Matérias Mais Lidas

imagemHumberto Gessinger faz símbolo do "L" do Lula com a mão em show e fãs vibram

imagemBill Hudson diz que tatuagem pode ter sido entrave para entrar no Megadeth

imagemMarcos Mion conta história de encontro (e manjada) com Bon Jovi no banheiro

imagemA curiosa opinião de Ozzy sobre cover do Metallica para "Sabbra Cadabra"

imagemEdgard Scandurra, do Ira!, explica atual sumiço do rock nas rádios brasileiras

imagemBruce Dickinson diz o que o surpreendeu quando retornou ao Iron Maiden

imagemTaylor Hawkins: Ele estava cansado e pronto pra abandonar o Foo Fighters

imagemLuísa Sonza posta fotos com camiseta da banda de death metal Morbid Angel

imagemOzzy Osbourne revela o único integrante de sua banda que saiu "do jeito certo"

imagemA curta e interessante lista de músicas do Iron Maiden escritas por Dave Murray

imagemAutor de "God Save The Queen", Johnny Rotten diz que sente orgulho da Rainha Elizabeth

imagemO erro geográfico na letra de "All Star", música que Nando Reis fez para Cássia Eller

imagemO que mais impede Kiko Loureiro de voltar ao Angra? (Não tem nada a ver com o Megadeth)

imagemSimone Simons compartilha foto inusitada; "Caminhoneira de dia e cantora à noite"

imagemMarcello Pompeu, em busca de emprego, pede ajuda a seguidores


Stamp

AC/DC: O rock não é um mistério, cara!

Resenha - Back In Black - AC/DC

Por Ricardo Cunha
Em 26/07/20

publicidade

Nota: 10

Logo atrás dos Scorpions (55), o AC/DC figura como uma das bandas mais antigas da história do rock. São 47 anos de atividades quase que ininterruptas fazendo um Hard Rock poderoso e cativante. Por falar nisto, uma das principais características de sua música é a simplicidade. Nesses anos todos, seu som permaneceu praticamente inalterado, mas isso não impediu que os australianos alcançassem o topo das paradas musicais. Ao contrário, fez com que se tornassem um dos pilares do rock mundial.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ganharam fama com o álbum Highway To Hell (1979), mas tiveram que lidar com a morte do seu vocalista Bon Scott, no início do ano seguinte. Por incrível que pareça sua morte possibilitou a entrada, na banda, daquele que se tornaria ícone do estilo inalienável da banda por todo o tempo que se seguiria, Brian Johnson.

O processo de composição (que já estava em andamento) e gravação foi rápido e para a surpresa de muitos, Brian conquistou à banda e ao público muito facilmente. Ele não precisou se esforçar ou usar de artifícios. Com seu cinismo alto declarado, ele simplesmente fez o que tinha que fazer e isso foi bom o bastante.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Back in Black, sétimo álbum, foi gravado em sete semanas, lançado quase um ano após o trabalho anterior e cerca de cinco meses após a morte de Bon Scott (1980). Disco considerado um dos mais acessíveis, mais bem-sucedidos e mais emblemáticos da banda até hoje e responsável pela redescoberta da banda num momento trágico. BIB não apenas impulsionou as vendas do disco anterior como também promoveu seu sucessor. O álbum não significou nenhum tipo de mudança ou reviravolta; ao contrário, mostrou o poder de êxtase de se fazer algo bom e bem feito, só que com mais alma e mais emoção. Em certo sentido, o sucesso do álbum ajudou a projetar os próximos passos: dar às pessoas o que elas querem, sempre mais e melhor! Eles entendiam que não há limites para a música e que sempre poderiam extrapolá-lo, desde que colocassem paixão e direção. Em resumo, o álbum tem muitos atributos e, talvez o principal esteja MAIS associado ao fato de que a evolução e o virtuosismo musicais são qualidades relativas e MENOS aos artistas por ele influenciados ou aos clássicos nele contidos. Por fim, o sucesso de BIB deixou os caras numa posição tão confortável que Angus teria falado uma frase casual, mas ela ficou célebre e virou lema do grupo: "O rock não é um mistério, cara!".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A formação que gravou o álbum era composta por Brian Johnson (vocals), Angus Young (lead guitar), Malcolm Young (rhythm guitar), Cliff Williams (bass) e Phil Rudd (drums).

FONTE: Esteriltipo Blog
https://wp.me/p16vjm-6Ub

Comente: Qual é na sua opinião o segredo do sucesso do AC/DC?


Outras resenhas de Back In Black - AC/DC

imagemResenha - Back In Black - AC/DC

Resenha - Back In Black - AC/DC

Resenha - Back In Black - AC/DC

Resenha - Back In Black - AC/DC

Resenha - Back In Black - AC/DC

Resenha - Back in Black - AC/DC

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

PRB
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Accept encerra um ciclo com "Too Mean to Die"




Sobre Ricardo Cunha

Editor no site Esteriltipo - Marketing de Conteúdo.

Mais matérias de Ricardo Cunha.