Attractha: Heavy que balança entre Hard, Melódico e Thrash

Resenha - Engraved - Attractha

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Vez ou outra, recebo materiais realmente impressionantes para serem avaliados. Dificilmente chega coisa ruim, mas entre os casos surpreendentes que me recordo mais facilmente, estão o Lancelot Lynx e o Gametas, entre outros que podem ser conferidos em nossa seção de bandas independentes.

Dedo x Palheta: Jason Newsted joga gasolina na fogueira do debateKiss sobre Secos e Molhados: "há quem acredite em OVNIs"

Posso dizer que o AttracthA, com proposta diferente, se enquadra entre essas bandas que me deixaram eufórico logo de imediato. O grupo foi formado em 2007 pelo baterista Humberto Zambrin, que havia retornado recentemente ao meio musical. Idas e vindas na formação fizeram que a mesma se desfizesse, voltando apenas em 2012 com Zambrin, Marcos de Canha (vocal), Ricardo Oliveira (guitarra) e Guilherme Momesso (baixo).

Durante esse hiato, mais exatamente entre 2008 e 2012, Ricardo Oliveira continuou compondo. O resultado dessa "pausa criativa" foram aproveitadas no primeiro registro da banda de São Paulo, o EP Engraved, lançado em 2013.

Engraved impressiona por dois principais aspectos, raros em bandas atuais. O primeiro é a maturidade do material apresentado. A banda sabe o caminho pelo qual deseja seguir, demonstrando isso nas quatro faixas de forma linear. O segundo é o misto de influências que gera um som único e certa originalidade. No caso do AttracthA, o som Heavy Metal balança entre elementos de sons mais pesados, como do Thrash, no instrumental; enquanto que a voz traz aspectos melódicos, comuns no Power Metal, Hard Rock e discípulos de Bruce Dickinson.

Além disso, há de se elogiar a lúcida produção de Engraved e a performance dos quatro músicos. Os envolvidos mandam muito bem do começo ao fim, indo direto ao ponto sem os costumeiros malabarismos e sem procurar destaques individuais. Só senti falta do uso de vocais graves por parte de Marcos de Canha - mas é algo que a experiência, com outros trabalhos, pode ensinar.

Caso continue seguindo este caminho, imagino que o AttracthA terá repercussão internacional. Trabalho diferenciado e bem feito. Merece toda a atenção do leitor da Van.

Site oficial:
http://www.attractha.com/.

Marcos de Canha (vocal)
Ricardo Oliveira (guitarra)
Leonardo Martinz (baixo - apenas gravou)
Humberto Zambrin (bateria)

Músico adicional:
Zeca Leme (voz adicional)

01. Darkness
02. The Choice
03. Blessing Life
04. Beginning


Outras resenhas de Engraved - Attractha

AttracthA: Para quem aprecia Heavy Metal com uma pegada clássicaAttracthA: Um trabalho cheio de técnica e qualidade musicalAttractha: E dizem que não existe banda boa no BrasilAttractha: Bem produzido, bem tocado e transpirando bom gostoAttractha: Heavy Metal com Hard Rock e influências de Prog MetalAttractha: uma mescla de metal tradicional e hard rockAttractha: Hard Rock clássico bom, pesado e seco




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "AttracthA"


Dedo x Palheta: Jason Newsted joga gasolina na fogueira do debateDedo x Palheta
Jason Newsted joga gasolina na fogueira do debate

Kiss sobre Secos e Molhados: há quem acredite em OVNIsKiss sobre Secos e Molhados
"há quem acredite em OVNIs"

Pink Floyd: as 10 melhores escolhidas pela Ultimate Classic RockPink Floyd
As 10 melhores escolhidas pela Ultimate Classic Rock

Megadeth: "Magia negra arruinou minha vida", diz MustaineStairway to Heaven: o maior hit do Led ZeppelinPink Floyd: Nick Mason compara saída de Waters à morte de StalinOriginalidade: 10 Bandas ou Projetos Inusitados

Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e apaixonado por rock há mais de uma década. Começou a escrever sobre música em 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Atualmente, é redator-chefe da área editorial do site Cifras e mantém um site próprio (www.IgorMiranda.com.br). Também co-fundou o site Van do Halen, para o qual trabalhou até 2013.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.