Resenha - Abbey Road - Beatles

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Felipe de Andrade
Enviar correções  |  Ver Acessos

No dia 26 de setembro, o disco que tem uma das capas mais icônicas da história do rock, Abbey Road, completou 50 anos de lançamento e, como toda segunda teremos a resenha de um disco, nada mais justo que iniciar por este que está de aniversário e que, de quebra, é meu favorito dos BEATLES.

Beatles: morre aos 82 anos Robert Freeman, fotógrafo da bandaShow de Rock: as diferenças entre os anos 80 e 2010

Gravado entre fevereiro e agosto de 1969, é o último registro musical feito pelo quarteto de Liverpool antes de sua dissolução (o disco Let it Be, lançado em 1970, havia sido gravado em janeiro de 1969). Naquele ano, o grupo já havia parado de se apresentar publicamente; os integrantes estavam em pé de guerra à época; RINGO STARR e GEORGE HARRISON já haviam anunciado suas respectivas saídas da banda em momentos distintos, mas que duraram pouco tempo. O antigo companheirismo entre PAUL MCCARTNEY e JOHN LENNON já se transformara numa disputa ferrenha por protagonismo e dinheiro, que também era o caso de HARRISON, que tinha muitas composições negadas. O produtor George Martin, o quinto beatle, teve de ser convencido por PAUL de que a produção seria "como nos velhos tempos", pois Martin fora escanteado nos anteriores Sargent Pepper's Lonely Heart's Club Band, de 1967 e THE BEATLES (The White Album), de 1968.

A gravação foi feita na antiga EMI Studios, posteriormente rebatizada de Abbey Road Studios, graças ao sucesso do álbum, e cujo prédio foi tombado como patrimônio cultural pelo governo britânico após a gravadora coloca-lo à venda, o que gerou grande comoção dos fãs, fazendo a EMI mudar de ideia. A capa é um ícone à parte; a famosa foto foi tirada no dia 8 de agosto, na faixa de pedestres em frente ao estúdio. Diariamente, inúmeras pessoas de todo o mundo reproduzem o clique.

O lado A se inicia com Come Together, que é sucesso absoluto até hoje e é tocada por diversos artistas e bandas como a norte-americana AEROSMITH. O baixo de PAUL é um dos mais marcantes da história da música, assim como a bateria de RINGO, bastante diferente do que fora feito anteriormente por ele, com forte presença dos tons e do chimbal. Something é outro sucesso estrondoso, foi, junto com Here Comes The Sun, a única composição de GEORGE HARRISON lançada como single e tem a guitarra do próprio George como peça principal executando um solo fabuloso. Música para os apaixonados ficarem nas nuvens. Já Maxwell's Silver Hammer é uma canção muito mais animada melodicamente, contrastando com o lado sombrio de sua letra. Oh! Darling tem uma das performances vocais mais fantásticas de PAUL, mostrando que, além de compositor e baixista, é um dos maiores vocalistas de todos os tempos. A guitarra distorcida de GEORGE e o piano também merecem destaque. A única composição de RINGO (e também cantada por ele) presente no disco é a faixa Octopus's Garden, com letra inspirada numa história contada a ele pelo comandante de um navio onde estava. Uma canção semelhante às primeiras feitas pelo grupo. I Want You (She's So Heavy), que fecha o lado A, destoa de toda a discografia dos BEATLES, principalmente pela sua extensão (a faixa tem quase oito minutos), mas também pela pouca letra e por seu final abrupto. As guitarras variam bastante sua sonoridade durante a música, o baixo mostra mais uma vez toda a capacidade de PAUL e os vocais são altamente penetrantes.

