciano de Paula
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.




John Lawton é um vocalista que tem mais de 45 anos de experiência. Passou por diversas bandas, mas ficou conhecido mesmo pelo excelente trabalho no Lucifer's Friend e principalmente no Uriah Heep. Pela primeira vez no Brasil, o vocalista fez a primeira de uma série de apresentações em São Paulo, no Blackmore Rock Bar.

Fotos: Fábio Sales

A troca de integrantes sempre foi uma coisa comum para diversas bandas. Deep Purple, Black Sabbath, Yes são exemplos claros disso. No entanto, a mudança de vocalistas costumava causar alguma polêmica.

No caso do Uriah Heep, a história não foi diferente. Quando a saída de David Byron foi definida em 1976, o guitarrista Mick Box encontrava dificuldades para substituir um vocalista tão marcante. Cogitou-se até mesmo a entrada de David Coverdale (DEEP PURPLE, WHITESNAKE). Mas a solução encontrada foi John Lawton, que já tinha uma sólida carreira ao lado do LUCIFER'S FRIEND.

Esse mesmo Lawton esteve em São Paulo pela primeira vez e durante pouco mais de uma hora e meia desfilou clássicos do Heep, da sua carreira-solo e do Lucifer's Friend.

A apresentação aconteceu no Blackmore Rock Bar e justamente por se tratar de um local menor, o show teve um clima bastante intimista.

Para a abertura, Lawton escolheu "The Hanging Tree", primeira música do álbum "Firefly", que marcou sua estreia no Uriah Heep. Por se tratar de uma música forte, o vocalista apresentou excelente forma.

Na seqüência, o primeiro clássico da era Byron: "Stealin'", a faixa do álbum "Sweet Freedom", levantou os cerca de 200 fãs que estavam na casa. Vale destacar que a banda que acompanhou Lawton executou com muita fidelidade e precisão as músicas do Heep, tarefa bastante complicada.

Logo depois, o vocalista tocou "Still Paying My Dues", música de sua carreira solo e emendou outro clássico: "The Wizard", um som que dispensa maiores apresentações e independentemente da formação ou da época, sempre emociona o público.

Aproveitando o momento mais relaxado, Lawton brincou com a platéia antes de tocar a balada "Come Back to Me", do disco "Fallen Angel", seu derradeiro no Uriah Heep.

Na minha opinião, dos três álbuns de Lawton no Heep, o mais forte é "Innocent Victim", de 1977. E ele foi prestigiado com uma boa versão da pesada "Free n' Easy".

Após mais uma música de sua banda solo, a boa "Reach Out" e da primeira do Lucifer's Friend, "Burning Ships", Lawton iniciou mais uma seqüência de tirar o fôlego.

Primeiro pegou o violão e executou "Lady in Black", seguida por "Wise Man", "Easy Livin'", "July Morning" e "Free Me".

A opção de intercalar músicas suas com clássicos da fase de David Byron, foi acertada, já que Lawton conseguiu resgatar uma parte do clima do álbum "Live in Europe", único registro ao vivo oficial daquela fase do Uriah Heep.

Para o bis, o vocalista reservou apenas duas músicas: "Sympathy", do "Firefly" e "Ride the Sky", principal clássico do Lucifer's Friend.

Por fim, a apresentação deixou boa impressão. Se Lawton não é um vocalista tão famoso, ele compensa isso com carisma e capacidade vocal excelentes.

Set-List
1-The Hanging Tree
2-Stealin'
3-Still Paying My Dues
4-The Wizard
5-Come Back to Me
6-Free n' Easy
7-Reach Out
8-Burning Ships
9-Lady in Black
10-Wise Men
11-Easy Livin'
12-July Morning
13-Free Me

Bis
14- Sympathy
15- Ride the Sky


Outras resenhas de John Lawton (Blackmore Rock Bar, São Paulo, 12/02/2009)

John Lawton: Review e fotos do show no Blackmore Rock Bar



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "John Lawton"


Motörhead: em 1995, Lemmy comenta versão do SepulturaMotörhead
Em 1995, Lemmy comenta versão do Sepultura

Separados no nascimento: Paul Stanley e Ioná MagalhãesSeparados no nascimento
Paul Stanley e Ioná Magalhães

Veja SP: show do Iron Maiden eleito como pior de 2009Veja SP
Show do Iron Maiden eleito como "pior de 2009"

Hair Metal: Os maiores cabelos da história do rock pesadoUSA Today: as 20 maiores bandas de todos os tempos nos EUAGene Simmons: "se eu fosse gay, ficaria com Paul Stanley"Metallica: incrível cover de "Enter Sandman" gravado ao contrário

Sobre Humberto Domiciano de Paula

Jornalista, fã de Black Sabbath, Deep Purple e todas as bandas derivadas. Já realizei um grande sonho, que foi conhecer o Purple. Ouço quase todas as vertentes do heavy metal, mas minha praia mesmo é o hard rock. É impossível descrever o que sinto quando ouço "Highway Star", "Behind the Wall of Sleep", "Slow an' Easy"...

Mais matérias de Humberto Domiciano de Paula no Whiplash.Net.