Blackberry Smoke: Quarto álbum mostra banda revigorada e corajosa

Resenha - Holding All the Roses - Blackberry Smoke

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá, Fonte: My Guitar
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Depois de lançar o clássico "The Whippoorwill", em 2012, o BLACKBERRY SMOKE deixou de ser apenas uma promessa e se tornou o principal nome do southern rock contemporâneo. Com muito talento, bom gosto e simplicidade, a banda conseguiu atingir um público muito maior do que o alcançado com seus dois (e também excelentes) primeiros registros, abrindo novas portas. E agora, os caras voltam ao mercado com um novo disco, cercado de grandes expectativas, e mais uma vez conseguem mostrar o quão geniais conseguem ser.

Blackberry Smoke: banda confirma álbum e DVD ao vivo e divulga trailerSolos de guitarra: lista dos 50 melhores segundo a NME

E a primeira coisa que deve ser dita é que "Holding All The Roses" é um disco diferente dos anteriores. Ao invés de se acomodar com o sucesso, sentarem suas bundas no sofá, e comporem um disco igual o anterior, Charlie Starr, Paul Jackson, Brandon Still e os irmãos Brit e Richard Turner ousaram, quiseram mais, e criaram uma obra mais dinâmica e orgânica, e embora mais difícil de assimilar, tão excelente quanto as anteriores.

Mas não pensem que as características principais da sonoridade da banda foi deixada de lado, pois aquele southern rock clássico e cativante ainda está lá, mas agora com bem menos influências de country, e muito mais de hard rock e blues, o que deixou tudo mais sujo e vibrante. E trabalho com o renomado produtor Brendan O'Brian certamente influenciou esse novo "lado" da banda a aflorar.

As faixas que mais representam essa nova tendência do BBS são as agitadas "Let Me Help You (find the door)", "Holding All The Roses", "Rock and Roll Again" e "Playback's a Bitch", com guitarras afiadas, linhas vocais excelentes e com alguns efeitos bem interessantes, e muito bom gosto nos arranjos e melodias.

"Fire In The Hole" também é outro grande destaque, e na qual a banda chega a mesclar blues com uma levada space rock que chega a fazer os miolos fritarem para entender como aquilo ficou tão homogêneo.

Já os momentos que mais remetem aos discos anteriores dos caras são "Living in the Song", com versos rimados que viciam logo na primeira audição; "Too High", com uma das melhores letras já compostas por Charlie", e a balada "No Way Back to Eden".

Ou seja, temos aqui mais um discaço do BBS, que mostra que a banda não irá se acomodar fácil com o sucesso, buscando cada vez mais diferenciar sua sonoridade sem deixar de lado suas raízes, surpreendendo o ouvinte sem decepcioná-lo. Pode comprar com os dois olhos fechados!

Holding All the Roses - Blackberry Smoke
(2015 - 3 Legged Records - Importado)

1. Let me help you (find the door)
2. Holding all the Roses
3. Living in the Song
4. Rock and Roll Again
5. Woman in the Moon
6. Too High
7. Wish in One Hand
8. Randolph County Farewell
9. Payback's a Bitch
10. Lay it all on Me
11. No way back to Eden
12. Fire in the Hole.

http://www.blackberrysmoke.com
http://www.facebook.com/BlackberrySmoke
@blackberrysmoke


Outras resenhas de Holding All the Roses - Blackberry Smoke

nullnull




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Blackberry Smoke"


Blackberry Smoke: banda confirma álbum e DVD ao vivo e divulga trailer

Solos de guitarra: lista dos 50 melhores segundo a NMESolos de guitarra
Lista dos 50 melhores segundo a NME

Robert Plant: quase saí do Led quando meu filho morreuRobert Plant
"quase saí do Led quando meu filho morreu"

Iron Maiden: curiosidades sobre o The Number Of The BeastIron Maiden
Curiosidades sobre o "The Number Of The Beast"

Solos de guitarra: lista dos 50 melhores segundo a NMERobert Plant: "quase saí do Led quando meu filho morreu"Tim Owens explica origem do apelido "The Ripper"Rush: a incrível história do kit de bateria R40 de Neil Peart

Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336