Astafix: Simples, mas profissional e de boa qualidade

Resenha - Live In São Paulo - Astafix

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini, Fonte: Blog Arte Metal
Enviar Correções  

publicidade

8


O Astafix (famigerada banda do ex-guitarrista do CPM-22) lançou apenas um disco, o bom "End Ever" (2009), e já soltou no mercado um DVD. Apesar de achar o projeto precipitado – poderia ter rolado mais um álbum aí – o trabalho mostra que se pode apresentar um bom trabalho audiovisual de forma simples e sem frescura.

Voz: 10 músicos que cantam tão bem quanto os vocalistas de suas bandas (Parte I)Metallica: Trujillo e seus primos, membros de gangues

Gravado no CB Bar, no dia 4 de setembro de 2010, "Live In São Paulo" foi dirigido e editado por Ben Hur e mixado e co-produzido pelo próprio guitarrista Paulo Schroeber. O show mostra claramente e intimamente a performance da banda sobre o palco, que parece tímida no início, mas vai se soltando durante a apresentação, onde quase todo o álbum "End Ever" é apresentado.

O trabalho individual de cada músico é bem destacado, mostrando que a banda tem coesão e reproduz fielmente, porém com mais peso, suas composições. "Live In São Paulo" também serve para calar a boca de alguns que insiste em dizer que a banda soa New Metal, o que fica bem claro não ser verdade, já que possui uma pegada de Thrash moderno com muito groove, mas nenhuma influência de hip hop que tanto acomete o polêmico gênero norte-americano.

O vocalista e guitarrista Wally interpreta bem as composições, além de segurar bem nas bases, enquanto Paulo Schroeber detona nos solos, que são simples, mas muito bem encaixados, como o estilo pede. A cozinha formada pelo batera Thiago Caurio, que tem uma boa pegada, e pelo baixo estremecedor de Ayka (que detona belos e guturais backing vocals) dão peso extra às músicas.

Os bons momentos do show surgem nas faixas False Eyes, End Ever e The Havoc Clutch que curiosamente é uma sequência triunfal. O groove e a boa levada de Drown Your World caiu como uma luva ao vivo, mostrando um dos momentos mais tenso da apresentação, sem contar o ótimo solo de Paulo. Desert Eyes, definitivamente minha preferida, e a pauleira Desordem e Retrocesso fecham a apresentação em alto nível.

A ressalva do show fica por conta de Wally (que deve ter ficado mal acostumado do lado direito do palco em sua ex-banda) ainda estar um pouco tímido e de não haver captação de imagem da plateia, pois seria interessante checar a reação do público de vez em quando. Mas é um bom vídeo e simplesmente bem produzido.

O DVD ainda traz os ótimos clipes de Red Streets, onde o personagem é um homem bomba rumo ao seu trabalho nada habitual, e Desordem E Retrocesso que é mais dinâmico e tão bem interessante quanto o primeiro. Ainda há um breve documentário onde a banda explica como foi o início, uma versão mais simples para o clipe de Red Streets, além do Making Off da mesma.

"Live In São Paulo" é um trabalho feito de forma simples, mas muito profissional e de boa qualidade, onde só poderia ser melhor se a banda tivesse lançado mais um disco aumentar o bom repertório que a banda possui. Vale à pena conferir!
http://www.astafix.com/




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Voz: 10 músicos que cantam tão bem quanto os vocalistas de suas bandas (Parte I)Voz
10 músicos que cantam tão bem quanto os vocalistas de suas bandas (Parte I)

Metallica: Trujillo e seus primos, membros de ganguesMetallica
Trujillo e seus primos, membros de gangues


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin