Matérias Mais Lidas

imagemRegis Tadeu explica porque Sandy não deve cantar músicas do Metallica

imagemOs Raimundos traíram os Titãs? Sérgio Britto comenta e conta a versão dele

imagemA banda de rock que impressionou Paulo Ricardo e o fez ver grandeza do estilo em São Paulo

imagemAndreas Kisser opina sobre a reunião do Pantera, que começou nesse sábado

imagemLars Ulrich poderia tocar músicas do Rush com Geddy Lee e Alex Lifeson?

imagemNoel Gallagher revela o rockstar que ficou mais impressionado de conhecer pessoalmente

imagemA estratégia do Barão Vermelho para evitar críticas de copiar Titãs nos anos 1990

imagemO surpreendente disco que Tom Morello considera um dos melhores de todos os tempos

imagemNoel Gallagher relembra o dia em que foi ao show de uma banda cover de Oasis

imagemMetallica: o que Regis Tadeu achou de "Lux Aeterna", nova música da banda?

imagemGene Simmons admite que "Ace estava certo" sobre o Kiss no começo dos anos 80

imagemApós incidente, Axl Rose anuncia mudança nos shows do Guns N' Roses

imagemBeatles: Ringo Starr conta como foi o seu último encontro com John Lennon

imagemVeja Sandy cantando Metallica na TV Globo em programa de Marcos Mion

imagemCinco discos de heavy metal para ouvir sem pular nenhuma faixa


Samael Hypocrisy
Stamp

Beatles: Meio Século de Abbey Road

Resenha - Abbey Road - Beatles

Por Felipe de Andrade
Postado em 03 de novembro de 2019

No dia 26 de setembro, o disco que tem uma das capas mais icônicas da história do rock, Abbey Road, completou 50 anos de lançamento e, como toda segunda teremos a resenha de um disco, nada mais justo que iniciar por este que está de aniversário e que, de quebra, é meu favorito dos BEATLES.

publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |

Gravado entre fevereiro e agosto de 1969, é o último registro musical feito pelo quarteto de Liverpool antes de sua dissolução (o disco Let it Be, lançado em 1970, havia sido gravado em janeiro de 1969). Naquele ano, o grupo já havia parado de se apresentar publicamente; os integrantes estavam em pé de guerra à época; RINGO STARR e GEORGE HARRISON já haviam anunciado suas respectivas saídas da banda em momentos distintos, mas que duraram pouco tempo. O antigo companheirismo entre PAUL MCCARTNEY e JOHN LENNON já se transformara numa disputa ferrenha por protagonismo e dinheiro, que também era o caso de HARRISON, que tinha muitas composições negadas. O produtor George Martin, o quinto beatle, teve de ser convencido por PAUL de que a produção seria "como nos velhos tempos", pois Martin fora escanteado nos anteriores Sargent Pepper’s Lonely Heart’s Club Band, de 1967 e THE BEATLES (The White Album), de 1968.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A gravação foi feita na antiga EMI Studios, posteriormente rebatizada de Abbey Road Studios, graças ao sucesso do álbum, e cujo prédio foi tombado como patrimônio cultural pelo governo britânico após a gravadora coloca-lo à venda, o que gerou grande comoção dos fãs, fazendo a EMI mudar de ideia. A capa é um ícone à parte; a famosa foto foi tirada no dia 8 de agosto, na faixa de pedestres em frente ao estúdio. Diariamente, inúmeras pessoas de todo o mundo reproduzem o clique.

