Queensryche: comparação torna o Heavy Metal mais apaixonante

Resenha - Frequency Unknown - Queensryche

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Luciano Piantonni
Enviar Correções  

7


A "novela" Queensryche vem rendendo episódios bem bizarros, depois da briga que rolou nos bastidores do show com o Fates Warning, em junho do ano passado, em São Paulo. Geoff Tafe foi para um lado e o restante seguiu com a entrada do excelente vocalista Todd La Torre – que ao menos nas músicas antigas, parece ser um clone de Tate, quando esse ainda detonava.

Geoff Tate: vocalista está trabalhando em "misterioso" álbum novo

Andre Matos: "Fui praticamente coagido a ser vocal do Viper!"

O engraçado – ou não – disso,é que Tate e o resto dos integrantes, usam o nome Queensryche, criando a situação bizarra de termos "dois Queensryches" na ativa (até que isso seja resolvido a justiça!) e o de Tate acaba de lançar esse disco, Frequency Unknown.

Até a capa está sendo motivo de briga, uma vez que mostra uma mão fechada, como se fosse dar um soco, com as iniciais do título do disco e o logo da banda no meio. A quem garanta que o F.U., nada mais é do que um FUCK YOU, uma vez que Tate não se cansa de atacar seus ex-comoanheiros – o que fez com que o contido Todd La Torre, desse declarações de que Tate joga sujo, blá, blá, blá...

Analisando apenas o disco, a impressão que dá é que se trata de um – mais um – álbum solo de Tate, já que "esse Queensryche" traz inúmeros convidados, como Brad Gillis, Rudy Sarzo, Craig Locicero, Kelly Gray (sim, aquele que sempre estragou o Queensryche!), Dave Meniketti, Jason Slater, Robert Sarzo, Simon Wright, Randy Gane, Paul Bostaph, Evan Bautista, Chris Canella, Ty Tabor, KK Downing e Chris Polland, ou seja, dá pra chamar isso de banda?
Talvez esse tenha sido o maior erro do vocalista, pois continuar usando o nome da banda com todos esses convidados soa mais que bizarro.

Se você analisar como um álbum solo de Tate, aí sim, encontramos músicas bem legais, como Cold (que abre o disco e tem um refrão bem legal), Give It To You, Slave, In The Hands Of God, Life Without You, Everything e Fallen, que em alguns casos, lembra a fase Empire (90) e Promised Land (94) – que em minha opinião, foi o último grande álbum lançado pelo Queensryche.

The Weight Of The World é uma bela balada no melhor estilo das já feitas por ele.

Por incrível que pareça, Tate está cantando melhor que nos álbuns pós Promised Land – o que não é lá muito difícil...
Mas o erro maior vem como "bônus tracks"; alguém por favor falar pra ele que não se pode pegar clássicos irretocáveis e regravar com uma banda meia boca (nas quatro versões bônus, Tate foi acompanhado de outros músicos, que não os citados!). As músicas escolhidas para essa chacina, foram I Don't Believe In Love, Empire, Jet City Woman e Silent Lucidity, que estão com um instrumental bem abaixo das versões originais e os vocais de Tate soando cansados e inexpressivos.
Agora é aguardar o disco do "outro" Queensryche, que sai dentro de alguns dias, e assim, coloca o Queensryhe no hall das curiosidades do mundo da música tendo dois discos lançados quase que simultaneamente, com bandas completamente diferentes – algo que dará muita discussão, comparação e é o que torna o Heavy Metal tão apaixonante!


Outras resenhas de Frequency Unknown - Queensryche

Queensryche: Se eu fosse músico, não queria meu nome no encarteQueensryche
Se eu fosse músico, não queria meu nome no encarte

Queensryche: Se não for fã nem perca tempo ouvindo

Queensryche: Frequency Unknown não empolga nem um poucoQueensryche
Frequency Unknown não empolga nem um pouco




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Geoff Tate: vocalista está trabalhando em misterioso álbum novoGeoff Tate
Vocalista está trabalhando em "misterioso" álbum novo

Queensryche: show em São Paulo está cancelado devido a pandemia de COVID-19Queensryche
Show em São Paulo está cancelado devido a pandemia de COVID-19

Iron Maiden: por que escolheram Blaze e não Michael Kiske ou Geoff Tate? Nicko respondeIron Maiden
Por que escolheram Blaze e não Michael Kiske ou Geoff Tate? Nicko responde

O Mapa do Metal: grandes bandas de metal dos Estados Unidos - Parte 2O Mapa do Metal
Grandes bandas de metal dos Estados Unidos - Parte 2

Queensryche: Todd La Torre p* da vida com número de casos de Covid na FlóridaQueensryche
Todd La Torre p* da vida com número de casos de Covid na Flórida

Prog metal: os 25 maiores álbuns da história, segundo o LoudwireProg metal
Os 25 maiores álbuns da história, segundo o Loudwire

Carta aberta: Artistas em apoio a casas de show independentes dos EUACarta aberta
Artistas em apoio a casas de show independentes dos EUA

Behemoth: Eles têm meu maior respeito como artistas afirma o vocalista Todd La TorreBehemoth
"Eles têm meu maior respeito como artistas" afirma o vocalista Todd La Torre


Metal Progressivo: os dez melhores álbuns do estiloMetal Progressivo
Os dez melhores álbuns do estilo

Metal Progressivo: os 25 melhores álbuns de todos os temposMetal Progressivo
Os 25 melhores álbuns de todos os tempos


Andre Matos: Fui praticamente coagido a ser vocal do Viper!Andre Matos
"Fui praticamente coagido a ser vocal do Viper!"

Roger Moreira: resposta bem humorada a crítica no Agora é TardeRoger Moreira
Resposta bem humorada a "crítica" no Agora é Tarde


Sobre Luciano Piantonni

Luciano Piantonni, é editor do site Hard And Heavy ([email protected]) e redator da revista Rock Brigade. Natural de Santo André (ABC Paulista) começou sua história com a música aos 8 anos quando foi assistir ao show do Kiss, em 1983. Desde então, acompanha Rock e Metal como suas maiores paixões. Já foi colaborador da revista Roadie Crew (entre 2006 e 2007), além de jornais e sites. Possui uma assessoria de imprensa, LP Metal Press, onde trabalha com os shows de diversas produtoras como Liberation MC, Tumba Productions, SG Entertainment, TC7 Produções, entre outras.

Mais matérias de Luciano Piantonni no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin