Metallica: livro de Mick Wall traz biografia da banda

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rodrigo Noé de Souza, Fonte: Esporro Público 2012
Enviar correções  |  Comentários  | 


O Metallica, fundada em 1981, é uma das bandas mais significativas do Rock e do Heavy Metal. Ajudou a fundar o Thrash Metal, ao lado do Exodus e Slayer, conquistou os grandes palcos e multidões de todos os cantos do mundo, vendeu mais de 100 milhões de discos, entrou no Rock And Roll Hall Of Fame 2009... Todos esses acontecimentos são detalhados em Metallica – A Biografia. Seu autor é Mick Wall, famoso escritor e crítico musical, escreveu para a Classic Rock, Mojo e The Times. Sua publicação mais famosa foi a biografia “mastodôntica” do Led Zeppelin (Quando os Gigantes Caminhavam sobre a Terra).
348 acessosMetallica: Cliff Burton VS Jason Newsted VS Robert Trujillo5000 acessosSlipknot: Qual é o significado e a tradução do nome da banda?

Mick juntou todos os dados para contar, em mais de 400 páginas, tudo o que aconteceu no final dos anos 70, quando Lars Ulrich e James Hetfield nem imaginvam que iriam formar, o que seria mais tarde, A Banda perfeita.

Nascido na Dinamarca, Lars sempre ficou na sombra do pai, Torben, tenista famoso e ganhador da Copa Davis. Por mais que ele se esforçou, o baixinho não teve êxito nas quadras, e virou um fanático pela New Wave Of British Heavy Metal. Por ser filho único e rico, Lars viajava o mundo para comprar discos de suas bandas favoritas e assistir a shows de bandas, como Deep Purple e Diamond Head, que chegou a ser íntimo com a banda. Quando teve a ideia de formar sua banda e ficar famoso.

James Hetfield veio de uma família típica americana, cujo passado foi traumático, enfrentando a separação dos pais, os ensinamentos da Ciência Cristã (que virou um problema para James), a morte de sua mãe, até ser apresentado ao Rock, quando formou bandas locais na Califórnia. Até ser apresentado ao Lars Ulrich, por intermédio do Brian Slagel (dono da Metal Blade).

Se for para analisar os dois, Lars é rico, fanático por NWOBHM e, que mais tarde, virou caçador da Napster, em 2000. James, antes um garoto tímido e atormentado pela superproteção de sua mãe, era uma mistura de Leão covarde e o Mágico de Óz, que se tornou, anos depois, o maior frontman do Rock.

Nessa biografia, histórias envolvendo os demais integrantes também são relatadas, como a saída do baixista Ron McGovney, a entrada de Cliff Burton, a troca de Dave Mustaine por Kirk Hammett, as gravações do seu primeiro registro que virou peça fundamental para o Heavy Metal, que virou referência para o cenário.

Depoimentos dos músicos não faltam, como a insatisfação de Ron por ter de sair da banda por não aguentar a pressão de ser deixado de lado, enquanto seus colegas admiravam o Cliff; Mustaine ficou mais “diabólico” ao retratar sua saída injusta (mas necessária) do Metallica, em decorrência ao abuso de drogas e álcool.

O livro tem duas partes. A primeira conta a fase clássica, quando a banda se mudou para São Francisco, para se juntar ao Thrash Metal Bay Area, ao lado do Exodus, Anthrax, Slayer e Megadeth. Além disso, Jonny e Marsha Z, na época empresários e donos da Megaforce, contam como tiveram que ajudar o Metallica, criando-os como se fossem seus filhos.

Depoimentos sobre Cliff Burton não faltam: seus pais e amigos falam sobre o sonho do baixista de ter uma banda, viajar o mundo e espalhar sua música.

Na segunda parte, no auge do Master of Puppets, o Metallica sofre um acidente na Suécia, vitimando fatalmente, o Cliff Burton. No prólogo, a terrível tragédia é contada, detalhadamente. Até hoje, ninguém sabe qual era o nome do motorista que dirigiu o ônibus que levava a banda.

Com isso, sob a vontade do baixista, James, Lars e Kirk continuaram e contrataram Jason Newsted. Sobre essa história, ele era tratado como calouro, sendo seu baixo desligado, propositalmente; seja suas roupas jogadas fora; sendo acordado de madrugada no quarto de hotel. Em todo tempo que ficou na banda, Jason co-escreveu três músicas.

Com sonhos mais altos do que um zepelim, o Metallica lançou o Black Album, que virou o Rock e o Heavy Metal, de cabeça para baixo, com direito a turnês com Guns ‘N’ Roses, que foi regada a excessos. A partir daí, foram mudanças de sons dos discos Load e Reload, brigas contra a Napster, terapia em grupo (durante as gravações de St. Anger), a escolha do baixista Rob Trujillo, até Death Magnetic devolver a confiança dos seus fãs que esperavam um registro que lembrasse os clássicos do passado.

Com uma história dessas, o Metallica precisa de uma biografia? Sim, por tudo o que ela fez para o cenário do Heavy Metal, mesmo com a perda de seu integrante mais querido, com as mudanças radicais do seu som, dos problemas que enfrentaram durante a terapia em grupo, para se levantarem e destruírem tudo. Eles procuraram, buscaram e destruíram.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MetallicaMetallica
A música preferida dos fãs nos shows ao vivo

348 acessosMetallica: Cliff Burton VS Jason Newsted VS Robert Trujillo265 acessosMetallica: mais vídeos oficiais ao vivo, jovem fã sobe ao palco292 acessosMeshuggah: e se "Bleed" tivesse a bateria de "St. Anger"?376 acessosMetallica: vídeo profissional de "Creeping Death" em Miami0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Metallica"

Separados no nascimentoSeparados no nascimento
Kirk Hammet e Sky Blu (LMFAO)

Metallica e Lady GagaMetallica e Lady Gaga
Lars diz sim, James diz não, e o que diz Kirk?

Andreas KisserAndreas Kisser
Como ele quase tocou para o Metallica em 1992

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Livros0 acessosTodas as matérias sobre "Metallica"

SlipknotSlipknot
Qual é o significado e a tradução do nome da banda?

Hard RockHard Rock
As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1

AC/DCAC/DC
Setlist, fotos e vídeos do show arrasador com Axl Rose

5000 acessosVoz: 10 músicos que cantam tão bem quanto os vocalistas de suas bandas (Parte I)5000 acessosO Whiplash.Net protege algumas bandas e prejudica outras?5000 acessosSteven Tyler: "nunca esquecerei a audição para o Zeppelin"4229 acessosMetallica: Lars conta que o "Kill' Em All" influenciou novo álbum5000 acessosIron Maiden: Bruce não quer mais cantar Hallowed Be Thy Name?5000 acessosLoudwire: as capas de Heavy Metal mais assustadoras

Sobre Rodrigo Noé de Souza

Nasci em 1984. Esse ano não é só o início de uma nova democracia, mas também é o ano em que vários discos foram lançados, como Powerslave (IRON MAIDEN), Stay Hungry (TWISTED SISTER), W.A.S.P., Don´t Break The Oath (Mercyful Fate), Slide It In (WHITESNAKE), 1984 (VAN HALEN), The Last In Line (DIO) e, o meu favorito de todos, Ride the Lightning (METALLICA). Sou um aficcionado por Metal, desde AC/DC e ZZ Top, até Anaal Nathrakh e Krisiun. Sou Jornalista, blogueiro, facebookeiro, o que for. Quem quiser saber o que eu escrevo, acessem meu blog: www.esporropublico.zip.net.

Mais matérias de Rodrigo Noé de Souza no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online