O lado A se inicia com Come Together, que é sucesso absoluto até hoje e é tocada por diversos artistas e bandas como a norte-americana AEROSMITH. O baixo de PAUL é um dos mais marcantes da história da música, assim como a bateria de RINGO, bastante diferente do que fora feito anteriormente por ele, com forte presença dos tons e do chimbal. Something é outro sucesso estrondoso, foi, junto com Here Comes The Sun, a única composição de GEORGE HARRISON lançada como single e tem a guitarra do próprio George como peça principal executando um solo fabuloso. Música para os apaixonados ficarem nas nuvens. Já Maxwell’s Silver Hammer é uma canção muito mais animada melodicamente, contrastando com o lado sombrio de sua letra. Oh! Darling tem uma das performances vocais mais fantásticas de PAUL, mostrando que, além de compositor e baixista, é um dos maiores vocalistas de todos os tempos. A guitarra distorcida de GEORGE e o piano também merecem destaque. A única composição de RINGO (e também cantada por ele) presente no disco é a faixa Octopus’s Garden, com letra inspirada numa história contada a ele pelo comandante de um navio onde estava. Uma canção semelhante às primeiras feitas pelo grupo. I Want You (She’s So Heavy), que fecha o lado A, destoa de toda a discografia dos BEATLES, principalmente pela sua extensão (a faixa tem quase oito minutos), mas também pela pouca letra e por seu final abrupto. As guitarras variam bastante sua sonoridade durante a música, o baixo mostra mais uma vez toda a capacidade de PAUL e os vocais são altamente penetrantes.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Partindo para o lado B, temos a já citada Here Comes The Sun, GEORGE HARRISON, feita no quintal do guitarrista ERIC CLAPTON. Uma belíssima canção que, de fato, aquece o coração como se fosse o sol, com o violão simples de HARRISON e as orquestrações de George Martin. Because inicia com Martin tocando um cravo elétrico, seguido da guitarra de JOHN LENNON, compositor desta canção; é uma música com uma harmonização de vocais gravados três vezes por Harrison, LENNON e MCCARTNEY ao estilo clássico dos BEATLES. You Never Give Me Your Money inicia o fantástico medley final de nove músicas e retrata o período conflituoso em que viviam os integrantes em relação ao dinheiro e à burocracia, misturando balada com guitarras distorcidas. Sun King tem sonoridade próxima à psicodélica e letra escrita por JOHN LENNON, inspirado no rei Luís XIV, da França, chamado de "Rei Sol". Palavras em português, espanhol e italiano foram colocadas no meio da música como mais um elemento curioso. Essa canção foi gravada junto à faixa seguinte, Mean Mr. Mustard, e depois separadas. Já essa se liga a Polytheme Pam, que tem bateria estrondosa de RINGO e também foi gravada junto à seguinte, She Came In Through The Bathroom Window, inspirada num acontecimento real, no qual fãs invadiram a casa de PAUL pela janela do banheiro e roubaram diversas fotografias. Golden Slumbers, mais uma vez, foi gravada junto à faixa seguinte, Carry That Weight e posteriormente cortadas em duas. A primeira tem excelentes arranjos de cordas de George Martin e linda letra e a segunda tem vocais dos quatro membros, algo raro em sua discografia. Em uma parte da canção, repete-se a melodia de You Never Give Me Your Money, mas com letra diferente. Uma das músicas mais emocionantes é The End, que é praticamente um adeus do quarteto, mas que acabou sendo a penúltima faixa; ela até hoje encerra os shows de PAUL MCCARTNEY de forma catártica. Possui solos dos quatro integrantes, inclusive da bateria de RINGO. Depois de quase quinze segundos de silêncio da anterior, entra a derradeira canção, Her Majesty, executada apenas por PAUL e seu violão; ela deveria estar entre Mean Mr. Mustard e Polytheme Pam, mas MCCARTNEY não gostou desta sequência e ela foi parar no final do disco. É a canção mais curta da carreira do grupo, com 26 segundos.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Considerado por muitos (inclusive por mim) a obra prima dos BEATLES, vendeu cinco milhões de cópias em um ano e merece, como presente de aniversário, que seja ouvido com muita atenção por todos. Uma despedida de gala da maior e mais importante banda de todos os tempos

Conteúdos como este você pode encontrar no meu blog:
http://musicaetcircenses.com.br/


Outras resenhas de Abbey Road - Beatles

Resenha - Abbey Road - Beatles

Resenha - Abbey Road - Beatles

Resenha - Abbey Road - Beatles

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Siga Whiplash.Net: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube

Receba as novidades do Whiplash.Net por WhatsApp


Summer Breeze


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Beatles: Ringo Starr conta como foi o seu último encontro com John Lennon

Julian Lennon relembra como era sua relação com seu pai, John Lennon

Beatles: Ringo Starr relembra como recebeu a "devastadora" notícia da morte de John Lennon

O maior álbum de todos os tempos, na opinião do saudoso Ronnie James Dio

John Lennon sentia que seu filho Julian "queria que Paul McCartney fosse seu pai"

Ringo Starr recorda assédio a Yoko Ono após assassinato de John Lennon

Por que Kiko Zambianchi rejeitou próprio sucesso mesmo após elogio de Paul McCartney?

Beatles: O motivo pelo qual Ringo era "ruim", segundo George Harrison

A separação dos Beatles segundo a visão de Ringo Starr

Cinco capas de discos simples que ficaram marcadas para sempre

Beatles, Elvis e outras estrelas não durariam uma semana hoje, segundo Nergal

Pattie Boyd conta como superou as separações com George Harrison e Eric Clapton

Cinco músicas lançadas há mais de 50 anos que continuam fazendo sucesso

Eddie Vedder diz que tomar soco de Paul McCartney foi "um grande momento"

Beatles: Ringo Starr revela as últimas palavras que ouviu de George Harrison

Abbey Road: todos os detalhes do estúdio mais famoso do mundo

Backward Messages: Mensagens ao contrário em músicas de Rock

Pipocando Música: 5 músicas que contam uma história

Heavy Metal: os maiores álbuns da história para os gregos

Bruce Dickinson: ele revela os três vocalistas que nunca vai conseguir superar