Partindo para o lado B, temos a já citada Here Comes The Sun, GEORGE HARRISON, feita no quintal do guitarrista ERIC CLAPTON. Uma belíssima canção que, de fato, aquece o coração como se fosse o sol, com o violão simples de HARRISON e as orquestrações de George Martin. Because inicia com Martin tocando um cravo elétrico, seguido da guitarra de JOHN LENNON, compositor desta canção; é uma música com uma harmonização de vocais gravados três vezes por Harrison, LENNON e MCCARTNEY ao estilo clássico dos BEATLES. You Never Give Me Your Money inicia o fantástico medley final de nove músicas e retrata o período conflituoso em que viviam os integrantes em relação ao dinheiro e à burocracia, misturando balada com guitarras distorcidas. Sun King tem sonoridade próxima à psicodélica e letra escrita por JOHN LENNON, inspirado no rei Luís XIV, da França, chamado de "Rei Sol". Palavras em português, espanhol e italiano foram colocadas no meio da música como mais um elemento curioso. Essa canção foi gravada junto à faixa seguinte, Mean Mr. Mustard, e depois separadas. Já essa se liga a Polytheme Pam, que tem bateria estrondosa de RINGO e também foi gravada junto à seguinte, She Came In Through The Bathroom Window, inspirada num acontecimento real, no qual fãs invadiram a casa de PAUL pela janela do banheiro e roubaram diversas fotografias. Golden Slumbers, mais uma vez, foi gravada junto à faixa seguinte, Carry That Weight e posteriormente cortadas em duas. A primeira tem excelentes arranjos de cordas de George Martin e linda letra e a segunda tem vocais dos quatro membros, algo raro em sua discografia. Em uma parte da canção, repete-se a melodia de You Never Give Me Your Money, mas com letra diferente. Uma das músicas mais emocionantes é The End, que é praticamente um adeus do quarteto, mas que acabou sendo a penúltima faixa; ela até hoje encerra os shows de PAUL MCCARTNEY de forma catártica. Possui solos dos quatro integrantes, inclusive da bateria de RINGO. Depois de quase quinze segundos de silêncio da anterior, entra a derradeira canção, Her Majesty, executada apenas por PAUL e seu violão; ela deveria estar entre Mean Mr. Mustard e Polytheme Pam, mas MCCARTNEY não gostou desta sequência e ela foi parar no final do disco. É a canção mais curta da carreira do grupo, com 26 segundos.

Considerado por muitos (inclusive por mim) a obra prima dos BEATLES, vendeu cinco milhões de cópias em um ano e merece, como presente de aniversário, que seja ouvido com muita atenção por todos. Uma despedida de gala da maior e mais importante banda de todos os tempos

Conteúdos como este você pode encontrar no meu blog:
http://musicaetcircenses.com.br/


Outras resenhas de Abbey Road - Beatles

Beatles: Abbey Road, uma Rua para o UniversoBeatles: O canto do cisne dos garotos de LiverpoolBeatles: 40 anos do último álbum gravado pela banda




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Beatles"


Beatles: morre aos 82 anos Robert Freeman, fotógrafo da bandaBeatles
Morre aos 82 anos Robert Freeman, fotógrafo da banda

Taylor Hawkins: Tudo o que veio depois dos Beatles é uma cópia muito boaTaylor Hawkins
"Tudo o que veio depois dos Beatles é uma cópia muito boa"

Sucesso: gráfico em vídeo mostra artistas mais vendidos de 1969 a 2019

Foo Fighters: Taylor Hawkins cita os discos favoritos de quando era criançaFoo Fighters
Taylor Hawkins cita os discos favoritos de quando era criança

Foo Fighters: Dave Grohl revela canção em homenagem a George HarrisonFoo Fighters
Dave Grohl revela canção em homenagem a George Harrison

Grandes covers: dez versões para "All My Loving", dos Beatles

Ringo Starr: eterno baterista dos Beatles lança o álbum What's My Name; ouçaRingo Starr
Eterno baterista dos Beatles lança o álbum What's My Name; ouça

Regis Tadeu: coisas que você não sabia sobre o "Sgt. Peppers" dos Beatles

Dave Grohl: qual riff dos Beatles é mais pesado do que Black Sabbath?Dave Grohl
Qual riff dos Beatles é mais "pesado" do que Black Sabbath?

Beatles: Dave Grohl comenta sobre o boato do sósia de Paul McCartneyBeatles
Dave Grohl comenta sobre o boato do "sósia" de Paul McCartney

Herói: Astros da música transformados em heróis de HQHerói
Astros da música transformados em heróis de HQ

Capas de álbuns: o que existe ao redor de grandes artes?Capas de álbuns
O que existe ao redor de grandes artes?


Show de Rock: as diferenças entre os anos 80 e 2010Show de Rock
As diferenças entre os anos 80 e 2010

Musas do Metal: as bandas que elas ouvem quando estão em casaMusas do Metal
As bandas que elas ouvem quando estão em casa


Sobre Felipe de Andrade

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adGoo336|adClio336