Alquimia: segundo capítulo de uma pérola do metal espanhol

Resenha - Espiritual - Alquimia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Victor de Andrade Lopes, Fonte: Sinfonia de Ideias
Enviar Correções  

9

Dois anos após um excelente álbum de estreia autointitulado, o projeto espanhol Alquimia, liderado pelo guitarrista Alberto Rionda, marcou o final de 2015 com mais um episódio de sua ainda curta história. Espiritual resgata toda a energia e a atmosfera melódica que agradaram em Alquimia.

Ozzy Osbourne: "o morcego era quente e crocante"

Mega-hits Manjados: 10 clássicos que se tornaram clichês

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Como é comum na carreira de Alberto, o álbum mescla faixas rápidas e lentas. Os pontos altos ficam por conta da abertura "Indomable", da longa "Sol Negro" e do encerramento "Almas Unidas". "Caballo Branco" e "Morir por Nada" são outras faixas memoráveis. É curiosa a total ausência de baladas aqui, embora haja algumas passagens lentas ao longo do trabalho.

Ainda me surpreendo com o quanto o idioma espanhol cai bem no power metal. Mais até do que o português. Na verdade, o espanhol e suas variantes vão bem em quase qualquer tipo de música, mas há um charme a mais nesta ramificação do metal. A vantagem é que fica mais fácil entender as belas letras que permeiam um instrumental impecável. É um álbum que não traz nada de muito extraordinário, mas acerta ao não abandonar a língua nativa dos integrantes.

Acerta também, e principalmente, ao se manter fiel aos princípios musicais estabelecidos na estreia. Assim, o Alquimia se firma como um nome forte não só do metal espanhol, mas do power metal como um todo. Se você gosta de Stratovarius, Blind Guardian e Sonata Arctica, não há por que não ouvir Alquimia também.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Um disco que passará em branco devido à diminuta fama do Alquimia e também por sua fraca disponibilidade - não está nos iTunes da vida, por enquanto só pode ser comprado diretamente na loja oficial da banda. O que é uma pena, pois o lançamento está em pé de igualdade com Eternal (do Stratovarius) e My God-Given Right (do Helloween).

PS: Este álbum foi lançado em dezembro de 2015. Por motivos de saúde, só foi possível publicar a resenha agora, em 2016.

Abaixo, a faixa "Almas Unidas":

Track-list:
1. "Indomable"
2. "La Flor en el Hielo"
3. "Éxodo"
4. "Caballero Blanco"
5. "El Ocaso de los Dioses"
6. "Espiritual"
7. "Vulnerable"
8. "Sol Negro"
9. "Morir por Nada"
10. "Almas Unidas"




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Ozzy Osbourne: o morcego era quente e crocanteOzzy Osbourne
"o morcego era quente e crocante"

Mega-hits Manjados: 10 clássicos que se tornaram clichêsMega-hits Manjados
10 clássicos que se tornaram clichês


Sobre Victor de Andrade Lopes

Victor de Andrade Lopes é jornalista (Mtb 77507/SP) formado pela PUC-SP com extensões em Introdução à História da Música e Arte Como Interpretação do Brasil, ambas pela FESPSP, e estudante de Sistemas para Internet na FATEC de Carapicuíba, onde mora. É também membro do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil e responsável pelo blog Sinfonia de Ideias. Apaixonado por livros, ciências, cultura pop, games, viagens, ufologia, e, é claro, música: rock, metal, pop, dance, folk, erudito e todos os derivados e misturas. Toca piano e teclado nas horas livres.

Mais matérias de Victor de Andrade Lopes no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280