Slayer: a junção de tudo que a banda tem de melhor

Resenha - Seasons In The Abyss - Slayer

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mateus Ribeiro
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10

Se existisse uma lista das cinco maravilhas do thrash metal, certamente os cinco primeiros discos do Slayer estariam presentes, cada um representando uma ponta do pentagrama da desgraça. Porém, existe um álbum que consegue concentrar tudo o que a banda fez de melhor. Não por acaso, esse disco é o quinto da discografia da banda, e de fato, representou a mistura dos quatro anteriores. "Seasons In The Abyss", lançado em 1990, bate em um liquidificador a velocidade de "Reign In Blood", a cadência de "South Of Heaven", o peso infernal e as letras doentias de "Show No Mercy" e "Hell Awaits".

Slayer: 10 curiosidades sobre a bandaSlayer
10 curiosidades sobre a banda

Além de todas as características que tornam o Slayer a banda mais extrema que passou pela Terra, "Seasons..." traz consigo riffs complexos, solos técnicos (para os padrões do Slayer e do thrash metal, claro), Dave Lombardo espancando seu kit com uma rapidez e precisão até então nunca vistas, além de Tom Araya no seu auge.

A destruição começa na primeira música, a clássica "War Ensemble". Veloz, ríspida e pesada, abre os trabalhos sem muito tempo para conversa. E até o final da primeira parte do disco, não há muito tempo para respirar, já que "Blood Red", "Spirit In Black" e "Expendable Youth" são três doídas, porém saborosas porradas na cara.

A quinta faixa, "Dead Skin Mask", é um pouco mais lenta, porém, apesar do seu andamento cadenciado, tem uma historia macabra por trás, já que foi baseada em Ed Gein, tenebroso serial killer que desenterrava túmulos, e dentre outras bizarrices, fazia máscaras com peles dos mortos. O riff e o clima sombrio da música colaboram bastante para o clima de filme de terror.

A parte final do álbum chega sem brincadeira com a estúpida "Hallowed Point", que funciona bem demais ao vivo. Tirando um pouco (só um pouco mesmo) o pé do acelerador, "Skeletons Of Society" traz alguns toques mais modernos (para a época), inclusive alguns vocais diferentes. As rápidas "Temptation" e "Born On Fire" abrem caminho para a maior obra prima do disco, e um dos momentos mais inspirados da historia da banda, a faixa título.

"Seasons In The Abyss" encerra de maneira perfeita um álbum perfeito. Tudo, absolutamente tudo nessa música é impecável. Seus riffs, solos, vocais, letra, batidas. Sem contar o clipe formidável (o primeiro da banda) filmado no Egito. Um fechamento épico!

O álbum também representa o fim de um ciclo, já que é o último a contar com Dave Lombardo nas baquetas. De qualquer forma, fecha esses primeiros anos da banda com chave de ouro.

Clássico absoluto do metal!

Ano de lançamento: 1990

Faixas:
"War Ensemble"
"Blood Red"
"Spirit In Black"
"Expendable Youth"
"Dead Skin Mask"
"Hallowed Point"
"Skeletons Of Society"
"Temptation"
"Born On Fire"
"Seasons In The Abyss"

Formação:
Tom Araya: baixo/vocal
Kerry King: guitarra
Jeff Hanneman: guitarra
Dave Lombardo: bateria


Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Slayer"


Kerry King: essa é a última versão do Slayer que as pessoas verãoKerry King
Essa é a última versão do Slayer que as pessoas verão

Metallica: Dave Lombardo quer ensinar Lars Ulrich a tocarMetallica
Dave Lombardo quer ensinar Lars Ulrich a tocar


U2: as 10 melhores músicas de todos os tempos da bandaU2
As 10 melhores músicas de todos os tempos da banda

Mascotes do Metal: os dez maiores segundo The GauntletMascotes do Metal
Os dez maiores segundo The Gauntlet


Sobre Mateus Ribeiro

Fanático por Ramones, In Flames e Soilwork. Limeirense com muito orgulho (e sotaque).

Mais matérias de Mateus Ribeiro no Whiplash.Net.

adGoo336