Darkside: valeu cada segundo da espera pelo debut

Resenha - Prayers in Doomsday - Darkside

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Júlio Neto
Enviar Correções  

9


A Darkside é uma banda veterana de Thrash Metal, fundada no ano de 1991 em Fortaleza-CE. E de lá para cá lançou algumas demos e agora chega ao tão aguardado debut. E valeu cada segundo da espera.

Kirk Hammett: "Mustaine toca rápido e eu, melódico"

Cinema: 60 filmes pra quem ama Rock e Metal

Este trabalho conta com oito faixas em trinta e quatro minutos que passam na velocidade da luz! Thrash/Heavy rápido, por vezes melódico, pesado, dueto de guitarras, bumbos duplos. Ou seja, tudo que se espera em um álbum de Heavy Metal. Individualmente fica difícil apontar algum destaque para os músicos, todos fazendo sua parte de forma correta e com muita pegada. Quem estava à frente nos vocais na época era o Alex Eyras que fez um excelente trabalho e lembra uma pegada bem (Rob Halford) Judas Priest. Pena que não faz mais parte do grupo, tendo sido substituído pelo Marcelo Falcão, em seu primeiro trabalho autoral (que responsabilidade!). Como destaque, poderia facilmente indicar todas as oito faixas, mas aí perderia a graça. Ouça com atenção Sacrificed Parasites, Antictizen One com as guitarras bem à frente e um ótimo trabalho vocal. Em minha opinião, a melhor do CD. Confira com atenção também a pesada e melódica Crossfire que me lembrou Víper da época do Soldiers of Sunrise. Comentando sobre esta minha impressão com o Tales Groo (guitar), ele acredita que são reminiscências de quando tocava na Beowulf (lendária e saudosa banda de Fortaleza dos anos 90). O encerramento é com a incendiaria The Apocalypse Bell.

A parte gráfica acompanha o alto nível de composições e gravação feita em parceria por Adriano Batista e Gil Vicente de São Bernardo do Campo (SP). Livreto bem feito com as letras e muitas fotos acompanham o CD. História do metal Cearense.

Finalizando com a dica. COMPRE! Não deixe de adquirir este excelente material, que é item obrigatório na coleção de qualquer headbanger. E podem ir se preparando, pois a banda já está trabalhando nas composições para o sucessor de Prayers of Doomsday. Que venha matador como este!

Line Up:

Tales Groo – Guitar
Helder Jackson – Guitar
Alex Eyras – Vocals
Richardson Lucena – Drums
Renato Filtro – Bass

Faixas:

01 – Bubonic
02 – Sacrificed Parasites
03 – Aticitizen Ones
04 – Prayers in Doomsday
05 – Born For War
06 – Cursed by the Dawn
07 – Crossfire
08 – The Apocalypse Bell


Outras resenhas de Prayers in Doomsday - Darkside

Resenha - Prayers In Doomsday - Darkside

Darkside: depois de 20 anos, uma série de demos liberadas

Darkside: boa qualidade e nada soa repetitivo ou maçante



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Kirk Hammett: Mustaine toca rápido e eu, melódicoKirk Hammett
"Mustaine toca rápido e eu, melódico"

Cinema: 60 filmes pra quem ama Rock e MetalCinema
60 filmes pra quem ama Rock e Metal


Sobre Júlio Neto

Ligado ao Heavy Metal há mais de 25 anos. Zineiro, produtor de shows underground. Colecionador voraz de CDs, vinil e livros. Fã incondicional do metal nacional, sempre apoiando as bandas e não deixando de adquirir seus materiais. Mora no sul da Bahia e apesar da distância, sempre a par do que acontece no underground.

Mais matérias de Júlio Neto no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin